This Is It


Michael Jackson estava preparando o maior e melhor show da música pop. É esta impressão que tive ao assistir ao documentário "This Is It", que mostra cenas dos ensaios e bastidores do show. É nítido que o filme foi feito de improviso, o que estava sendo registrado durante os ensaios não tinha como intenção ser material para um filme. Mas mesmo assim é possível ter noção de como o show seria grandioso, fiquei com a impressão que Michael tinha a intenção de fazer um grande video-clipe ao vivo. Este show marcaria a história com certeza. Pena que ele não teve tempo para estrear.
Assistir ao filme me deixou melancólica e ao mesmo tempo me fez sorrir em alguns momentos. O motivo da melancolia é óbvio. Sorri ao ver tanta gente talentosa no palco. Michael escolheu os melhores para estarem com ele ali.  Me encantei com os bailarinos. Que perfeitos, como dançavam! E o próprio Michael dançava maravilhosamente. Isso me surpreendeu, pois o que eu ouvia era que ele estava com a saúde muito abalada, que sentia dores. Assim pensei que ele não apresentava mais o mesmo vigor em cena, mas ele dançando dá um show. Dança no filme  no mesmo pique dos bailarinos, mas com uma leveza ímpar. E a leveza de Michael é sentida em sua voz e na maneira como ele trata a todos que estão trabalhando com ele. Percebe-se no filme que ele era muito controlador, as coisas tinham que sair do jeito que ele queria. Mas ao mesmo tempo ele era muito educado e suave com as pessoas. Percebia-se nele uma teimosia, mas tudo de maneira delicada com os outros. Não se exaltava ou levantava a voz. E ele tinha uma noção bem clara de como queria a sonoridade da música ou a coreografia. Ele sabia muito bem o que estava fazendo, é nítido no filme como ele dominava tudo aquilo. Ali era o mundo dele mesmo, o palco. O show seria baseado nos maiores sucessos da carreira dele. Gostei muito dos ensaios de Thriller. Seria uma apresentação marcante da música, com bailarinhos vestidos de zumbis e com cenas em 3D dos mesmos zumbis levantando da tumba. Com certeza enlouqueceria a platéia. Uma grande pena o espetáculo não ter tido sua estréia. Realmente Michael se foi muito cedo. E este documentário deixa esta sensação em que o assiste. É triste. É um filme que nos passa sentimentos opostos. Senti alegria durante a apresentação das músicas que fizeram parte da minha vida e esta alegria era acompanhada de perto pela tristeza de saber que nada daquilo mais seria possível. Triste, mas um belo documentário. Documentário que mostra que ele realmente era um grande artista. 




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta