Aquele Que Tudo Vê

Um dia normal na minha vida


Os episódios do Black Mirror sempre colocam momentos chocantes da vida cotidiana em um futuro próximo e muito parecido com a nosso mundo de hoje. Sempre me fazem pensar quão longe estamos da triste realidade que o seriado nos mostra.  

Acho que já estamos vivendo isso, a única diferença é que ainda não temos acesso às tecnologias tão avançadas que são mostradas no seriado. O nosso cotidiano já foi impactado pela interferência da vida virtual em nossa vida real. Todo mundo conhece casos de gente que mostra nos facebooks da vida uma realidade bem distorcida da vida real. 

Chegamos em um  ponto onde o que importa é o que é publicado e não o que é vivido. Se você teve um momento megablaster legal e não tirou foto, ele praticamente não existiu. Porque ninguém viu, ninguém deu like. Eu mesma já me vi neste impulso automático de querer dar check in em todo lugar que eu vou ou mesmo tirar foto de cada prato que peço num restaurante. Hoje tento ter mais parcimônia nas minhas publicações.  Comecei a notar que o compartilhamento da minha vida cotidiana estava exagerado, quando não dei check in num bar que fui com Wally e achei que estava fazendo algo escondido!!!  

Atualmente, parece que temos obrigação de mostrar o que estamos fazendo. Se não fizermos, parece que estamos escondendo dos outros, como se estivéssemos aprontando. Totalmente fora do normal isso. 

Mês passado notei que o registro de nosso cotidiano ficou compulsório. Mesmo que a gente não faça nada, está lá o nosso celular marcando literalmente cada passo que a gente dá. No meu caso, que uso um celular com Android, o meu stalker é o Google Maps.   Ele registra onde eu vou e qual o meio de transporte utilizado. Clicando na função 'Trilhas', ele mostra todos os meus destinos do dia. E ele é bem preciso. Espantoso.  

Claro que eu posso desligar a localização de GPS do meu cel e tudo isso para.  Mas eu não quero, achei engraçado isso de ter tudo registrado. Na verdade, gosto de olhar o quanto caminhei a cada dia. Mais fácil olhar por ele do que ficar ativando e desativando o Endomondo toda vez que ando a pé. E isso pode ser prático se um dia tiver alguma encrenca com a polícia e vierem com a clássica pergunta: "Onde a senhora estava dia tal e hora tal?" Basta pedir um instante para o seu policial e procurar a data no Google Maps e pronto. O meu tem registros desde 2014. Até os meus passos por San Francisco estão marcados lá! Confesso que fiquei toda saudosa quando me deparei com os meus passeios por lá. 

E você? Já viu se o seu celular virou o seu stalker particular?  Como se sente com isso? 


É sempre bom refletirmos sobre esta vida moderna e conectada, para fazermos o que realmente queremos e não  apenas seguirmos os outros como Lemmings. Podemos acabar no fundo do precipício se não soubermos como lidar com estas questões. 


Comentários

  1. o que sempre me impressiona com esse acompanhamento dos nossos passos, são os acidentes. a dificuldade de se localizar um avião que caiu no mar, mesmo com tanta tecnologia de rastreamento. eu não gosto de dizer sempre onde vou, o q eu estou fazendo. gosto de um certo anonimato. tb não ligo do gps dizer onde vou, por onde ando. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Eu ando bem cautelosa com todo esse registro online, seja compulsório ou não, acho desnecessário e as pessoas (eu inclusa) investem tempo e energia demais nisso enquanto deveriam estar vivendo. Um dos motivos de eu ter deletado meu facebook e tudo mais que pude. Mas 100% anônimo é difícil ficar, a menos que não tenhamos mais celular, computador, nada... mas aí fica impraticável a menos que a gente viva numa dessas vilas de subsistência que são isoladas do mundo (não seria má idéia rsrs). Essa coisa do mapa é assustadora se pensarmos em como essa info pode ser usada se cair nas mãos erradas, mas assim como você eu adoro ver por onde andei e abro mão da privacidade em nome dos mapas personalizados (mas não publico nem compartilho em lugar nenhum).
    Esse do Google Maps funciona só no Android? Não sabia dele! Também uso o Endomondo e sempre esqueço de ligar!

    ResponderExcluir
  3. Você levou quase meia hora pra andar 2,7 km no metrô? É isso? Vai a pé que é mais rápido, rsrs!! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Re, parece muito mesmo! rs Mas eu acho que ele contabiliza a hora que entro no metrô e depois faz as contas do momento que o GPS ficou ativo de novo, saindo da estação. Eu pego metrô para andar 2 estações na ida e idem na volta. Quando faço o trajeto a pé, dá uns 35 minutos. De metrô dá uns 10 no máximo cada trajeto. Beijos!

      Excluir
    2. Sabe que aqui até a empresa de metrô tem mapas dizendo quanto tempo leva a pé entre cada estação, comparando com o tempo de metrô, porque contando com o tempo de entrar, ir até a plataforma e sair, muitas vezes é mais rápido ir a pé pra percursos menores, assim eles esperam que as pessoas andem mais e entupam menos o metrô rs! Não lembro como era aí, mas aqui tem estação que da porta da rua até a plataforma já é uma viagem!

      Excluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta