Meu Doce Gatão



Sam relaxando depois de uma sessão 'torturante' de corte de nós nos pêlos. Torturante porque simplesmente ele faz um drama daqueles. Nem escovar direito o pêlo ele deixa! Aí, eu comecei a relaxar com isso, afinal, depois da rotina de duas aplicações de insulina por dia, eu achava que era perturbar o meu gatão demais!  Resultado: Um monte de nós! Jurei que vou escová-lo com regularidade agora,  mesmo que ele reclame, é para o bem dele! 

Este mês completou um ano que nossa rotina se alterou, um ano que recebemos o diagnóstico sobre a diabetes do Sam. Um ano que o nosso gatão manda na nossa agenda. A prioridade é a aplicação da insulina e ponto. Não tem negociação, pois é a saúde do meu filhote. 

A rotina de aplicações  é bem menos pesada do que eu pensava. Ele é bem tranquilo na hora da injeção, já  se acostumou e nós também.  Wally e eu já estamos craques!  E adequar nossa rotina aos horários da insulina também não é um sacrifício. Já faz parte da nossa vida, já não é mais nenhum drama. 

Fico aliviada de ter condições de seguir com o tratamento, que não é barato. Feliz por o Sam colaborar e não dificultar as aplicações. Feliz por ter Wally comigo, sem ele teria sido tudo bem mais difícil. E feliz por ver que o Sam está bem. Mesmo que os número não estejam em  níveis ótimos, mas estão aceitáveis, o que faz que ele tenha uma boa qualidade de vida. 

Como diz o Gru, a vida não é um mar de rosas, e temos momentos complicados sim. Principalmente na hora de fazer os exames de sangue e ultrassom, que sempre são tensos. A adaptação da alimentação dele também é complicada, difícil ter que colocar o Sam no regime, tendo em casa um gato como o Frodo, que é magrinho de ruim! Por isso não posso aplicar a mesma dieta, senão Frodo fica pele e osso. Assim, dou o meu jeito, mantenho a dieta do Sam e tento manter o Frodo comendo como sempre. Tem hora que dá errado, Sam vê eu dando comida extra pro Frodo e aí dou para o Sam também, né? Seria crueldade não dar. 

Enfim,  já sei que esta minha rotina com o meu diabético será para sempre. Já perdi as experanças que o quadro dele seja reversível.   Mas o que era uma tragédia um ano atrás, hoje aceito com tranquilidade. O que me resta é levar isso da melhor maneira possível.

De tudo isso só tem uma coisa que me chateia, gente que  acha que por ele ser 'apenas' um gato, eu não poderia doar tanto do meu tempo e dinheiro com ele. Claro que se fosse um filho humano ninguém questionaria. Isso me enverva! Mas ao mesmo tempo tenho gente perto de mim que me entende e que chegam a ser fofos ao ponto de marcar os programas nos horários que Wally e eu podemos ir.  E isso me faz sorrir. :) 



Nota da blogueira: Hoje em dia temos uma liberdade um pouco maior em relação a nossa rotina, o hotel para gatos Mamãe Gato  nos ajuda quando temos compromisso muito importantes e que não temos o poder de mexer nos horários. Quando isso acontece, deixamos o Sam lá e ele recebe as aplicações de insulina direitinho.  E daqui a alguns meses, o hotel permitir que Wally e eu viajemos juntos!  Poderemos viajar tranquilos, sabendo que nosso filho estará em boas mãos! :)




Comentários

  1. Patry, que bom que vocês se adaptaram à rotina e que tanto você quanto Wally estão comprometidos com o Sam. É muito difícil mudar toda a rotina sem data de validade, ainda mais se for por um animal, que a sociedade insiste em dizer que não tem valor quando começa a dar trabalho... mas qual seria a opção? Deixá-lo morrer? Não tem meio termo, tem que fazer o necessário ou assumir ser um cretino. Sam tem muita sorte de ter vocês! :-)
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Re, você é uma das poucas que me entende! :) Afinal, é uma ótima mãe. Tanto de filhotes humanos como de felinos! :) Beijos

      Excluir
  2. que lindooooooooooo. quem ama cuida. concordo com vc. no começo é difícil. mas temos que nos adaptar para cuidarmos de quem amamos. beijos, pedrita

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta