Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2009

Frodo, Frodo e mais Frodo!

Frodo tomando conta do post e do meu note!

Início de tarde do último domingo. Frodo, como sempre, estava me fazendo companhia enquanto eu navegava sem destino pela internet. Tarde ensolarada, um gato cheio de pose e uma câmera digital por perto. Ele estava lindo e eu não resisti. Peguei a câmera e comecei a tirar fotos e mais fotos do meu filhote.

Frodo adora ficar na janela e adora tomar sol. Sempre que estou no computador ele fica deitado na impressora.


A impressora é mais usada pelo Frodo do que por mim. Já virou uma cama para ele.

Em geral ele se comporta bem quando está deitado aí. Não mexe na impressora. Vez ou outra é que fica fuçando na impressora e chega até a ligá-la.


De tanto tomar sol Frodo já deixou de ser um gato preto e virou um gato de pêlo castanho. Em ambientes mais escuros ele até engana a gente e parece que é ainda pretão, mas basta bater um pouco de sol para que sua verdadeira cor apareça: um castanho avermelhado lindo! Não me canso de admirar a beleza e o charme…

Secret Diary Of a Call Girl

Belle é uma garota de programa londrina e é a protagonista da série inglesa "Secret Diary Of A Call Girl" e estou vidrada nesta série desde o primeiro episódio que vi há umas duas semanas. A série é transmitida aqui pelo canal VH1 (toda segunda às 23 horas) e foi lá que eu vi o primeiro episódio, quer dizer, foi o segundo episódio da série, mas o primeiro que eu vi. Mas a má qualidade da imagem (parece imagem de filminho feito com celular!) me fez desistir de ver o seriado por lá e acabei baixando os episódios e até o momento já assisti 5.


Os episódios são curtos, com cerca de 30 minutos de duração. Belle (Billie Piper) é a narradora da história, tudo contado em primeira pessoa em um tom confessional, que transita entre o sarcasmo, melancolia e felicidade. Sim, felicidade, pois ela gosta do que faz e logo no primeiro episódio já esclarece que entrou nesta vida por vontade própria e que gosta de dinheiro e, é claro, de sexo! As histórias são centradas no cotidiano dela, tant…

Medo por telefone

Chega a ser bizarro, mas nem dentro da nossa própria casa temos mais sossego. Nem podemos mais atender ao telefone com tranquilidade, pois do outro lado pode haver um bandido disposto a atemorizar a pessoa que atendeu com o objetivo de arrancar dinheiro. Isso aconteceu novamente com a minha mãe e desta vez os caras conseguiram a assustar de verdade e por tabela me assustaram também, pois fiquei muito nervosa ao ver a minha mãe despesperada. Não aconteceu nada além de uma tentativa frustrada de extorsão, por conta do trote do sequestro, mas foi um baita susto.
Aconteceu no domingo à noite. Minha mãe me ligou chorando, histérica. Assustei, pois ela não é o tipo que se desespera por qualquer coisa. Ela contou que ligaram na casa dela falando que tinham sequestrado a Sugarbaby. Eu disse para a minha mãe ficar calma (o que não adiantou muito, é claro.) e que eu iria para lá imediatamente. Desliguei o telefone e liguei para o celular da Sugar no mesmo instante. No alô dela eu já soube que t…

Typing out my fantasy

Desde sábado eu tenho uma nova música preferida. Tudo culpa do Wally que trouxe para mim o Dance Dance Revolution Universe 3. Claro que tive que testar o jogo no mesmo dia, mesmo estando com uma gripe terrível e mal conseguindo respirar. Ou seja, nada mais contra-indicado do que um video-game onde o jogador tem que dançar para alguém com a respiração limitada, né? Mas eu não resisti e coloquei o tapete para testar o jogo novo e assim conheci a música "Less Than Three" e me encantei. É uma música estilo eletrônico sobre a internet. E é uma música muito fofa sobre relacionamento virtual, conversas em programas de mensagens instântaneas e dos sentimentos de frustração e alegrias que isso causa. A letra é bem simples e até inocente, mas retrata bem esta realidade dos amores virtuais, onde tudo acontece através da tela do computador. Onde a realidade se mistura com a fantasia e no fim das contas não se sabe se o tal sentimento é real ou apenas uma ilusão. O video-clipe complemen…

Sapatinhos vermelhos

Sábado passado foi um dia que adorei, pois tive um dia bem de mulherzinha com a Mari. Acordamos cedo e fomos ao salão fazer as unhas. Ela quis aproveitar sua estadia para fazer as unhas num salão, já que na Argentina isso é algo caro, como é praticamente em todo mundo, exceto aqui no Brasil. No salão ficamos devorando as revistas de fofoca e comentando sobre a vida dos famosos que estampavam aquelas páginas. Unhas terminadas, fomos à uma loja de cosméticos aqui perto, que tem de tudo e é bem barata. Ela adorou a loja e se pudesse teria ficado horas e horas por lá. Mas a gente tinha o tempo contado, pois a próxima etapa da nossa manhã de sábado já estava programada e a gente estava um tantinho atrasada já. Então nos apressamos e saímos da loja em pouco tempo. A nossa manhã de sábado continou na Shoe Stock e contou com a companhia da Dany. Fomos as três enfrentar a loucura daquela loja em pleno sábado. Foi uma aventura, pois era tanta mulher ensandecida em busca do sapato perfeito que…

Wii

O Nintendo Wii se diferencia dos outros consoles de videogames por propor um jeito de jogar diferente, onde o jogador acaba jogando com o corpo e não somente com os dedos no joystick. E cumpre o que promete, o jogo pode receber qualquer tipo de crítica, menos que é uma diversão que promove o sedentarismo. Para jogar com o Wii o jogador tem que se movimentar muito e se vê posicionado para jogar das maneiras mais estranhas, o que ocasiona muitas risadas e , às vezes, uma impressão de estar pagando um mico gigantesco. Mas é uma boa diversão, um ótimo videogame para se jogar quando se está entre amigos. Rende uma ótima noite de diversão. Comprovei tudo isso na segunda-feira passada, quando o Guilherme veio em casa e trouxe seu Nintendo Wii e seus apetrechos. Começamos a brincadeira com o Wii Fit, o famoso jogo que se propõe a emagrecer o jogador. O começo é um tanto chatinho, pois tem que pesar o jogador, informar as medidas e ler um monte de instruções e conselhos para não usar o jogo de…

Mari em Sampa

Um brinde de Mauí no Sí Señor!


A estadia da Mari por aqui foi ótima. Matamos as saudades, celebramos o seu aniversário, colocamos as conversas em dia e comemos muito também. Logo que ela chegou Wally fez um jantar especial para ela, onde o prato principal foi rabada. A turista adorou! Comemos tanto! Estava ótimo!

Depois de uma temporada à beira-mar, Mari voltou para Sampa e fomos comer comida mexicana no Sí Señor (ex- El Kabong!). Ela pediu o maior prato: Burrito!!! Wally e eu optamos pelas Quesadillas de carne.

Foi uma noite ótima e que terminou com a gente assistindo ao filme "Pequeno Dicionário Amoroso" em DVD.

O sábado foi dia de feijoada no Armazém Paulista. Estavam com a gente a Sugarbaby, Guilherme, Dany , mamãe e Wally. Estava uma delícia.


No domingo Mari voltou para Buenos aires. Sam até tentou ir com ela garantindo um lugar na mala, mas não teve jeito, não tinha lugar para ele na bagagem! Mari foi embora e deixou muitas saudades e delicias porteñas, como alfaj…

Segunda é dia de folga?

Originalmente publicadoAQUI.

Um novo feriadão se aproxima. Eu adoro feriadões, é muito bom ter 3 ou 4 dias seguidos de descanso. São como mini-férias e acabam rendendo um bom descanso, servem mesmo para carregar as baterias, para a gente ter energia para aguentar as semanas de trabalho contínuo. Eu geralmente não viajo nos feriadões, pois gosto de curtir a minha casa e a cidade tranquila. Gosto do sossego, de não ter hora para nada. Mas no momento em que escrevo estas letrinhas eu ainda não sei se terei folga no feriadão. A folga no feriado de terça é certa, mas não sei se lá na empresa a segunda-feira será dia normal ou vamos ter o dia livre. Saberei isso hoje no decorrer do expediente. Espero ter folga e estou mentalizando para que isso aconteça. Pensamento positivo nunca é demais. :)
E se eu tiver o feriadão e o clima esfriar para valer será perfeito. Assim ficarei em casa bem agasalhada, tomando chá, vendo seriados, filmes, jogando video-game e dormindo. Claro que vou dar umas said…

Café da manhã

O copo de leite com nescau sempre foi o protagonista dos meus cafés da manhã. Nunca consegui comer logo cedo, não tinha fome e o leite sempre me bastou. Só quebrava esta regra em viagens, onde me obrigava a comer ao menos um pãozinho com presunto, só para me garantir caso a hora do almoço demorasse a chegar. E foi assim a minha vida toda, até o comecinho deste ano. Desde então tomo um café da manhã mais reforçado, além do leite com nescau, agora sempre como um sanduíche simples, pão, manteiga e frios. A mudança de hábito não aconteceu porque resolvi seguir os conselhos do médicos que vivem dizendo que o café da manhã é a principal refeição do dia, mas sim porque foi o jeito de me adaptar aos meus novos horários sem morrer de fome. O meu horário de trabalho atual não me permite almoçar, eu entro cedinho lá e como é uma jornada de 6 horas, tenho apenos 15 minutos de intervalo. Não há como eu comer em tão pouco tempo. Eu como muito devagar e se tento comer rápido, eu passo mal. Assim r…

Livre da fumaça?

Falta apenas a assinatura do governador do estado para que a lei que bane o cigarro de ambientes coletivos fechados, sejam públicos ou privados, em todo estado de São Paulo entre em vigor. Eu gostei desta lei, pois a fumaça do cigarro é algo que incomoda muito as pessoas que, como eu, não são fumantes. Quem fuma geralmente não se importa com incômodo que a fumaça de seus cigarros provoca, salvo os fumantes fofos e bem-educados que se importam com os não-fumantes (raridade!) e assim nós ficamos reféns da fumaça alheia quando resolvemos ir a bares, restaurantes, shows e afins. Claro que a chiadeira dos fumantes já começou, eles alegam que sua liberdade será cerceada com a aplicação desta lei. Mas e a liberdade de quem não fuma e não quer ser obrigado a respirar a fumaça do cigarro? As tais áreas de fumantes em restaurantes não funcionam, pois a fumaça não respeita estes limites, ela sempre acaba se espalhado por todo ambiente e quem não fuma acaba fumando junto e ainda ganhando de bri…

Meu Twitter

Eu já tenho conta no Facebook há quase 2 anos, mas até hoje não me entendo bem com aquele site. Na verdade não sei bem o que fazer quando estou por lá. Desde então apareço por lá quando recebo a notificação que alguém me mandou mensagem ou para ver fotos que os amigos colocaram por lá. Nem do Pancrácio, meu bichinho virtual aplicação do Pet Society lá no Facebook, eu estava cuidando, o coitado já estava prestes a morrer de fome. Mas notei que o último mês andei acessando a página com mais freqüência e até algumas fotos eu postei por lá. Mas não pensem que agora aprendi a interagir com os amigos através do Facebook, que nada, continuo sem me entender direito com aquele espaço, mas tenho acessado apenas para mudar o meu status, para escrever aquelas frases que ficam ao lado da nossa fotinho e que todo mundo lê. Assim publico o que estou fazendo, pensando ou apenas tonterias sem sentido e fotos também. E fazendo isso reparei que na verdade estou usando o meu Facebook como Twitter. Aca…

Shaun, The Sheep

Semana passada eu conheci o Shaun e me encantei por ele. Ele é um carneirinho fofo e bem esperto, que mora em um sítio com outras ovelhas, 3 porquinhos, seu cão pastor e seu dono. As histórias são contadas em episódios curtos que duram, em média, 7 minutos. Não há diálogos, mas os bonecos são tão expressivos que entendemos o que cada olhar que dizer. As histórias sempre giram em torno do cotidiano do sítio e das confusões provocadas pelas ovelhas para conseguirem seus objetivos, seja um banho quente, recuperar um ursinho de pelúcia ou jogar uma partida de futebol. É uma animação adorável, com roteiros inocentes e encantadores. A série é uma criação de Aardman Animations, que são os autores dos famosos "Wallace and Gromit" e de "Chicken Run". "Shaun The Sheep" foi criada em 2007 e até o momento teve duas temporadas com 20 episódios cada.



Este episódio é " Bathtime", segundo episódio da primeira temporada. São as ovelhas lutando pela água que…

Hummmmmm

Eu nunca fui louca por chocolate. Na verdade, sempre consumi doces em poucas quantidades. O sabor adocicado me enjoa com facilidade, não importando qual tipo seja, e assim me satisfaço com muita rapidez. Quando eu era criança meus ovos de Páscoa sempre sobravam, praticamente comia somente a metade. Nunca conseguia terminar um ovo sozinha. E assim continua sendo, sempre comendo o ovo aos poucos. Raramente eu me vejo com desejo forte de comer chocolate, mas desta vez aconteceu. Vi na tv uma propaganda dos ovos de Páscoa da Cacau Show e fiquei enlouquecida pelo ovo de trufa, que era o astro da propaganda. Fiquei com água na boca de ver aquele ovo na tv. Passei dias e dias pensando nele. Hoje finalmente vou saciar o meu desejo. Passei na Cacau show e comprei o ovo de trufa. Nunca tinha entrado numa loja deles e adorei lá. Aliás, a loja é uma perdição. Cheia de caixas de bombons maravilhosas, tanto que acabei comprando uma, com bombons recheados de cereja , trufa e amarula. Acho que não…

Mari em SP!

Acabo de voltar do jantar de niver dela! Ótima noite! 
Bom feriadão!

Brasileira com moderação

Durante uma conversa com o pessoal do trabalho sobre música brasileira e afins, um colega solta a seguinte frase : " Eu sou um brasileiro não praticante!" Eu nunca tinha ouvido tal expressão, mas entendi perfeitamente o que ele queria dizer. Pois às vezes me sinto um pouco assim, deslocada do espírito brasileiro de ser. Gosto de ser brasileira, mas estou longe de ser uma brasileira típica. Um exemplo: não curto axé, bossa nova e tenho muitas ressalvas em relação à MPB. Mas a tal da brasilidade vai muito além da música, está no jeito de ser das pessoas daqui e nisso é onde eu noto mais o meu distanciamento do brasileiro típico. Aqui as pessoas são muito expansivas, mal te conhecem e parece que criam uma intimidade instântanea. Eu até hoje não sei conviver direito com isso, pois sou muito reservada. Demoro muito para permitir que as pessoas se aproximem de vez de mim e demoro o mesmo tanto para me sentir à vontade com alguém que acabei de conhecer. Eu preciso de tempo para se…

Insegurança

Um assalto acontece. O bandido mata a vítima. Em todos os meios de comunicação a abordagem é a mesma, é sempre levantada a hipótese que a morte somente ocorreu porque a vítima reagiu. Eu fico indignada toda vez que me deparado algo assim, pois a vítima é praticamente colocada na posíção de culpada por sua morte. O bandido acaba tendo sua culpa suavizada, pois colocam que ele não queria matar, mas como a vítima agiu de maneira inesperada, ele ficou descontrolado e matou a vítima. O que ninguém lembra é que a vítima está sob um estresse tremendo, que não há como manter o sangue frio e que muitas vezes o ato de reagir não é uma demonstração de valentia e sim um ato desesperado por se livrar de uma situação assustadora. Chega a ser cruel colocar a vítima como principal culpada de sua morte. O culpado sempre será o bandido, pois ele que está fazendo algo errado, está atacando alguém na rua para roubar. Vivemos em um mundo realmente estranho, onde a bandidagem corre solta por aí, os govern…

