Bang Bang







Muitas vezes tenho a sensação que estou vivendo dentro de um filme de bang bang. São Paulo está passando por uma crise de violência brava. É assalto para tudo que  é lado. Os bandidos não têm mais limites, invadem  shopping centers para fazer assaltos, explodem caixas eletrônicos, fazem arrastões em bares e restaurantes, assaltam as pessoas na rua a luz do dia, enfim, apavoram o cidadão de bem  das mais diversas formas. Se eu deixar o medo tomar conta de mim, não saio mais de casa. Mas adianta muito? Nem em casa estamos seguros. Em nenhum lugar desta cidade estamos a salvo dos bandidos! A falta de punição exemplar acaba estimulando os assaltantes, eles sabem que dificilmente serão presos e se forem, saem rapidinho da cadeia, afinal a lei  daqui é mole com os bandidos. O crime acaba compensando, tanto que em São Paulo tem até bandido que vem de outro estado só para assaltar aqui! É, existe agora o turismo-assalto. Inacreditável.  Eu realmente não vislumbro melhorias nesta situação caótica de violência sem que haja uma reforma no sistema judiciário deste país em que se torne a lei mais severa e que o bandido efetivamente pague pela sua pena, que trabalhe na cadeia e que não tenha mais privilégios quando está encarcerado. Acho que isso ainda vai demorar.  
Enquanto a situação não melhora, eu me auto-engano para ter alguma paz, para me livrar da paranóia de andar por aí sempre alerta, sempre desconfiando de tudo e de todos. Eu finjo que no shopping eu estou segura, que lá posso caminhar mais tranquila. Em um shopping eu atendo o celular na boa, coisa que não faço quando estou no meio da rua. Se não tiver nenhum lugar onde eu possa entrar para atender o telefone, eu o deixo tocando na bolsa. Sim, é trauma. Mas eu tento afastar o medo, pois não quero virar uma pessoa paranóica, e deixar de viver por conta da violência. Já que ela está aí, tenho que aprender a lidar com esta ameaça que paira no ar. Não posso deixar de viver por medo da violência. Não mesmo.




Nota da blogueira: Sobre as explosões dos caixas-eletrônicos, o cidadão está levando a pior de novo. Se tiver o azar de sacar uma nota manchada de cor de rosa vai ter que provar que é vítima da situação, que a nota saiu do caixa-eletrônico durante um saque normal e não porque ele explodiu o caixa. Agora, ninguém vai apurar como a nota manchada foi parar no caixa-eletrônico? Não seria obrigação do banco checar a validade das notas que são usadas para abastecer os caixas? A polícia não consegue parar os bandidos, os bancos não verificam o dinheiro que deixam disponível para saque e o cidadão que se ferra. Pobre de nós!

 

Comentários

  1. eu tb estou sempre atenta. fico igualmente preocupada. acho q tb a falta de valores, falta de oportunidades e ainda o pouco estudo faz o crime ser um bom emprego. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente compratilho do mesmo mal aqui em Manaus, assaltos cada vez mais frequentes fora outros crimes ediondos...
    Mas acreditem, tenho mais medo de Manaus q de SP

    ResponderExcluir
  3. Pedrita, a falta de valores é assustadora, vemos gente com condição boa de vida achando legal ser bandido.

    Gammelo, não sabia que Manaus era uma cidade perigosa assim. Que pena.

    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Meus Furacõezinhos!

Ovono