segunda-feira, 25 de abril de 2016

Desconectar Um Pouco







Hoje fiz algo raro, não peguei no celular durante o almoço. Sempre que almoço fora de casa, esteja só ou acompanhada, olho no ceular. Não fico pendurada, mas sempre dou aquela espiada. E a espiadinha sempre vira duas, três e por aí vai! Mas hoje coloquei na cabeça que não ia dar nenhuma espiadinha no celular e foi ótimo. Nem senti falta e pude comer em paz, aproveitando o momento tranquilo da refeição. 

Eu sou uma pessoa muito conectada, sempre estou com o celular perto. Acesso diariamente Facebook e afins, sempre converso via  zap zap. O celular praticamente uma extensão de mim. Uma parte da minha vida está ali dentro. Ali acesso a minha agenda, meu e-mail, falo com os amigos, checo a conta no banco, tiro foto e até uso para fazer uma chamada telefônica!  Acho que quase todos vivem neste mesmo compasso, é o jeito atual de se viver.  Não se preocupem, não vou demonizar o celular e a internet. Nunca fiz e nunca farei isso. Mas vez ou outra fico encucada, por achar que não consigo fazer somente uma coisa por vez.   Acho que virei multi-task demais! 

Gosto de ficar desconectada um pouco. Faço isso quando vejo um seriado, uma novela ou quando estou no cinema. Gosto de mergulhar na história que estou assistindo, se ficar fuçando no celular, já era, não me envolvo. Outro dia me peguei fazendo algo que não fazia há séculos: Ficar no sofá escutando música!  Sem revista ou celular na mão! Só curtindo a música. Foi tão bom! 

Acho importante momentos assim, é um jeito de me conectar comigo mesma. Esquecer o mundo lá fora e ficar com a minha música e os meus pensamentos. É um descanso para a mente e para o espírito. 

Você desconecta em algum momento?  Sem ser a hora de dormir, claro. 




sábado, 19 de março de 2016

Crise Política!




Os últimos dias foram bem chocantes e cansativos.  Fiquei estarrecida com a cara de pau da presidente e seu partido para proteger o Lula.  Para impedir que ele seja preso. Colocar o cara como ministro para que ele tenha foro privilegiado foi o fim. E pior, ver que ele foi empossado para mandar em tudo. Ou seja, a presidente que, vamos falar a verdade, nunca governou, resolveu abrir mão de vez de sua posição e entregá-la ao Lula. A Presidente Dilma instalou no Brasil uma República Parlamentarista, temos um Primeiro Ministro!  Isso sem consultar o povo, sem fazer os ritos necessários para que uma mudança deste porte possa acontecer legalmente.   Mas o PT não se preocupa em cumprir as leis, se preocupa em se safar de suas encrencas, não importe o que tenha que fazer. É isso que temos visto estes anos todos e que agora alcançou o ápice.  Nosso país afundado na crise econômica e a presidente com uma única preocupação: Salvar o Lula da investigação! Temos que lembrá-la que ela foi eleita para governar para o povo brasileiro e não para se dedicar  a um único cidadão. 

A instabilidade política que se instaurou é preocupante. Mas ao mesmo tempo fico aliviada em ver há gente tentando impedir que a bizarrice da posse do Lula como Ministro seja anulada. Virou uma novela, ele perde e retoma o título de ministro numa velocidade absurda. No momento não dá para saber qual será a decisão final.   

Ando cansada desta guerrilha política que se instaurou.  O lado dos petistas jurando que eles não têm ódio a ninguém e que quem é contra eles os odeia! No entendimento deles não pode haver uma oposição à nada que eles façam, afinal, eles são os salvadores da pátria, os seme-deuses intocáveis. Não, não são. E eu não tenho ódio deles e de ninguém que os apoie. Apenas não concordo e não consigo entender como alguém ainda apoie este partido após tanta roubalheira! O argumento que todos roubam não vale! Isso é falta de caráter!  Não é por ter um país onde os políticos estão afundados na corrupção, que vamos ter que nos conformar e deixar como está. Não, não podemos! 

Não podemos deixar que eles desmoralizem a nossa opinião ou que rotulem todos que são contra eles. Sou contra PT mas não sou a favor do Collor e seus amigos ultra-corruptos. Uma coisa não implica a outra. Aliás, falando em Collor, lá nos idos de 1989, segundo turno da Eleição para Presidente, eu votei nulo! Nulo porque nem Lula e nem Collor mereciam meu voto. Com tristeza anulei minha cédula de votação, mas não tive saída. Nenhum dos dois presta!  

O momento é tenso, mas temos que manter a calma para não descambar para o descontrole civil. Não podemos cair nas picuínhas que querem criar. Há histerismos dos dois lados. Isso não leva à nada.   Não vou me deixar que me patrulhem! Não vou deixar de usar vermelho só por medo de ser rotulada como petista.  Não vou deixar que me rotulem como facista só por não apoiar o PT.  Não ao radicalismo e às conclusões rasas!  

Quero que as investigações prossigam até o fim. Que prendam quem tenham que prender. Quero meu país de volta, meu país rumo ao progresso novamente. Me chocou ver ontem um ato em prol da democracia do Brasil onde o que menos se via era uma bandeira do Brasil. Aquilo não foi um protesto em favor do Brasil e sim de um partido. A cor do meu Brasil não é vermelha, quem luta pelo Brasil tem que carregar as cores do país em primeiro lugar e não as cores de um partido! 





domingo, 13 de março de 2016

Chega de Falatório!




Cansada de tanto falatório. Cansada de brigas políticas na internet e fora dela.  Ninguém sabe lidar com a opinião contrária. Se o outro discorda, o outro é meu inimigo. Ponto. Conversa civilizada é coisa de outro mundo.  Pelo menos é o que parece hoje em dia no meio desta turbulência política que vivemos no país.  É todo mundo querendo obrigar o outro seguir o seu pensamento. 

Se você vai na manifestação é da elite branca mimada, se não vai é petista.  Ninguém pensa que há pluralidade de pensamento e de posição política. Não há esta dualidade que exigem de todos.  Há nuances no meio disso tudo. Radicalizam tudo e querem etiquetar as pessoas, definindo o que cada é. Como se o outro soubesse de mim melhor que eu! 

É uma patrulha absurda. Cansativa.  Ninguém precisa optar por A ou B, ninguém precisa sair escrevendo textão no Facebook para se posionar. Se quer ficar na sua, sem se pronunciar ótimo! Se quer espalhar para o mundo o que pensa, ótimo também! Mas quem quer falar tem que saber ouvir e tem que ter ciência que nem todo mundo vai discordar, tem que saber digerir a idéia contrária e saber ignorar também. Afinal, se o outro usa a agressividade para expressar a sua discordância, não merece nem resposta. Para quê descer no mesmo nível de alguém não-civilizado?  A gente só se desgasta.  

Últimamente eu não publico nada de cunho político nas redes sociais.  Sem paciência para debates que não levam à nada.  Uma discussão política na timeline não vai mudar o país. Só vai me cansar a beleza.  O que muda é o voto certo. Pensar em quem votar e não votar por brincadeira.  

Hoje não vou à manifestação. Calma lá, não é por isso que você pode me etiquetar como petista. Sim, provavelmente pensou nisso já. Não sou petista e nesta encarnação é impossível que eu vire petista.  Não tem como. Nunca concordei com a posição política deles e isso desde sempre, desde antes dos escândalos.  Não vou por não querer servir de material para propaganda de políticos que não gosto. Não vou servir de massa de manobra para estes radicais direitistas. Sem chance, ver a minha imagem presa aos políticos da ala evangélica que têm  pensamentos atrasados, nunca. Nunca mesmo.  Para mim são tão prejudiciais como os petistas. 

Sim, eu não estou me lá, nem cá. Eu sou a favor da democracia e de um governo justo e não corrupto, que governe o país e não fique apenas preocupado em proteger os amiguinhos com problemas na justiça. Que a justiça feita, doa a quem doer.  Se não sobrar um político limpo, paciência. Começamos do zero. 

Quero um governo limpo, que governe para todos. Não apenas para quem siga sua religião ou o seu partido. Quero um Brasil democrático de verdade, livre de amarras com o velho jeito de governar que privilegia a troca de favores, um Brasil laico, governado mesmo para todos os cidadãos!  


Que venha o novo tempo! Um tempo mais honesto, um tempo mais suave, um tempo de prosperidade! Chega de crise ética e financeira. Já deu!



sexta-feira, 11 de março de 2016

Gente Que Ama Novelas



Esta indireta do bem caiu direitinho para mim, pena no momento não haja nenhuma novela no ar para ser amada por mim.  Desde que 'Além do Tempo' acabou, entrei numa fase sem novelas. Uma tristeza, pois amo acompanhar uma novela. Amo me emocionar por uma novela. Amo xingar quando o vilão da novela apronta muito! 

As novelas  da Globo que estão no ar hoje em dia não despertam nada em mim. Quer dizer, despertam raiva por serem ruins. Só isso.  Mas e a novelinha das 6 que todo mundo gosta?  Como não sou todo mundo, eu não gosto. Pensei que ia curtir a novela, mas achei o protagonista muito tonto, o cara não é ingênuo não, é um idiota completa de tão bobo que é!   Erraram na escolha do protagonista, se tivessem escolhido o Zé dos Porcos, a novela seria uma delicia de ver, pois esta personagem é um caipira cativante e realmente engraçado.  As cenas que ele faz com a Mafalda são muito engraçadas!  Só de pensar na cena do cegonho, começo a rir.   

A novela da 7 é outra bobagem, uma variante da Malhação.  Tem atores que amo de paixão, mas o roteiro fraquinho está bem aquém do talentos dele. Uma pena mesmo. A novela das 9, que termina hoje, me dá raiva. Era uma novela que prometia tanto, e virou uma porcaria, com um enredo mal amarrado e que ficou dando voltas no mesmo lugar por meses. Outra obra com muitos talentos desperdiçados. 

Espero que a partir de segunda-feira eu tenha uma novela para amar. Estou bem curiosa com 'Velho Chico', as propagandas prometem uma novela maravilhosa.  Mas não dá para saber, só depois dos primeiro capítulos saberei se valerá a pena sentar no sofá depois do jornal para seguir a trama 6 vezes por semana. Sim, sou noveleira mesmo, das que não perde um só capítulo quando ama a novela.  Isso é tão bom! Estou com saudades de ter uma novela que me prenda no sofá! 




terça-feira, 8 de março de 2016

O Amor Acabou




O amor acabou ontem. Terminei de assistir os 10 episódios de ´Love'. Felizmente foi apenas a primeira temporada. Acabei de ver no IMDB que o seriado Love da Netflix já tem uma segunda temporada confirmada. Viva! Uma série tão diferente e tão real merece vida longa! 

Quando vi a série no menu da Netflix, fiquei curiosa e já achei que fosse adorar. Claro, adoro filmes românticos, sou daquelas que chora no cinema durante o fina feliz!  Mas a séria não tem nada a ver com os filmes românticos que tanto adoro. Levei um choque de realidade no primeiro episódio! Tudo muito direto, sem firulas ou intenção de deixar as situações mais fofas. 



O seriado tem como protagonistas a dupla Mickey (Gillian Jacobs) e Gus (Paul Rust), que acabaram de ficar sozinhos depois de longos relacionamentos que não eram lá muito felizes.  A vida faz com que eles se trombem em Los Angeles e assim começamos a companhar o convívio dos dois. Rola uma afinidade entre eles, mas tudo bem estranho e quase sarcástico. Mickey está longe de ser a moça sonhadora e romântica e Gus nem de perto lembra um cara galanteador. Os dois são bem desastrados no quesito romance. 

O seriado foca muito nas situações desconfortáveis que um relacionamento que está no começo. Como se comportar, quando procurar, o que falar, o que mandar no zap zap, estas são algumas perguntas que rodeiam a cabeça do quase-casal.  Para complicar, os dois fazem burradas épicas um com o outro, mas ela que ele, é verdade. São coisas tão reais, que mesmo que a gente queira negar, acaba se identificando. É, amor na vida real é assim, muitos desencontros, muitas burradas! 

Gostei muito que mostra muito a insegurança de cada um deles. A insegurança sempre é um baita inimigo na nossa vidade, seja na parte romântica ou não. A insegurança pode nos paralisar, atraso de vida mesmo! 

Me encantei pelo seriado por ser exatamente diferente das histórias de amor que já vi por aí. Me encantei com a verdade das situações, mesmo ficando incomodada muitas e muitas vezes. É muito bom ter um banho de realidade  em uma época onde todos parecem ter a obrigação de mostrar ao mundo que a vida é um conto de fadas!