Uma vai , outra vem

Em maio de 2003 Wally e eu alcançamos a nossa primeira grande conquista juntos, compramos o nosso primeiro carro. Meses antes a gente havia visto uma reportagem no Shoptour que mostrava o futuro lançamento da GM na época e ficamos encantados com aquele carro. Era uma Meriva. Falamos brincando que este seria o nosso futuro carro, mas não chegamos a acreditar que seria possível, pois precisaríamos de uma boa grana para comprar um carro como aquele. Mas começamos a pensar sério no assunto, a juntar dinheiro para dar uma boa entrada no carro e conseguimos! Foi um sonho mesmo comprar o carro que a gente queria. E por tudo isso foi triste quando chegou a hora de dizer tchau para este carro. Ficamos com ele 6 anos e quando nossa querida Meriva começou a dar muita despesas de manutenção vimos que era hora de trocá-la. E decidimos trocá-la outra Meriva, desta vez vermelha.



Em dezembro do ano passado, depois de visitar algumas concessionárias e ver vários modelos de carro, resolvemos compra…

Pão

Há duas semanas peguei emprestada a máquina de pão da minha mãe. Wally e eu resolvemos ver como era fazer o pão em casa e descobrir se a máquina era tão automática como falam. O primeiro pão que fizemos foi o de provolone e calabresa, que é este da foto. Foi bem fácil mesmo. Não há complicações, basta juntar todos os ingredientes e colocá-los na máquina, escolher o programa adequado e deixar a máquina fazer o seu trabalho. A única coisa que tivemos que nos preocupar era colocar o queijo e a calabresa no tempo certo. Mas até isso a máquina cuida, ela apita quando é o momento de colocar os ingredientes extras. A única coisa que é necessária para fazer o pão é paciência, pois demora 3 horas para ficar pronto e o cheiro do pão deixa a gente impaciente, querendo experimentá-lo logo. O pão ficou enorme e delicioso. Tão delicioso que este quase um quilo de pão não durou nem um dia aqui em casa. A nossa primeira produção de pão foi um sucesso, apesar de ele ter ficado meio murcho na parte …

Avalanche de Senhas

12. Este é o número de senhas diferentes que utilizo na minha vida cotidiana. É senha do cartão do banco, do site do banco, de e-mails, dos sistemas do trabalho, do meu computador, do cartão do vale-refeição e por aí vai. É muita senha. Quando dá eu tento reaproveitar e usar a mesma senha para coisas diferentes, assim é uma coisa a menos para lembrar. Tanta senha assim me estressa às vezes, pois tenho medo de esquecê-las quando precisar. Tenho medo que a cabeça dê um tilt e eu perca da minha mente todos os registros, pois eu não anoto em lugar algum. Afinal, se senha é para garantir que ninguém além de mim vai acessar a conta do banco ou de e-mail, não pode estar escrita em canto algum, senão a confidencialidade da senha já era. Nunca esqueci de fato de uma senha, salvo senha de site de compras, mas estas não entraram na minha conta, mas já tive esquecimentos momentâneos. São segundos terríveis, que não consigo lembrar a sequência certa da senha. Fico tensa quando isso acontece, mas…

Bolt

Logo na primeira cena do filme, Bolt me conquistou. Ele é um filhotinho ainda e está numa loja de animais. É uma gracinha de filhote, fofo e brincalhão. Fiquei com vontade de apertá-lo, pena que ele existe somente no filme. Bolt (USA - 2008) é uma animação produzida pela Disney e que conta a história do cãozinho Bolt, que é um astro da tv. Ele é o herói de um seriado, um cachorro cheio de poderes e muito inteligente. Sua companheira de seriado é a menina Penny, que gosta de verdade do Bolt, apesar de ele ser somente seu cão no seriado. Bolt só conhece a realidade do estúdio e um dia acontece um incidente e ele se vê perdido no mundo, sozinho e sem saber como se portar como um cão na vida real. A partir deste ponto o filme se torna um road-movie, com Bolt tentando voltar para perto de Penny. Em sua jornada ele conta com a companhia de Rhino, um hamster gordinho, e de Mittens, uma gata de rua um tanto amargurada.
O filme me emocionou, principalmente porque toca em um assunto que me co…