Miss Saigon


Sexta-feira passada fui assistir ao musical Miss Saigon no Teatro Abril. Eu gosto muito destes musicais. O primeiro que assisti foi A Bela e A Fera,na montagem brasileira em 2002, e fiquei muito emocionada e totalmente encantada com o espetáculo. A Bela e A Fera continua sendo o meu preferido.
Miss Saigon é um espetáculo em que todos os diálogos são cantados. Não há uma fala "normal" sequer durante o espetáculo todo. As melodias são bonitas e envolventes,mas a tradução das letras para o Português ficou estranha. Em muitos trechos percebe-se que as palavras não encaixam na melodia como deveriam. Uma pena. Mas isso não tira o brilho da obra. É uma montagem muito caprichada, com cenários que impressionam e que encaixam perfeitamente na história. As trocas de cenários são impressionantes, acontecem em perfeita sintonia com as cenas. É um espetáculo adulto, as cenas que se passam nos bordéis de Saigon e Bangoc são bem fiéis. Bailarinas com pouca roupa e dançando lascivamente. Gostei porque não recai no mal gosto ou na baixaria. A melhor cena do espetáculo é o "Pesadelo de Kim" que ilustra a retirada das tropas americanas de Saigon. Os atores interagem com um portão ( portão da embaixada americana), os vietnamitas tentando entrar na embaixada e os americanos fugindo de helicóptero. Cena de tirar o fôlego.
O elenco é fabuloso. Kim, a Miss Saigon, é interpretada por Lissah Martins que tem uma voz lindíssima. Realmente era um talento que estava disperdiçado com as musiquinhas pseudo-pop do Rouge. Fiquei encantada com sua atuação. Chris,o grande amor da Miss Saigon, é feito por Nando Prado, que também canta muito bem. Marcos Tumura faz o Engenheiro,o cafetão, e é ótimo cantando e dançando. Todos que estão no palco dão um show, dançam e cantam muito bem. Mas quem conquista mesmo a platéia é o japinha que faz o filho da Kim. Que fofo o menininho! Três crianças revezam no papel, na noite que fomos que estava no palco era Naoki Koga.


Cenas do espetáculo.

Eu gostei muito mesmo do espetáculo em si, mas não gostei da história.

Quem não quiser saber detalhes do roteiro pare de ler aqui.

Na verdade eu fiquei revoltada. Kim é uma menina de 17 acaba em um bordel em Saigon e em sua primeira noite de trabalho conhece Chris, soldado americano, por quem se apaixona. Ele também se diz apaixonado por ela. Se casam , mas acontece uma revolução no Vietnã e os americanos deixam o país. Kim e Chris se perdem no meio da confusão.Bom, o amor foi grande somente para ela, que sofreu muito ao ficar mãe solteira e sozinha. Ele,agora casado, volta para procurá-la 3 anos depois quando descobre que eles tiveram um filho. Mas o encontro entre os dois não acontece. Acontece um encontro rápido no final , quando ela entrega o filho para ele e se mata. Achei o final forçadamente trágico e até preconceituoso, pois fica claro que Kim, por ser de um mundo totalmente diferente, não tem espaço na vida de Chris. A falta de amor dele também me incomodou. Como o amor tão forte foi facilmente esquecido? Ele nem ficou em conflito ao reencontrar Kim, simplesmente assegurou que amava sua esposa e que continuaria casado. Enfim, faltou um grande reencontro entre os amantes, faltou Kim ser um pouco mais forte e aguentar o tranco e , principalmente, faltou um Chris mais apaixonado e que merecesse todo amor de Kim.

Comentários

  1. que bacana amiga, essas produções costumam ser mesmo impecáveis. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. fiquei curiosa para assistir ams achoq ficaria revoltada com a historia como vc... mas a vida tb é assim nem sempre ha um final feliz

    ResponderExcluir
  3. As peças do teatro Abril sao realmente muito caprichadas mesmo. Eu gostaria de ver essa. Quem sabe fique por uma temporada longa, ne?

    ResponderExcluir
  4. Pedrita, o espetáculo é muito bem realizado. Vale a pena ir!

    Sugar, Você vai gostar! Eu adorei apesar de estar com ravi do mocinho da peça até agora! eheheh

    Mari, em geral estes espetáculos ficam um tempão em cartaz. Espero que vc consiga vir assistir!

    beijos

    ResponderExcluir
  5. Ah, Marion! Eu tenho muita inveja de quem consegue assistir musicais assim, ao vivo. Porque sou o cúmulo da dispersão, perco o fio da meada fácil. Mas também nunca assisti uma dessas montagens de grande porte que estão aparecendo no Brasil ultimamente. Taí, uma boa idéia ;)

    beijo!

    ResponderExcluir
  6. Helen, este espetáculo eu assisti sem saber muita coisa e entendi tudinho. Fui ler detalhes da história somente depois do espetáculo. Vá assistir! Vai gostar!

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Marion, eu tô aacreditando muito no fortalecimento dda tradição de musicais no teatro brasileiro.

    ResponderExcluir
  8. Déia, eu nunca vi um espetáculo deste no exterior, mas eu acho que as montagens daqui não deixam nada a desejar em comparação com as originais! A produção é maravilhosa!

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. O único que eu consegui ($$$$$) ver em Londres foi MAMMA MIA, todinho com músicas do Abba. Fquei louca, histérica, muito lindo!

    Depois vi IMPÉRIO do Falabella aqui no Rio mesmo...rs...aliás, ele é uma figura essencial a essa onda dos musicais. Tô louca pra ver Os Produtores tb.

    ResponderExcluir
  10. Déia, ai eu ia delirar neste espetáculo do ABBA!!! Nossa, deve ser tudo !!!!

    Os produtores eu ainda não sei se verei... estou pensando ... mas o espetáculo deve estar ótimo, pelo que eu vi ...
    Beijos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Meus Furacõezinhos!

Ovono