Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2016

QEQS em 2016

Calma, o QEQS ainda não se apresentou no palco do Rock in Rio! Esta é a caixa do presente de aniversário que ganhei do Edward e do Claúdio. Fiquei encantada com a imagem da gente num palco do grande festival. Esta cena me me emocionou! Foi um presente de quem sabe o quão importante é o meu lado cantora. Sim, é um hobby, mas é o hobby que me faz viver com mais alegria e entusiasmo. Quando estou com eles ensaiando, tudo fica mais fácil. Posso estar com os maiores dos problemas e tudo fica mais leve e minha alma se renova. As noites de quinta são sagradas, somente as Olimpíadas me fizeram faltar aos ensaios e realmente porque eu não tinha como fazer bate e volta do Rio, senão eu faria! 



Me sinto bem à vontade cantando com eles. Temos cumplicidade, temos paciência uns com os outros. Sabemos respeitar o tempo de aprendizado de cada um. Isso tudo faz que as músicas fluam, que nossa performance fique cada vez melhor.  

Este ano foram dois shows, repertório Grunge e de músicas do festival Live …

2016 Foi Especial Sim!

Para todos o lados, o que a gente  mais escuta é que 2016 foi um ano terrível, que não teve nada de bom. Concordo que tem sido um ano bem complicado, eu mesma estou experimentando de perto o lado terrível deste ano nestes últimos dias. Por isso não posso dizer que foi um ano maravilhoso, mas, quando eu estiver lá no futuro, pensar em 2016 vai me fazer sorrir! Afinal, este foi o meu ano olímpico! O ano dos Jogos do Rio de Janeiro, que vivenciei intensamente trabalhando como voluntária. 
Foi uma das experiências mais incríveis da minha vida. Foi impactante e cansativo, foi muito melhor do que eu imaginava. Me emocionei muito mais do que esperava, vivenciei cada minuto olímpico com muito entusiasmo e não me deixei vencer pelo cansaço. Fiz questão de aproveitar cada instante olímpico. Mesmo depois de um dia cansativo de trabalho, deixava o cansaço de lado e ia vivenciar o outro lado dos jogos: Como espectadora!  Foi muito legal poder vivenciar um pouco de tudo, trabalhar como voluntária e …

Sam sem o Frodo

Quando Wally e eu fomos ao abrigo escolher gatos para adotar, estávamos pensando em pegar duas gatas  rajadas, mas tudo mudou quando vimos o Frodo todo fofo em cima de uma mesa. Era um pretinho básico magrinho, de quase um ano de idade,  e muito simpático. Deixou a gente mexer nele  logo de cara e ficou pedindo mais carinho. A gente se apaixonou de imediato por ele. Falamos para a moça do abrigo que queríamos ele, então ela nos disse: "Ele só pode ser adotado junto com o irmão", e apontou para o teto. Lá estava o Sam, enorme desde sempre e com cara de poucos amigos. Estava com medo da gente. Nós topamos a condição e no dia seguinte ela levou os dois para casa. 
Não era história da moça do abrigo não, os dois sempre foram muito grudados. Sempre estavam juntos, dormiam juntos, brincavam e se davam banho. Claro que rolava umas brigas vez ou outra. Era bonito de ver esta união deles.  Sempre me emocionei pelo carinho que um tinha pelo outro. Agora isso acabou e eu realmente estou…

Adeus, Frodinho!

Esta foi nossa última foto juntos. Frodo e eu. Tirada no dia 15 de Dezembro, no meio da tarde. Eu estava usando o computador e ele veio para o meu colo. E comecei a fazer confuné no meu filhote e tirar fotos. Eu já estava no clima de despedida. Já era evidente que ele estava perdendo a luta para os problemas de saúde. Respiração cada vez mais difícil, coraçãozinho cada vez mais descontrolado.
Estas últimas semanas foram bem aflitivas. Muitas consultas com veterinários, muitos exames, remédios,internações, tudo na tentativa de fazer o meu Frodinho se sentir melhor. Mas nada adiantou. Nada. A cada dia ele parecia mais cansado. Foi muito difícil lidar com o Frodo em câmera lenta, cansado, triste. Ele sempre foi muito ativo e serelepe.  Nestes dias difíceis, eu ficava feliz quando dava uma bronca nele! Vê-lo aprontando era sinal de esperança, sinal que ele estava reagindo. Eu me agarrava em qualquer fiozinho de esperança, mesmo a realidade me mostrando o contrário. 


Esta foto foi a última d…