Tá ficando complicado




O comercial do New Bettle exprime bem o absurdo que chegamos com esta onda de politicamente correto (odeio esta expressão!) que assola o país. Parece que todo mundo resolveu ficar sensível ao extremo e se ofende com qualquer coisa. É bem o que passa na propaganda, eles tentam agradar todo mundo, para evitar acusações de que estão sendo, de alguma forma, preconceituosos e percebem que assim é impossível elaborar um comercial. É assim que vivemos hoje, em um mundo onde tudo que falamos ou escrevemos pode ser tachado de ofensivo e politicamente incorreto . E para piorar a situação há um movimento para censurar a publicidade neste país. E não falo só da restrição das propagandas de cerveja, li que até propaganda de bolachas querem censurar. A justificativa é que a criança que assiste ao comercial fica com vontade de comer bolacha e assim só vai querer comer a bolacha e não vai comer direito. Quer dizer, se a criança come só porcaria a culpa é do fabricante da bolacha? Onde fica a responsabilidade dos pais, que devem educar seus filhos e impor rotinas de comportamento? Eu acho um absurdo este tipo de restrição. Mesmo em relação às propagandas bebidas alcóolicas e as de cigarro, mesmo eu sendo totalmente anti-tabagista. A questão é, o cigarro é um produto legalizado e portanto a empresa deveria ter o direito à publicidade como qualquer outro segmento tem. Lembro da época que que as propagandas do cigarro Hollywood sempre determinavam qual seria a música do topo das paradas de sucesso. E eu adorava as propagandas! Nem por isso virei fumante.
É uma realidade que me assusta, pois vejo que aos poucos a censura está voltando, coberta de boas intenções, para proteger o pobre cidadão, para evitar que ele seja enganado pela publicidade ou se sinta ofendido por algum filme ou novela. As pessoas tem que pensar por si próprias, estas restrições somente acentuarão a passividade do nosso povo, que aceita tudo e que acha que tudo é bom. Mas deve ser isso que os políticos querem, um povo sem idéias próprias é mais fácil de manobrar. Enfim, acho que esquecem de uma coisa básica: o cidadão tem o poder de escolher o que deseja ver, se uma novela o ofende, basta mudar de canal ou desligar a tv. Ninguém é obrigado a ver o que não quer. Mas eu quero ter o direito de decidir o que quero ou não ver. Espero que isso não me seja negado.


Nota da blogueira: provalmente quem acessa via explorer terá problemas com o link de comentários deste post, por causa do vídeo. Se quiser comentar clique no título do post. Ou acesse com o firefox. :)

Comentários

  1. Sabe que esta onda até já tá estragando a Turma da Mônica? Na versão nova, da Turma Jovem em forma de Mangá, o Cascão toma banho, a Magali tem uma alimentação balanceada, o Cebolinha vai na fonoaudióloga e a Mônica não bate mais em ninguém. Absurdo!!!

    Bjo!

    ResponderExcluir
  2. Aqui na televisao argentina o motivo de crítica é a exposiçao exagerada do corpo, sobretudo feminino. No bailando por un sueño tema dança do caño do streap tease, uma loucura. Eu nao imagino ter um filho e deixá-lo ver esses programas. O pior é que os outros repetem o que passa lá. Em pleno horario da tardeeeeeeeee!!!
    Bju.
    Maris

    ResponderExcluir
  3. ah, aqui o link pros comentários tá sem problemas - e no explorer! :D

    ResponderExcluir
  4. Tak, o Cascão tomando banho não dá!!!! Acabaram com a Turma!

    Mari, eu vi o balilando por un sueño! É um absurdo como a mulherada dança praticamente sem NADA! Como pode??

    Lu, foi só eu avisar com antecedência que o explorer resolveu colaborar!

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Eu concordo totalmente com você. Tudo agora é levado pelo lado pessoal, o que é absurdo, já que uma novela ou comercial jamais vão ter a intenção de ofender uma pessoa em particular. A publicidade e a mídia em geral só fazem seu trabalho, assim como um advogado, um professor, um médico. Todos esses profissionais influenciam a vida das pessoas, e a culpada por maus hábitos é a publicidade? Um conjunto de regras que nasceu para proteger abusos reais (o Conar) tem sido abusivamente usado por gente que encontra pêlo em ovo e parece ter prazer em simplesmente tirar propagandas do ar. E o governo, com mania de mostrar serviço, acha que incentivar isso é "proteger" o cidadão. Quero ver alguém provar que a propaganda faz a pessoa consumir. Não faz, nunca fez! Cada um tem direito de escolha, como vc mesmo disse. A propaganda apenas oferece opções e tenta vender o seu, como qualquer profissional o faz. Isso é ridículo. Outro dia estava lendo no Globo.com sobre uma votação que não lembro qual era (células tronco, aborto, não importa) e um dos deputados baseou toda a defesa do seu voto negativo em sua religiosidade (ele era evangélico). A própria reportagem dizia que isso ia contra o artigo constitucional que define o Brasil como um país laico, já que as leis estavam sendo votadas de acordo com a crença religiosa dos deputados e não de acordo com os interesses gerais da população.
    Aff. E depois tem gente que acha que vivemos numa democracia. O governo está agindo direitinho, comendo pelas beiradas, nos fazendo acreditar que isso é o melhor, e quando menos esperarmos a censura estará implantada e aí vai ser difícil sair. Foi exatamente assim que Hitler matou milhões de judeus, não foi?

    ResponderExcluir
  6. Rê, adorei seu comentário! Falou tudo!!! Beijos

    ResponderExcluir
  7. Patry, adorei o post.Também sinto que a era da censura está voltando.Talvez a censura velada seja até pior do que a que havia tempos atrás já que pelo menos antes sabíamos o que não poderia ser dito ou feito.E hoje?
    Agora em relação as bolachas...risos...Eu entendo essa proibição de uma outra forma.Meu filho assiste a várias propagandas, de brinquedos e comida.Ele só me pede os brinquedos.E claro, cabe a mim explicar a ele que não dá para ter tudo sempre e na hora em que se quer.As bolachas e guloseimas ele não pede quando assiste televisão e sim quando vai ao mercado e eu nunca neguei nada.Imagina criança passando vontade de comida? Agora, como será que essas propagandas atingem as camadas pobres? Como não deve ficar a cabeça de uma criança que vê outras comendo Danoninho e não saber, e não poder experimentar?E Mc Donalds?
    É por esse lado que eu entendo ter um lado positivo a restrição em relação as propagandas de comida.
    Pronto, falou aqui uma mãe por muitas vezes chata mas da mesma forma que não gostaria de ver o Pietro passando vontade de comer algo, também me incomoda a idéia de que outras crianças passem vontade de comer aquilo que infelizmente para eles, seja inatingivel.
    E vamos marcar nosso japa! beijocas

    ResponderExcluir
  8. Patty, gosto muito quando você comenta por aqui! :) Claro que é ruim quando uma mãe não pode dar o que filho quer, mas a mãe de que saber explicar a situação. É delicado, mas dá para administrar a situação. Eu nunca fiquei revoltada por não ter tido coisas que quis quando era criança, e olha que eu não tive muitas minhas vontades realizadas.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi, Marion,

    muito interessante o tema. Realmente isso de politicamente correto está deixando todo mundo muito chato! Principalmente os que se forçam a parecer desse modo para serem aceitos - como o comercial em questão.

    E o seu ponto-de-vista sobre propaganda de cigarro e cerveja é muito interessante também! Se pode vender, por que não pode fazer anúncio? Aí ficam inventando um monte de maneiras de disfarçar. Algumas desastrosas, até. Escrevi sobre isso no meu blog. Se puder, dá uma olhada: http://rodolfo.typepad.com/no_posso_evitar/2008/11/conselhos-pela-culatra.html

    Abraço, Rodolfo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Meus Furacõezinhos!

Ovono