Pular para o conteúdo principal

Não Tem Desculpa. Foi Assédio. Foi Errado.






Fiquei muito incomodada com a carta do ator José Mayer assumindo que assediou a figurinista Susllem Tonani. Nesta carta ele mostra que realmente  acha que não fez nada de errado. Ele afirma que  o que ele fez tornou-se errado nos tempos atuais e que ele, desavisado, não sabia que era errada a sua postura em relação à moça.  Ele nomeou o ocorrido como brincadeira! Como pode ser brincadeira algo tão invasivo, que incomoda e magoa a outra pessoa? 

É triste notar nas reações das pessoas que muitas acham que errada é a moça. Que a moça é fresca por se incomodar com tais 'brincadieras'. A mensagem que estas reações passam é clara: Muita gente ainda acha que nós mulheres temos que estar sempre disponíveis para aturar os ataques dos machos e que temos que fazer isso com um sorriso no rosto. Quem reclama é fresca ou mal amada!

Antes de falarem aqui que é discurso radical feminista, digo que é antes de tudo uma questão de respeito ao próximo! Sim, respeito!  Se a pessoa não te deu intimidade, não faça comentários de cunho íntimo, não invada o espaço do outro. Respeite, seja um ser civilizado, é pedir muito? Não é, é apenas esperar por um comportamento respeitoso em uma sociedade do século XXI que é, aparentemente, civilizada. Antes de fazer ou falar algo para alguém, pense como a outra pessoa vai se sentir. Pense se aquilo que você acha uma inocente brincadeira vai machucar o outro. E claro, preste atenção, se a pessoa disse que não curtiu, respeite, não ache que está apenas fazendo tipo. Se as pessoas respeitassem mais as outras, este nosso mundo seria muito melhor. 

Outro ponto que devemos levantar nesta história: O abuso de poder. Ele, ator famoso, achou que podia impor as suas taras para a moça, funcionária da emissora.  Ele intimidou a moça com a sua posição, usou disso para continuar com os comentários inadequados.  
Infelizmente isso é comum, todo mundo já escutou histórias assim. Não podemos admitir este tipo de coisa, temos que denunciar sim. A moça fez o certo. Teve coragem de denunciar. Mas quantas não têm a mesma coragem? Quantas têm medo de denunciar e serem ridicularizadas?

Quase todas já passamos por alguma situação similar.  Desde ter que ouvir cantadas de baixo calão nas ruas ou  se desvencilhar de caras querendo nos agarras na balada ou no carnaval. Eu parei de frequentar bailes de carnaval por isso, impossível pular carnaval sem ser incomodada. Os caras acham que estamos lá disponíveis e ficam bravos quando os afastamos. Um horror. 

Não há desculpas, o ator não pode culpar a sua criação machista pelo que ele fez. Ele não respeitou uma colega de trabalho, isso é falta de educação, falta de caráter. Ele simplesmente não pode falar que achava que tava tudo bem.  Claro que ele via a reação negativa da moça em relação às suas investidas, e isso nunca o incomodou. Foi  se incomodar apenas  agora que tudo veio à público, mas se incomodou porque viu seu nome em um escândalo. Só por isso. 

Foi falta de respeito. E não há como tentar suavizar o fato. Ele errou. E muitos outros homens erram, mas nada acontece. Temos que mudar isso. O assédio tem que parar. Nós mulheres temos o direito de sair na rua, trabalhar, nos divertir sem nos sentirmos acuada e/ou incomodada por homens que não têm respeito, que invadem nosso espaço. Que nos desrespeitam, que querem impor a sua vontade à nós. Respeito é algo essencial na vida de em sociedade. E não há desculpas. 








Comentários

  1. em matérias sobre assédio e buillyng falam sempre que nunca é brincadeira quando um não está gostando. se a pessoa não quer, não se faz e ainda se pede desculpa. bom, nem tenta se fazer. eu imagino ainda a pressão que a moça sofreu quando reclamava, muitas amigas deviam dizer que seria um sonho um galã como o josé mayer desejá-la. enfim. não deve ter sido fácil ela odiar e querer que parasse o que nem devia ter começado. realmente a diferença hierárquica complica mais a situação. às vezes a pessoa precisa de um emprego e se sujeita a verdadeiros absurdos. eu não tenho vergonha de ser feminista. e os ataques ao feminismo são exatamente uma tentativa de intimidar, minimizar e desqualificar o feminismo para que ele fique desacreditado. o carnaval é mesmo um problema. há uma ideia no brasil que no carnaval qualquer corpo é de todo mundo. um ranço do machismo pq raramente mulher passa mão em homem que dirá em partes íntimas. no início ele negou a denúncia. só depois de ser afastado de uma novela se manifestou.

    ResponderExcluir
  2. Eu quase gravei um vídeo no meu canal sobre isso, mas para evitar conflitos evitei.
    É um absurdo o que o José Mayer fez.
    É crime e como todo crime deve ser punido, não basta um pedido de desculpas. Isso não apaga o ato que cometeu e a vergonha que ele fez a figurinista passar.
    big beijos
    www.luluonthesky.com

    ResponderExcluir
  3. As pessoas ainda tem muita dificuldade de entender que se a "brincadeira" não é bem aceita, então não é brincadeira, é ofensa. Como se o conceito de "brincadeira" fosse um só pra todo mundo (baseado no que a pessoa que fez a brincadeira pensa, lógico). E aí quando se torna público, o autor da gracinha se "desculpa" por pura obrigação. Tenho asco disso tudo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Quando eu comprei a minha máquina de lavar  com secadora embutida, achei que não teria mais que colocar nadinha no varal para secar. Que seria apenas colocar na máquina e depois só levar para o cesto de passar roupa, pulando por completo a chatíssima etapa de tirar as roupas da máquina e pendurar no varal.  Na maior parte do tempo é isso que acontece, economizando muito tempo e paciência. Mas infelizmente tem muita roupa que não posso deixar para secar na máquina. 
Depois que comecei a usar a secadora, me dei conta da quantidade de roupas vendidas por aqui que apresentam o símbolo de proibido secar em tambor na etiqueta.  Não pensem que falo de roupas mais delicadas, como roupas para festas. Roupas do dia a dia, como simples camisetas, vêm com este  frustrante símbolo estampado em suas etiquetas. É um absurdo nos dias de hoje ainda se fabricam roupas que não aguentam uma secagem de máquina. Com certeza há tecnologia para fazer tecidos que aguentam o tranco, mas por alguma razão, as rou…

Papel e caneta

Eu nunca tive uma letra muito bonita. Na época de criança a minha letra era feia e grande. Nunca conseguia ir bem nas aulas de caligrafia, não conseguia escrever dentro dos limites daquelas linhas diminutas. Na época do colegial minha letra melhorou, deixei a letra cursiva de lado e passei a escrever com letra de forma.O meu jeito de escrever é inspirado na letra do meu pai, que escrevia em letra de forma e tinha uma letra linda. A minha letra nem chega perto do jeito lindo que ele escrevia, mas é bem legível. Mas ultimamente venho notando que a minha letra está piorando. Tenha escrito do modo convencional, usando papel e caneta, cada vez menos. Praticamente tudo que escrevo hoje em dia é escrito diretamente no computador ou no celular. Com certeza a falta de prática está fazendo a minha letra piorar e isso me faz pensar que pode chegar o dia em que eu esqueça como escrever. Será que é um temor exagerado? Não sei se realmente pode chegar a isso, mas é fato que cada dia a escrita conve…

Ovono

O nome da bola da foto é Ovono, e na verdade não é uma bola e sim um cérebro artificial. Um ser capaz de assimilar todo o conhecimento do mundo e interagir com as pessoas de forma quase humana. Mesmo sendo muito inteligente, ele não consegue assimilar idéias abstratas como sentimentos, não entender o amor ou a fé.  Este diferente ser é o ponto de partida do espetáculo 'Ovono' que está em cartaz no teatro do Centro Cultural Banco do Brasil em São Paulo. A peça é um história de ficção científica, o que garante o charme inicial do espetáculo, pois é bem estranho pensar um espetáculo teatral com esta temática. Eu nunca tinha ouvido falar de algo assim. Fiquei muito curiosa e Wally mais ainda, afinal, ele ama filmes ficção científica. 
Segunda à noite fomos assistir ao espetáculo e gostamos muito. Além de realmente ser um peça diferente de tudo que eu já havia visto, lida com temas bem complexos. Levanta questionamentos sobre nosso mundo, de como a tecnologia afeta a nossa humanidad…