Brasileira com moderação


Durante uma conversa com o pessoal do trabalho sobre música brasileira e afins, um colega solta a seguinte frase : " Eu sou um brasileiro não praticante!" Eu nunca tinha ouvido tal expressão, mas entendi perfeitamente o que ele queria dizer. Pois às vezes me sinto um pouco assim, deslocada do espírito brasileiro de ser. Gosto de ser brasileira, mas estou longe de ser uma brasileira típica. Um exemplo: não curto axé, bossa nova e tenho muitas ressalvas em relação à MPB. Mas a tal da brasilidade vai muito além da música, está no jeito de ser das pessoas daqui e nisso é onde eu noto mais o meu distanciamento do brasileiro típico. Aqui as pessoas são muito expansivas, mal te conhecem e parece que criam uma intimidade instântanea. Eu até hoje não sei conviver direito com isso, pois sou muito reservada. Demoro muito para permitir que as pessoas se aproximem de vez de mim e demoro o mesmo tanto para me sentir à vontade com alguém que acabei de conhecer. Eu preciso de tempo para sentir-me realmente próxima de alguém. Ficar íntima de alguém é algo que leva tempo, mas quando acontece é algo para valer. Chego até ficar brava quando noto que alguém quer forçar uma aproximação comigo, de pessoas que se mostram íntimas de mim mesmo não sendo. Acho que pare muitos isso soa como antipatia, mas estou apenas respeitando o meu jeito de ser.
Outro ponto não assimilo da brasilidade é o tal do jeitinho brasileiro. Me irrita profundamente está vontade de tirar vantagem de tudo, de ser mostrar o esperto. Isso é algo tão arraigado em nossa cultura que as pessoas não enxergam que assim estão agindo de maneira errada. Uma coisa bem corriqueira é a falsificação de carteirinhas de estudante para pagar meia-entrada em cinemas e espetáculos em geral. Todo mundo acha muito normal e ninguém enxerga isso como algo desonesto. Eu não tenho carteirinha, nunca tive. Na verdade uma vez fizeram uma para mim e eu nunca usei por achar totalmente errado. Eu não posso ter uma carteirinha pois não sou mais estudante e portanto não tenho direito ao benfício da meia-entrada. Mas ao fazer a coisa certa sou chamada de trouxa por muitos. Não nego que já me senti trouxa, pois, por causa da enxurrada de carteirinha falsificada, eu acabo pagando uma fortuna nos ingressos inteiros. Mas não vou ser conivente com estas pequenas corrupções do dia a dia.
Claro que há coisas daqui que adoro, como o carnaval, a feijoada e novelas. Mas no geral acho que posso afirmar que eu pratico a minha brasilidade com moderação. E acho que é a medida certa, pois assim abro espaço para receber influências de outras terras e povos, e acabo sendo uma mistura de tudo isso. Mas o certo mesmo é que não gosto de generalizações, de ser definida apenas pelo país que nasci. Penso que são as minhas experiências de vida que acabam me definindo, o fato de ser brasileira é apenas mais uma das minhas características. :)


Comentários

  1. Ser brasileiro é isso, uma mistura de tudo. Vc é sim brasileira, pois tem essa característica, mistura.

    Bjos.

    ResponderExcluir
  2. adorei a imagem. amiga, não sei se um brasileiro típico é aquele que gosta de cultura de massa. acho que a cultura de massa existe em qq país e nem sempre aquele q ama muito axé é mais brasileiro de quem não curte. eu sou brasileira de carteirinha porque amo as composições brasileiras, música clássica e contemporânea, os escritores brasileiros, cinema brasileiro. e ainda amo novela, bbb e filmes brasileiros da cultura de massa. eu acho que o jeitinho brasileiro não é mais valorizado, já foi, mas não é mais. e não acho que o politicamente correto de contraponto seja o mais indicado. infelizmente a corrupção no brasil é muito forte e não falo só na política, entra nesse jeitinho q vc falou. mas não acho q todo brasileiro é praticante do jeitinho. eu e minha família pelo menos não somos e vcs tb não. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  3. Franzé, e já sou de uma família misturada. Sou meio brasileira meio paraguaya.

    Pedrita, eu também gosto muito das coisas daqui. E sobre o jeitinho, infelizmente, eu noto que ele é muito comum, as pessoas até gostam de contar como levaram vantagem em alguma situação, mesmo que tenham tido que pagar alguma propina. É estranho e feio.
    A imagem foi perfeita para post, tive sorte de encontrá-la. :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Adorei o termo "brasileira não praticante", vou usar :) rs Confesso que já tentei gostar de MPB na marra pra não parecer tão alienada, mas não adianta, DETESTO! Assumi meu jeito de ser e é bem diferente dessa expansão característica do brasileiro. Uma vez conheci pela internet uma garota da turquia, e quando mandei minha foto ela assustou e disse que me imaginou morena, de biquini na praia e sambando. Tirando o biquini e praia de vez em quando, o resto passa looonge de mim hehehe.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Costumo dizer que sou uma brasileira fajuta. Não dou jeitinho p/ nada, não gosto de samba, carnaval, futebol e cerveja. Tb não gosto de feijoada, café e pão com manteiga.
    Mas gosto do jeito caloroso dos brasileiros. Eu já me sinto bem quando sou tratada como velha conhecida, talvez por morar no interior e aqui é assim, as pessoas são + próximas. =)
    Bjo

    ResponderExcluir
  6. Rê, este termo é bem aplicável para nós mesmo! :) Não adianta a gente querer ser brasileiras típicas se este não é o nosso jeito.

    Miss Oak, eu também não tomo café! esqueci disso! Eu gosto do jeito caloroso das pessoas daqui , o que não gosto é da initmidade forçada.

    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta