Ele Não Está Tão A Fim de Você




Este é daqueles filmes que eu fui deixando passar a oportunidade de assistir, mas que nunca perdi o interesse.  Um dia vi que ia passar na TV a cabo, num dos canais de filmes em HD, coloquei para gravar. Fui ver somente um mês depois da gravação. Novamente quase deixo passar a chance de vê-lo, isso só não aconteceu porque o decoder da NET está lotado de filmes que deixei para gravar e ainda não vi. Como "Ele Não Está Tão A Fim de Você" ( 2009- USA/DE/NL) era o primeiro da fila, resolvi que seria o meu filme da noite de sábado.  E foi uma ótima escolha, pois adorei o filme, apesar de um certo desconforto que ele provoca, pois ele diz algumas verdades que nós mulheres precisamos ouvir, principalmente quando estamos sofrendo de paixonite aguda e não somos correspondidas. 

O filme conta várias histórias de casais se  contectam entre si. Histórias de encontros e desencontros.  Todas as situações permeadas por silêncios desconfortáveis e, algumas vezes, por verdades dolorosas.  Mesmo os casais já estabilizados passam por turbulências nada agradáveis. Mas o foco principal são as pessoas em busca de um par, aquela coisa de primeiro encontro e de ficar na expectativa do segundo.  Situações que todo mundo já vivenciou e sabe como são angustiantes aqueles momentos em que a gente fica esperando ele ligar ou, como estamos em tempos modernos, mandar um SMS, um e-mail , uma mensagem via FB, etc.  O filme enfoca basicamente nas ilusões que as mulheres criam em torno de um possível novo romance. Como criam ilusões mesmo com todos os indícios mostrando que o cara não está nem aí para ela. Eu já passei por isso, é incrível que com a paixonite nos invade a gente perde  o poder do racíonio e faz as coisas mais bestas. E o pior, tudo à toa, né? Porque se o cara não quer saber da gente, não adianta, ele não vai procurar. Agora, se ele gosta, tem saudades e interesse, ele procura. Mas   a gente reluta em acreditar que o cara não gostou da gente e aí sofre à toa. O filme afirma que isso acontece porque fomos criadas para nos sentir/reagir desta maneira.  Eu acho que o filme tem razão sim, pois desde sempre acabamos recebendo conselhos amorosos equivocados das mulheres a nossa volta. O cara não liga e nos dizem "Calma, ele deve estar ocupado, mas vai ligar". E assim um história que deveria terminar  logo, perdura por dias e dias. 


Mas o filme não coloca os caras como vilões da história não. Mostra que eles também ficam sem saber como reagir, que eles têm suas dúvidas e inseguranças. Que são gente como a gente, apenas um pouco mais objetivos, o que os livra de muitas roubadas amorosas.  Apesar deles terem determinação de não procurar mais a garota, lhes falta um pouco de coragem para dizer para a garota que não querem nada com ela. Falar "eu te ligo" quando não vai ligar eu acho muita covardia. Por isso que nós mulheres nunca sabemos se podemos acreditar quando um cara diz "Eu te ligo" e assim começa todo cliclo de   ansiedade e ilusões que nos deixam à beira de um ataque de nervos.



Posso considerar este filme como um filme de auto-ajuda, pois ele passa uma mensagem muito importante, que a gente não pode ficar insistindo em algo que não vai dar certo e que o melhor jeito de resolver impasses amorosos é indo direto ao ponto. Ficar imaginando situações só piora tudo e sempre vai nos fazer ter a conclusão errada do que acontece.

Ah, não pensem que o filme só tem desastres amorosos não, alguns casais conseguem se entender, e têm finais felizes e fofos. É um filme que diz muitas verdades amargas, mas que no fim termina com uma mensagem positiva, que é  possível sim  encontrar a pessoa certa. 


 

Comentários

  1. Parece ser interessante, vou coloca-lo na lista dos filmes que tenho para ver também.

    ResponderExcluir
  2. Vaynard, é filme bem mulherzinha, mas é legal. Tudo bem que sou suspeira, pois eu adoro um filme mulherzinha.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. é muito difícil lidar com a rejeição e às vezes parece q se iludir dói menos. esse é um q reluto um pouco em ver, mas há haviam me dito q é bem realizado. qt ao tempo para desligarmos, acabei entendendo q cada um tem um tempo. tem gente q demora mesmo, parece já saber, mas se ilude e precisa de mais tempo pra processar a rejeição. acho q uns caras tem dificuldade de dizer não, nós mesmas em outras situações tb temos. beijos, pedrita

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta