Bem reservada




Sou uma pessoa reservada. Sei que esta declaração pode parecer um tanto contraditória para quem tem um blog pessoal, afinal aqui eu relato experiências pessoais, minha vida cotidiana. Mas mesmo assim continuo sendo uma pessoa bem reservada, pois alguns assuntos permanecem no âmbito privado e nunca aparecem nos meus posts. Neste aspecto eu sou bem caretona, pois acho que há assuntos que não devemos ficar comentando por aí. Podem reparar que, apesar de eu contar muitas coisas da minha aqui, nunca relatei as estripulias embaixo dos lençóis ou momentos de brigas familiares. Primeiro porque acho mesmo que isso tem que ficar só entre as pessoas envolvidas diretamente e depois porque aqui é meu blog e não o meu diário. No meu diário cabe tudo, aqui não. Aqui sou sincera até o ponto que a minha vida invade a intimidade dos outros. Eu, que sou a blogueira, já não me sentiria à vontade relatando situações íntimas, imaginem os outros envolvidos vendo suas vidas comentadas publicamente! Nem em conversas eu falo certas coisas. Não gosto , não acho apropriado. Outro dia estava no trabalho na hora do meu lanche-almoço e comecei a ouvir risadas altas. Segundos depois sintonizei no assunto, até meio sem querer, pois a pessoa falava muito algo. Era uma funcionária contando, quase aos berros, sobre suas aventuras sexuais com o namorado (ou ficante, sei lá!). E tinha de tudo, desde a ótima performance do cara e a sua brochada mais frustrante. Um horror. O pior que o ambiente é pequeno, portanto não tinha como fugir. Tive que ficar lá escutando as histórias enquanto eu comia. Total falta de postura da pessoa. Fico pensando, eu não teria uma conversa assim com os amigos nem na minha casa, quanto mais no meio do trabalho! Realmente eu não consigo pensar em outra motivação para este tipo de conversa do que auto-afirmação. É querer aparecer. No final das contas fiquei bem incomodada com isso tudo, achei uma falta de respeito com o tal cara que era o personagem das histórias e com os outros funcionários que ali estavam e que não queriam escutar tais declarações íntimas. Eu não era a única incomodada. Realmente tem gente que não sabe se comportar em certos ambientes. Ambiente de trabalho, definitivamente não é lugar para se comentar das suas aventuras sexuais. Aliás,o meu lado caretão sempre me diz que estas coisas não se deve ficar contanto por aí. Ninguém precisa saber o que eu faço embaixo dos lençóis, só interessa para quem estiver comigo. Por isso posso dizer que que sou uma pessoa bem reservada e acho que continuarei sendo assim.




Comentários

  1. eu tb sou bem reservada e me incomodo com comentários anônimos na internet: frases como: tem gente no trabalho q não tem noção. acho estranho alguém falar isso publicamente pq todo mundo vai ficar se perguntando quem é o sem noção. e alguém mais inseguro no trabalho dela q ler aquilo e vestir a carapuça pode mudar com essa pessoa e nem ser ela. ou dá o nome de quem quer atacar, q é ruim, mas pelo menos não coloca muita gente na berlinda. ou não fala nada. eu prefiro não falar nada. a pessoa acha q pq acusa alguém sem dizer o nome não é ruim, mas é. ou dizer, uma amiga minha vcs não imaginam o q ela fez. pronto, a coitada da amiga poderá ter o segredo revelado pq vão chover perguntas: quem e qual segredo e na pressão a pessoa pode revelar. péssimo, péssimo. o melhor mesmo é pensar o q falar na internet e na vida real. acho q falar questões íntimas no máximo em uma conversa reservada, mesmo assim precisa ter cuidado mesmo. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. ah, não sei se vc leu na revista exame uma vez as leis da máfia. e lá dizia que segredo é segredo, q bastou contar pra um já não é mais segredo e é verdd. pq um pode contar pra outro em segredo e por aí vai.

    ResponderExcluir
  3. Pedrita, eu também, um segredo contato para alguém já era. Deixou de ser segredo. E acho que certos assuntos somente em conversas íntimas e um interlocutor bem escolhido.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Concordo com você, tem coisas que ninguém precisa ficar sabendo. Mas tem gente que se sente bem contando, mesmo que os outros não estejam interessados em ouvir. Eu não falo e não gosto de ouvir, mas às vezes a gente não consegue mesmo fugir...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Com as minhas amigas eu nao dou detalhes de nada, só me reservo o direito de dizer: "foi bom" ou "nao foi bom", mas nao digo por quê. Eu trabalho numa equipe de 90% homens e aprendi a escutar de tudo e rir. Eles agora se sentem mais a vontade com minha presença, pq sabem que nao vou me escandalizar. Mesmo assim, as conversas masculinas sao diferentes das femininas. Eles nao falam sobre seus temas íntitmos, mas sobre as mulheres em geral. Exemplo: "Tal mina está terríble!". hahahah

    ResponderExcluir
  6. Patry, entre amigas, conversamos sim sobre sexo, mas sem expor os companheiros, claro.
    trocamos experiências, damos dicas e nada mais, só que isso tem hora e lugar certo!
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Rê, isso que me incomoda, falar de assuntos íntimo no meio de todo mundo. Se é íntimo, tem que ser falado em lugar reservado,né? As pessoas não tem noção.

    Mari, nestes casos o jeito é se acostumar!

    Sheila, exatamente o que eu acho, tem que ter lugar certo e com as pessoas mais chegadas também.

    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta