sábado, 22 de março de 2014

Frozen



Estou escutando a música 'Let It Go' sem parar, já perdi a conta de quantas vezes a escutei desde que dei o primeiro play no video lá no You Tube.  Música linda em um filme encantador. Um filme com belas imagens, cenários em tons de branco e azul, com muito gelo e muita neve.  'Frozen'(USA/2013) tem o título perfeito, pois  em grande parte do filme está tudo congelado, um frio polar, provocado pelo poder da princesa  Elsa.

Elsa, a princesa com o estranho poder congelante, não é na verdade uma vilã. É uma menina que cresceu solitária pelo receio que seus pais tinham que ela machucasse alguém com o seu poder. Assim, Elsa torna-se uma pessoa amargurada, sem alegria e muito sozinha.  Uma determinada situação provoca sua ira e ela acaba, sem querer, congelando todo o seu reino.  Quem entra em ação para salvar o reino e a princesa, é a alegre Anna, irmã mais nova de Elsa, uma menina cheia de vida e com sede de aventuras e  de amor. 

Durante sua empreitada de salvar a irmã, Anna conhece Kristoff e seu alceu Swen, uma dupla muito cativante que a ajuda em tudo e provam ser amigos de verdade.  O trio também encontra com o Olaf, um simpático boneco de neve. Fiquei fã do Olaf, ele me fez rir muito. 

O filme tem muita música, é quase um espetáculo da Broadway, pois há dialogos em forma de canções.  Eu adorei, pois sou fã de musicais. Mas quem não curte, pode achar o desenho um pouco cansativo.  Eu assiste a versão em Inglês, adorei as canções, todas muito lindas.

Este filme entrou para a minha lista de preferidos de sempre e me emocionou! 




quinta-feira, 20 de março de 2014

Uno



Acho que eu devo ser a única pessoa desta terra que nunca tinha jogado Uno. Já tinha ouvido falar neste jogo de cartas, já tinha visto por aí, mas nunca tinha jogado.  

É um jogo bem fácil e muito dinâmico. A situação de cada jogador na partida muda radicalmente de uma hora pra outra. Num momento você está com apenas uma cartinha na mão, pronto pra bater e de repente tem que pegar um monte de cartas!  

O objetivo do jogo é ficar sem nenhuma carta na mão antes dos outros jogadores.  Mas para isso, além de ter a sorte de pode descartar as cartas sem ter que comprar nada do monte, é necessário driblar as cartas especiais que fazem o adversário ter que comprar várias cartas e ter que se conformar que a quase vitória virou uma derrota praticamente certa. 

Joguei somente em dois e estou bem curiosa para experimentar um jogo com mais participantes, na caixinha do jogo diz que uma partida pode ser jogada por até 10 pessoas. 

 E  você já jogou? Gosta? Eu virei fã! 


quarta-feira, 19 de março de 2014

Cansei




Ontem desliguei a TV antes do Pedro Bial anunciar o eliminado do BBB.  Pela primeira vez em anos de programa, perdi o interesse.  Já não estava muito entusiasmada com esta edição, ninguém tinha despertado em mim uma grande empatia. Mas simpatizava com um ou outro e ia assistindo.  Mas  depois que o único cara que tomou a atitude correta foi colocado como vilão, desisti. Grave  também foi a postura da direção e do apresentador do programa, que trataram como uma bobagem o comportamento do Marcelo, que tentou se aproveitar da Angela, que estava totalmente bêbada. O cara quis se aproveitar da menina, mesmo depois de ter ouvido muitos nãos, mas mesmo assim , aproveitou o porre da garota para se encontrar e até dar um beijo!  Cássio saiu em defesa da Angela e a casa se virou contra ele. Disseram que ele exagerou e que não havia acontecido nada demais. Aconteceu sim, a menina disse não, a menina não tinha condições de se defender e o cara se aproveitou da situação.  O comportamento dos outros participantes apenas reflete o pensamento da nossa sociedade, que acha normal um cara mexer com uma mulher na rua, que acha que a mulher nem tem o direito de reclamar quando isso acontece.  Ou seja, falar 'elogios' para uma mulher na rua ou mesmo tentar se esfregar numa menina bêbada é considerado  normal, como se fizesse parte da natureza do macho e que a mulher tem que apenas se conformar e aguentar. Mentalidade idiota de gente machista que acha que a mulher tem que se submeter à vontade do cara. 

Os vídeos do programa deixam bem claro o que aconteceu. O comportamento do Marcelo foi totalmente errado.  Angela não se lembra da nada e se deixou levar pela opinião dos outros e até pediu desculpas para o cara!!!  Enfim, o cara que teve a atitude errada saiu como vítima e o cara que defendeu a menina saiu como vilão. Tudo errado.  Tão errado que o público votou para este cidadão ficar no programa.  

Outra coisa que me deixou bem desanimada foi a censura imposta pela Globo ao UOL, impedindo que o portal continuasse com a sua cobertura do programa. A alegação é que o UOL ganha em publicidade ao fazer a cobertura do realy show. Mas que jornal hoje em dia não tem propaganda nas páginas de notícias? Todos têm. Este argumento é infundado. Ficou claro que a Globo ficou incomodada com a cobertura imparcial que o sempre fez do programa. Numa edição onde os acontecimentos estão sendo distorcidos na edição de maneira exagerada, ter um portal que faz uma cobertura imparcial é um problema. O pior de tudo que teve um juiz que concordou com isso e  fez que a censura fosse efetivada. 

Tudo errado. Uma vergonha. 

sábado, 15 de março de 2014

Nova Vida






A vida não tem manual, mas acabamos sabendo   qual o melhor jeito de se comporta em algumas situações. Seja porque lemos um livro de etiquetas que ensina a não cometer gafes, seja porque presenciamos situações similares ou mesmo porque tínhamos para quem perguntar como  se comportar em determinado momento. Mas há momentos que ninguém pode nos ajudar, que a gente tem que descobrir sozinha como se comportar, como lidar com todas as questões que aquele momento  implica.

Eu estou passando por um momento assim. Certa da decisão que tomei, porém incerta de como lidar com esta questão na vida cotidiana. Como contar para os outros? Deveria ter feito um comunicado geral? Ou continuar low profile?  Eu realmente não sei qual o jeito certo, estou tentando fazer o meu melhor, tentando não fazer auê de algo que, no fundo, não diz respeito a mais ninguém, mas que ao mesmo tempo é algo que não quero esconder de ninguém.  Mas percebi que sou boa de contar novidades ruins, pois  nunca fui de sair contando meus problemas para os outros. Como diz uma amiga minha, sou a pessoa mais fechada que ela já conheceu.  Por isso, amigos mais próximos, não fiquem chateados porque não comentei nada até agora.  Precisava do silêncio para  aprender a conviver com a minha nova situação. Tentar levar uma vida normal apesar de tudo.  Acho que estou conseguido, apesar de alguns momentos de fragilidade emocional enorme. 

Desde janeiro eu não vivo mais com o Wally.  Não vou aqui entrar em detalhes, pois são coisas de vida de casal que só dizem a respeito a nós dois. Mas cabe aqui dizer o mesmo que os astros de Hollywood dizem quando se separam: Diferenças irreconciliáveis!  Porque no fundo, nunca é uma coisa só que provoca o desgaste na relação. Enfim, a conta começou a ficar negativa, muito mais problemas que momentos bons.  Como não quero virar inimiga da pessoa com quem dividi 12 anos  de minha vida, o melhor caminho foi a separação.  Ainda tudo está bem recente.

Por isso que este blog aqui está parado. Sempre fiz questão de ser sincera por aqui. Meu blog sempre foi um blog sincero, um reflexo da minha vida. Mas nestes últimos meses eu não tinha condições de escrever. Como disse no começo, não queria sair contando pra todo mundo que me separei, não porque quisesse esconder, mas porque não queria ouvir comentários lamentosos ou questionamentos. Durante esta fase descobri que tenhos amigos que me apoiam 100% e os melhores primos do mundo. Sugarbaby e Daniel têm me apoiado muito também. Recebi demonstrações de carinho lindas, que me acalentaram o coração num momento tão complicado. Obrigada a todos que têm me ouvido nestes últimos meses. 

É isso.  



domingo, 2 de março de 2014

Non-Stop




Hoje teve uma hora que o coração disparou no cinema. Culpa de uma cena do filme "Non-Stop' (2014-USA/FR), que me deu um baita susto.  Susto provocado por uma cena totalmente inesperada, como deve ser  todo filme de suspense que se preze.  "Non-Stop" é um filmão, que entretém o espectador  com suas cenas de ação e faz que a gente fique pensando sem parar para tentar adivinhar que é o vilão. Um filme  nada óbvio  e com um roteiro muito bem elaborado. Eu não consegui adivinhar quem era o cara mau do filme. 

Praticamente toda ação do filme acontece dentro de uma aeronave, durante um voo entre Estados Unidos e Inglaterra.  Bill (Liam Neeson) é um  policial federal que atua na divisão que cuida da segurança em voos comerciais. Parte de seu trabalho é viajar disfarçado de passageiro comum para identificar  ameaças de ataques aos voos. 

Aparentemente não há nada de errado neste voo. Mas, logo depois da decolagem, Bill recebe mensagens de alguém informando que passageiros irão morrer caso não seja pago o dinheiro pedido.  E aí começa toda a tensão do filme, Bill deve levar à sério a ameaça? Ou seria apenas uma brincadeira de mau gosto?  O que ele deve fazer? Em quem ele pode confiar?  Tudo é muito nebuloso,  a gente não sabe exatamente o que está acontecendo. Bill também se sente assim, sem saber o que fazer. 

São quase duas horas de muitas dúvidas. Fiquei totalmente vidrada no que acontecia na telona. As cenas na aeronave são muito bem feitas, até a classe econômica é bem apertadinha, como é na vida real.  Tudo realmente parece que acontece dentro de um avião de verdade. Fiquei impressionada com o cenário, muito bem feito. 

Assisti à versão legendada no cine Kinoplex do Shopping  Vila Olímpia. Nesta versão todas as mensagens de texto foram traduzidas para o Português. Achei muito bom terem feito isso, pois estas mensagens são muito importantes no roteiro, são os diálogos do Bill com o bandido e teria ficado ruim a gente ter que desvia o olhar das mensagens, apresentadas de maneira muito bacana durante o filme, para ler as legendas.

Se você gosta de um bom filme de ação, não pode deixar de ver este filme.