Amor à Distância


Se o filme "Amor à Distância" ( USA/2010) tivesse menos piadas que beiram à grosseria, entraria para minha lista de melhores filmes da minha vida. Sou um tanto chatinha em relação ao humor, não gosto (e não vejo graça alguma) em piadas grosseiras, assim o filme teve alguns momentos que me chateou. Mas colocando as piadinhas de lado, o filme é incrível, eu gostei muito por ser um filme bem realista, o que é uma raridade em tratando-se de filmes românticos. Em geral os filmes românticos que  eu tanto gosto, têm uma solução mágica para o impasse do casal, bem no estilo conto de fadas. Neste filme não. Não há solução fácil e  Erin (Drew Barrymore) e Garrett (Justin Long) enfrentam muitas dificuldades para manter o namoro. Eles se conhecem em New York, cidade em que Garret vive e onde ela faz um estágio de verão em um jornal. Se vêem e é paixão à primeira vista, um adora o outro logo de cara. Mas há um grande problema, ela vai embora em 6 semanas e vive no outro lado do país, em San Francisco.  Os dois resolvem viver intensamente o tempo que têm juntos e prometem ficar juntos quando estiverem longe. O amor deles é forte e a vontade de ficarem juntos também. Mas manter um relacionamento à distância não é fácil e isso é bem retratado no filme. A saudade é cruel, a falta de convivência diária também impacta no relacionamento e é frustrante querer ficar junto e não ter como. Eles se consomem de saudade, a internet e torpedos ajudam o contato ficar mais freqüente, mas isso não basta. A falta contato físico pesa muito, os faz sofrer. Mas eles não tem como ficar juntos tão cedo, afinal, são pessoas normais, que dependem de um emprego e que não podem largar tudo para seguir o amor da sua vida. É lindo pensar assim, em largar tudo para ir atrás de um amor, mas e o dia seguinte? A vida a dois vai ser suficiente para superar quaisquer frustrações por largar a vida profissional? O filme coloca muito tema importante para se pensar. Coloca o amor em conflito com a vida cotidiana, no âmbito dos sonhos tudo é perfeito, mas a realidade coloca um freio, mostra que será cobrado um preço por cada decisão tomada. O amor de Erin e Garrett é lindo e forte, me emocionei ao ver que os dois realmente se empenham em manter o namoro, que querem ter um jeito de driblar a realidade que sempre parece estar contra a felicidade deles. É um filme romântico diferente, que mostra gente real e não príncipes encantados. Mas se bem que o Garrett, apesar do jeito muitas vezes desastrado, é quase um príncipe encantado, pois é o tipo de homem fofo, que sabe como agradar à sua amada. :)  


Vale a pena ver !

Comentários

  1. Assisti a esse filme no cinema. Desde que vi o trailer fiquei doido pra ver e também gostei muito! Mas, como você, também dispensaria algumas piadinhas bobas de humor pastelão, rs. Mas a forma realista como o tema é abordado também me agradou e é uma das minhas comédias românticas favoritas!

    ResponderExcluir
  2. Rê, eu perdi de ver no cinema. É bom ver uma pouco de realidade na tela. E mesmo sendo real, sem muita fantasias, o filme emociona de verdade. Legal saber que você também gostou do filme. :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Carlos, contar o final faz qualquer filme perder a graça. Assista. Eu gostei do final. :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. eu queria ver com a minha namorada, mas não queria que no fim eles não acabassem juntos, porque eu e ela estamos a passar por uma situação destas e era mau no filme eles acabarem separados ou só amigos :x Percebe..

    Mas deixo meu email, manda a resposta por lá sff

    carlosfilipesantos93@hotmail.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta