Como é bom respirar!

Sempre convivi com asmáticos, pois tenho primos que sofrem desta doença. Mas nunca tinha compartilhado do cotidiano de um asmático até conhecer o Wally. No começo do namoro eu me apavorava com as crises dele. É angustiante notar que a pessoa não consegue respirar e não poder fazer nada. A única coisa que eu posso fazer é dar a bombinha para ele e esperar o remédio fazer efetio. Com o tempo eu fui ficando mais acostumada com as crises, a apreensão continua, é claro, mas não me desespero mais.
O que complica tudo mais ainda é a falta de tratamento adequado, o que é provocado pela falta de preparo dos médicos. Além disso a gente sabe muita coisa errada sobre a asma.
Mas hoje eu posso dizer que sei bastante coisa sobre os sintomas e os tratamentos. Terminei de ler o livro que ilustra o post. Gostei muito. É escrito em uma linguagem clara e consegue equilibrar bem o vocabulário coloquial com os termos médicos. O livro enfatiza que asma é uma doença crônica e sem cura. E que pode matar. Mas os riscos de um ataque grave é minimizado se o asmático seguir direitinho o tratamento de manutenção. O que pode provocar a morte, como eu já achava, é o fato de o asmático se acostumar com a falta de ar e achar que qualquer crise é normal e por isso demorar em fazer uso da bombinha. O livro discorre sobre os sintomas, os níveis de asma ( descobri que o Wally tem o tipo persistente e que nos últimos meses estava no estágio grave ), os medicamentos disponíveis no mercado, como agir em crises e os tratamentos de manutenção. Enfim, fornece informações muito úteis para leigos e até para médicos. O livro relata que muitos médicos não sabem lidar corretamente com a doença. A minha única crítica é que o livro ainda coloca os gatos como vilões da história. Eles são citados diversas vezes, ao lado do cigarro, como os maiores inimigos de um asmático. O que chega a ser uma contradição, pois a autora informa em vários momentos do livro que é difícil identificar o que dispara uma crise. Isso varia para cada pessoa e mesmo um único asmático pode ter vários fatores que disparam as crises. Ou seja, nem sempre a culpa é do gato. Mas ao menos ela não fala para se livrar do bicho, apenas recomenda que, se o paciente não tem gato, que não arranje um.
Este livro chegou até mim através de um cartãozinho que Wally fez do labortório fabricante do remédio que ele está tomando agora. Além do superdesconto no valor do remédio, o laboratório manda um monte de material sobre a doença. E um dia chegou o livro. Gostei muito.
Felizmente agora Wally encontrou o tratamento adequado, depois de anos sem respirar direito. Ele se consultou na clínica da autora do livro, Dra. Iara Nely Fiks, e finalmente está respirando sem dificuldades e não tem mais acordado a noite com falta de ar. A bombinha dele está sem uso há mais de um mês! As crises sumiram. E nem precisou ficar longe dos filhotes! Mesmo contrariando a recomendação da médica para que ele não deixasse mais os gatos dormirem com a gente, ele melhorou 100%.
O pulmão dele agora funciona direitinho e o meu coração está mais tranquilo. Muito bom vê-lo tão bem assim!


Comentários

  1. buen post!

    soy una de las primas asmáticas..muchos dolores de cabeza di..cuando era mas chica..a causa de esto..pero ahora..me tranquilice..sandy usa esa bombinha..y agustina..tb! osea que aqui por lo menos hay tres asmaticas..como persigue esta enfermedad..besos!!

    ResponderExcluir
  2. Marion,
    Sua postagem é antes de mais nada um ato de amor. Bacana você se preocupar com o que aflige o Wally a ponto de escrever sobre. Legal que ele esteja bem agora.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. eu tenho um primo que teve asma na infância, não sei o grau. o médico aconselhou que saísse de são paulo porque aqui é muito poluído. não sei se meus tios acataram ou não, ou foi uma transferência mesmo para o rj. e meu primo começou a frenquentar a praia e fazer esportes. eu acho que ele não tem mais ou está sob controle, pq ele voltou pra são paulo e nunca falou em crises por aqui. acho que ter o gato longe se a pessoa chega perto do animal e tem crise procede. mas se as crises são esporádicas, o gato sempre morando, então não dá pra afirmar que é o gato. me incomoda esse hábito de achar que acharam a causa de algo. eu tenho alergia, passei a ter depois de trabalhar seis meses em uma sala fechada com fumantes que fumavam um maço por dia, aí virei alérgica. aprendi que em setembro alguma planta aqui "reproduz" e me dá alergia, que um creme me dá alergia e foi ajeitando, mas jamais vou desfazer das minhas plantas que amo só porque um único mês, e não inteiro, alguns dias, me dá crises. quando tenho e vejo que é da planta, abro a janela, rego as plantas, tomo banho e durmo uma hora e pronto. sei lá, acho que os processos são masi eficazes que as atitudes radicais. que adianta tirar o gato se a poluição é de matar? e outras questões. ar condicionado é um horror em empresas, pior que gatos que são limpos e ninguém manda tirar os ares condicionados das empresas. engraçado né? beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  4. Uma vitória!
    Parabéns pra vocês dois!
    Bjitos!

    ResponderExcluir
  5. E esse clima de São Paulo não ajuda, né?

    Eu adoro a cidade, que eu quase sempre visito no inverno, para piorar, mas sempre volto com alguma ziquizira respiratória.

    ResponderExcluir
  6. Hola Old! Eso es novedad para mi! Não sabia que vocês 3 são asmáticas! Tenho mais primos asmáticos do que pensava! Seria ótimo vc ler este livro! Preciso te emprestar! Quando for para Asu levo o livro!

    Lord, eu só estou bem se ele está bem. E este tratamento fez uma grande diferença mesmo. Ele diz qu enunca se sentiu tão bem na vida. Isso é uma vitória!

    Pedrita, as crises de asmáticos podem ser disparadas por qualquer coisa. Wally já teve crise provocada por ar puro! Acredita? Uma vez que fomos para o interior e ele ficou péssimo. Era no meio do mato e sem poluição! Eu acho que ele se acostumou já com a poluíção e isso nem é mais fator determinante de crise. Com os gatos acho que nunca teve problema.E a prova é que o tratamento tá fazendo efeito e eos gatos continuam na cama com a gente.

    Déia, a cidade aqui atrapalha um pouco, mas o que mais prejudica não é a poluição e sim a variação cilimática louca dos últimos tempos!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Eu tive bronquite asmática quando criança, mal que graças a Deus não me aflige mais. E é realmente legal que se importe tanto com a doença do Wally que tenha feito um post dedicado ao assunto, muito bacana isso!
    Ah, fiz a minha listinha das 5 melhores invenções, depois dá uma conferida lá, viu?
    Cheers!

    ResponderExcluir
  8. Eu preciso ir nessa médica :) Sou a parte da família que tem renite alergica congenita e que há pouco se descobriu com bronquite. Tenho trauma de medicos otorrinos.. o ultimo q fui falou que tinha que jogar minhas nenéms fora!!!! Joguei o cartão dele fora isso sim!

    ResponderExcluir
  9. Rodrigo, pelas informações do livro nenhum tipo de asma tem cura. A doença pode ficar adormecida por anos e se a pessoa tiver sorte, pelo resto da vida.
    Ah, este blog é quase Marion e Wally e suas vidas! Pois a gente é muito ligado mesmo!

    Sugar, vá na clínica. Você vai gostar!!! Atendem muito bem lá !

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Nossa, minha irmã do meio tem uma asma terrível, entendo bem o que vc diz. Bombinhas e inaladores sempre foram rotina em casa. Engraçado que, só há pouco tempo descobri que a asma é causada pelo enfraquecimento do diafragma, que não tem força o suficiente para fazer com que o pulmão absorva a quantidade de ar necessária...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta