A Minha Primeira Vez






Ontem foi  dia de uma simpática coincidência.  Foi a primeira vez do Daniel em um teatro e a peça escolhida foi " A Minha Primeira Vez".  Não foi nada planejado, eu tinha lido sobre a peça e achei que ele gostaria. Estávamos sem programa para o sábado de carnaval, já que eu tinha desistido de ir ao desfile das escolas de samba.  Resolvemos então ir ao teatro, então fui procurar a peça que eu tinha achado legal. Aí me dei conta que o nome do espetáculo era " A Minha Primeira Vez".  E foi uma ótima escolha, todos nós, Wally, Dani e eu,  adoramos a peça, foi divertido, texto inspirado e interpretações cativantes. 

A peça é uma adaptação de um espetáculo criado pelo americano Ken Davenport, cujo o texto é focado na primeira transa. Como no espetáculo original, o texto da versão brasileira é inspirado nos depoimentos de pessoas sobre sua primeira experiência sexual. A montagem brasileira usa depoimentos do espetáculo americano e depoimentos brasileiros. As histórias são contadas de maneira bem dinâmica, umas com detalhes, outras apenas fragmentos.  O palco conta apenas com alguns puffes  brancos como cenário, que vão sendo agrupados de maneira a ajudar a compor o cenário para cada história.  Os 6 atores se revezam como protagonistas das situações ali apresentadas. O elenco está perfeito, mesmo com poucos artifícios cênicos, eles criam narrativas envolventes, o cenário ausente acaba sendo composto em nossas cabeças. Eu consegui visualizar exatamente cada cenário onde se passavam as histórias. 

O público que vai ao teatro é convidado a contribuir com a peça, ao entrar cada espectador recebe um questionário para contar como foi sua primeira vez.   Os atores incentivam que os formulários sejam preenchidos, oferecem canetas ao público. No nosso caso, respondemos somente porque  o ator Emiliano d'Ávila nos emprestou uma caneta, pois eu não tinha nenhuma na bolsa.  As informações dos questionários são inseridas em algumas partes da peça, mas sem indiscrições, afinal, o formulário não pede  indentificação. 

O texto  pende mais para a comédia, mas há momentos mais tensos, como quando os atores encenam situações de sexo forçado na primeira vez. A peça nos permite ver a versatilidade dos jovens atores, que pulam de um personagem para outro com muita rapidez e interpretam cada um deles com autenticidade e no tom certo. Não há exageros, não há baixarias. Fiquei realmente impressionada com o elenco formado pelos atores Ian Soffredini, Luana Martau, Tammy di Calafiori, Emiliano d'Ávila, Ronny Kriwat  e Gabriella Vergani.   O diretor da montagem brasileira fez um ótimo trabalho. Parabéns, Isser Korik !


A peça está em cartaz no Teatro Folha, no Shopping Pátio Higienópolis.  No site da peça há mais informações.  Lá também você pode deixar o seu depoimento sobre sua primeira vez. Acesse : http://www.aminhaprimeiravez.com.br/site/ .


A peça faz a gente refletir sobre o assunto, na verdade tenta dismitificar a tal da primeira vez.   Como diz a peça, a gente dá muita importância para esta experiência que na verdade deveria ser apenas mais uma experiência, até porque quase nunca a primeira vez é tão boa. 

Comentários

  1. Adoro teatro, sempre que posso vou, em são paulo quando passo dou preferencia aos musicais, pois eles nunca chegam aqui em Manaus. Que bom que gostaram. Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gammelo, esta peça é muito boa. Espero que vc tenha a chance de assisti-la. Beijos

      Excluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta