Eu Sou Malala




Quando  eu soube sobre o atentado que  a menina Malala sofreu ano passado, eu achava que ela deu azar e estava no lugar errado e na hora errada.  Mas eu estava enganada, ela não foi baleada por acaso, foi um ataque proposital para silenciar uma menina que lutava pelo direito das meninas paquistanesas frequentarem a escola.   Malala, apesar da pouca idade,  já é uma mulher forte e determinada, uma menina que aprendi a admirar lendo o livro " Eu Sou Malala", escrito por ela com o auxílio da jornalista Christina Lamb. 

No livro Malala narra não somente a sua história e do atentado, ela conta sobre a história do seu pai e sobre a história do Paquistão. Discorre sobre os costumes da região em que vivia, o vale do Swat,  e a sua religião também. Ela é muito devota, porém é uma menina esclarecida e sabe diferenciar os preceitos religiosos dos costumes machistas que são impostos pelos fanáticos de seu país.  

Malala é uma menina de sorte, pois nasceu em um lar com um pai que não a discriminou por ter nascido mulher. Ela tem um pai amoroso, que sempre fez questão  de oferecer a filha tudo que oferecia aos filhos homens, sem distinção, até o direito à educação, algo pouco comum em seu país, onde as  meninas não tem direito a nada. Nascem para esperar a hora de casar, para deixar de ser propriedade do pai, para virar um bem do marido.  O pai viu em Malala um grande potencial intelectual e sempre fez questão de incentivar a filha a estudar. E então Malala, sempre com o apoio de seu pai, virou uma grande defensora do direito à educação para as meninas. E aí começaram as ameaças, os fanáticos religiosos ficaram com  ódio daquela menina, afinal,  ela lutava contra ignorância, que é o grande aliado para os fundamentalistas domirarem a população, que sem meios para se informarem corretamente sobre os preceitos que regem a religião muçulmana, acreditam em tudo que os radicais dizem. 

Eu gostei muito do livro, foi como desvendar um novo mundo. Conheci costumes de um povo muito diferente. Costumes estranhos como não poder recusar um hóspede em sua casa, mesmo que ele chegue sem avisar!  Costumes bonitos também, como sempre ajudar os outros, mesmo que você tenha pouco. Me encantei com a união da família de Malala, seus pais sempre amorosos, sempre fazendo questão de dar uma boa educação para os filhos. O livro mostra o lado criança de Malala, que apesar da determinação e coragem, ainda é uma menina de 16 anos. Gostei dela se mostrar por inteiro, não querer mostrar apenas o lado da ativista. 

Malala sobreviveu ao atentado e hoje vive na Inglaterra, país que concedeu asilo político para ela e sua família. Ela está estudando e almeja entrar para a vida política para continuar a sua luta em prol do direito à educação das meninas do Paquistão. Com certeza ela tem tudo para se tornar uma grande mulher, uma mulher que fará diferença neste mundo.  



Nota da Blogueira: Os inimigos a acusam de blasfêmia, mas Malala é uma garota muito religiosa, respeita sua religião. Ela luta  pela igualdade de direitos entre homens e mulheres em seu país. Ela luta contra o preconceito e  o fanatismo religioso. 

Nota da Blogueira 2: Ganhei o livro de presente da Mari. Um presente precioso! Obrigada, amiga! ;)




Comentários

  1. quero ler, eu fiquei igualmente chocada qd li o livro infiel de ayaan hirsi ali. não são só os homens que perseguem e maltratam as mulheres. as próprias mulheres algumas vezes prejudicam outras mulheres. às vezes até com depoimentos falsos. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedrita, leia! Você vai adorar o livro. Tem muita coisa chocante mesmo, muita violência em nome da religião. Tem passagens que também relatam as mulheres denunciando outras mulheres por 'mau' comportamento. Beijos

      Excluir
    2. marion, vc tinha razão, o livro é incrível. malala não deu azar, foi sim jurada de morte por defender publicamente o direito de meninas de irem às escolas. ela mostra que o talibã distorceu o livro sagrado para propagar o preconceito e a violência e várias vezes diz que o corão não disse isso ou aquilo que o talibã dizia vir do livro sagrado deles. tb gostei q mostraram os costumes do seu país, que era bem mais liberal antes do talibã. é linda realmente a união da família de malala. eles estavam e estão sempre juntos.

      Excluir
  2. Esse livro está na minha lista! Imaginei mesmo que fosse uma história interessante e diferente da mesmice ocidental que estamos acostumados. Sinto que o lerei logo :) Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Re, livro imperdível. Você vai gostar muito, tenho certeza. Eu achei fascinante saber sobre um estilo de vida tão diferente e ao mesmo tempo notar que ela é uma menina como as daqui, com os mesmo sonhos adolescentes. Beijos

      Excluir
  3. Quero muito ler também. Pelo que vi na sua resenha, fico feliz por ela agora estar bem e com tanta vontade de mudar a realidade, de fazer a diferença. A vida política precisa de pessoas assim.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Meus Furacõezinhos!

Ovono