Fiu fiu .....GRRRRRRR

Este gato é um galanteador à moda antiga


Outro dia li uma notícia sobre uma italiana que processou um homem por assédio sexual. O homem não fez nada além de olhar para a mulher, encará-la por duas ocasiões em um trem. Quando eu li achei a reação da mulher exagerada, até bizarra admito. A editoria do portal onde li a notícia também a considerou surreal, pois ela foi publicada dentro das páginas de notícias bizarras.
Mas depois de um tempo eu me horrorizei com a minha reação. Afinal a mulher está certa, ela se sentiu constrangida pelo olhar daquele homem e foi se defender pelos meios legais. Como poderia eu achar isso bizarro? Para mim isso pareceu bizarro simplesmente porque aqui neste país nós mulheres ouvimos tantos absurdos dos homens na ruas que um simples olhar mais, digamos, profundo parece coisa boba. Como chegamos ao ponto de achar normal se assediada com palavras por desconhecidos? Eu sou do tipo que manda o cidadão para pqp quando me falam qualquer bobagem. Odeio este tipo de coisa, mas acontece tanto que, mesmo achando um absurdo, eu acho coisa corriqueira. O pior que não temos como escapar disso, mesmo que estejamos vestidas de maneira recatada podemos ser alvo de tais assédios verbais. Os caras acham isso normal e quando recebem um xingamento de volta ficam assustados. Afinal, como a mocinha não se sentiu lisonjeada com a abordagem? A mocinha aqui se sente é muito ofendida quando isso acontece. Infelizmente eu já li declaração de muita famosa falando que se sente horrorosa quando passa por uma construção e ninguém mexe com ela. Isso só contribui para que este tipo de assédio se perpetue. As mulheres ainda são vistas como um mero objeto sexual, que tem que aceitar qualquer cantada barata do garanhão mais próximo. E as coisas parecem que só pioram, vide o surgimento destas mulheres frutas na mídia. Mulheres que não tem nada à oferecer além de uma bunda grande e que gostam de ser chamadas de cachorras e todos os outros elogios (???) de baixo calão.
É triste não poder usar uma minissaia e sair na rua sem ser perturbada. E nem precisa ser uma minissaia muito curta para trair a atenção dos engraçadinhos que andam pelas ruas daqui. Eu muitas vezes desisto de colocar roupa curta se vou sair sozinha, prefiro evitar aborrecimentos.
É, somos ainda vistas como presas à espera do caçador.


Nota da blogueira: A revista TPM publicou uma ótima reportagem sobre este assunto, revelando quão violento é este assédio verbal que é considerado normal em nosso país. Clique aqui para ler.


Comentários

  1. Concordo com vc mas estamos num pais onde ditos e ditas formadores de opinião acham isso o máximo ;S.

    E em outra coisa que me revolta que nao li a materia mas ja estyou puta o sr Daniel filho acha otimo a cota nacional pqpq!!! ja chega a limitação que temos em chegar boas produçoes nos cinemas de outras partes do mundo alem dos eua. Vou ter que ver caminho do coração para ficar feliz com historias de mutantes??? ou pior vao começar a reclamar do aumento da pirataria???? para virarmos uma china com bloqueio de internet será um pulo....

    ResponderExcluir
  2. Acho impressionante como os homens assediam as mulheres de forma tão invasiva e não se tocam disso! Acho ridículo nas (raras) vezes em que vou a uma balada hétero, ver como os caras abordam as garotas, pegando no braço e puxando, cheirando o cabelo. Me remete ao tempo das cavernas. Mas vc está certa num ponto: por sauca de uma meia-dúzia de mulheres-abacate da vida, esses neandertais pensam que todas as mulheres são iguais. Por essas e outras não há como não admitir: a mulher é zilhões de vezes mais evoluída que o homem.

    ResponderExcluir
  3. Sugar, enquanto as famosas continuarem dizendo que é o máximo receberam cantas chulas isso ainda vai continuar ! E em relação às cotas de programação nacional, eu acho o fim!

    Fê, é terrível sair para balada. Eu me desanimei por completo por causa deste tipo de abordagem. É muito violento o jeito que os caras chegam nas meninas. Um absurdo!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. adorei a figurinha. nesse caso incomodou, mas ele só olhou. acho que falar obscenidades, até fazer algumas inconveniências deveriam ter processos sim pq aqui no Brasil exageram no desrespeito a mulher. e acho que poderíamos nos vestir como quiséssemos. não acho que seja a roupa que faça o desrespeito. quem desrespeita alguém que está com uma roupa mais sexy, e no direito dela, vai desrespeitar uma freira se achar ela interessante. acho que as mulheres são vistas como objeto sexual e isso só tem piorado nos últimos anos com a exacerbação do corpo. comerciais com mulheres "boas". que a mulher tem que ficar bonita sempre, não pode envelhecer. antes éramos escravas da situação patriarcal familiar, hoje somos escravas da beleza. não adiantou lutarmos tanto pela nossa independência pq agora somos dependentes da indústria da beleza. vou ler a matéria. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  5. Passando pra deixar beijo, queridona!

    ResponderExcluir
  6. Pedrita, vivemos a ditadura da beleza. É complicado. Eu pretendo escapar desta armadilha de nunca pode envelhecer. Acho que devemos nos cuidar sim, mas tudo dentro do limite saudável. Tenho horror de virar uma velha plastificada. E é triste ver a falta de respeito com que os homens tratam a gente.

    Oi Helen! Saudades de vc!

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Aqui na Argentina a situação muitas vezes parece inversa. Os caras muitas vezes dizem "Buenas noches, hermosa". Eu até respondo, porque nao acho isso uma falta de respeito.
    Por outro lado, na TV, a moda agora é a mulher se auto-proclamar "perra". Qto mais "perra" vc é, mais atraente vai parecer. Isso dizem...

    Bjo,

    Mari

    ResponderExcluir
  8. Isso é verdade, como diz o próprio Fernando... eu mesmo adoro a Trash80s, mas os caras de lá tem uma cara de pau deslavada para dar em cima das meninas... e ainda acham normal... outro dia mesmo um deles ficava entrando na nossa roda para falar com uma das amigas e quando eu levantei o machão os amigos ficaram tirando um sarro: "Deixa levar um fora, o cara tá bêbado". Mandei cantar de galo em outra freguesia... rs

    Bem, mas que não posso negar que uma cantadinha, olhadinha mal intencionada, assim, de leve, faz um beeeeemmmmmm pra estima!!!

    ResponderExcluir
  9. Mari, se é um piropo com educação tudo bem, mas aqui os caras não respeitam e partem para a baixaria. Ai, aí está como aqui então, cada vez as mulheres cachorras fazem mais sucesso! Afe!

    Demian, isso que eu odeio, cara abusado! O cara vê que vc não tá afim e continua insistindo. Por causa disso eu desanimo para ir para a balada.
    Ah, mas uma cantada bem feita é bom de receber, o problema é encontrar quem saiba fazê-la. Eu nunca gostei de vulgaridade. A pessoa tem que saber "chegar".

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. que buen post! aqui en asunción es imposible salir a la calle sin que te digan algún piropo..algunos muy simpáticos o tal vez no tan ordinarios y otros que te dan ganas de dar vuelta sus caras..
    pero no se puede evitar..
    la vez pasada escuche a un señor diciendole a un señora que si pasabas en frente a una construcción donde obviamente está lleno de albañiles..y no te decian algo era porque tu situación estaba muy fea..jajaja..
    besos!

    ResponderExcluir
  11. y que es eso de que te digan..
    que linda yegua sos!??
    por dioooss..ni que fueramos animales!

    ResponderExcluir
  12. Voltei !!! Ainda preciso preparar fotos, post... ahhh a viagem foi ótima =)

    Mas vamos ao seu post...
    eu ODEIO quando mexem comigo na rua. Se eu andasse armada, daria um tiro, com certeza. Acho uma falta de respeito enorme e na maioria das vezes tenho medo de xingar, sei lá que tipo de louco pode estar mexendo comigo... mas detesto. Me sinto ofendida ao extremo, e como vc disse, nem saindo vestida de freira conseguimos evitar isso. Tenho nojo de homens que fazem isso e sinto pena das mulheres que porventura possam se interessar de verdade por eles, pois pra mim são praticamente monstros (faltando pouco para isso). Ai, me dá raiva só de pensar...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Old, é um horror isso! Eu xingo mesmo, eu fico muito brava! Em Asu nunca me passou isso. Poucos caras sabem passar piropos legais!


    Rê, que bom que voltou! Estou louca pra saber das novidades e ver as fotos!
    Ah, eu fico brava com as cantadas na rua. Eu tb penso que pode ser perigoso responder, mas em geral penso isso depois que já mandei o fulano para pqp! É, sou como você, o sangue fever nestas siuações!

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Numa ótica darwiniana, que perigo!! Imagina que são essas "donzelas" que dão bola pra tão distintos cavalheiros que irão perpetuar a espécie.. Nossa, que viagem!!! Mas o que eu queria dizer é que como exemplar dotado de cromossomo Y, eu tenho vergonha alheia destes caras.. No entanto devo confessar que gostaria de visitar Buenos Aires.rs!!
    Bjs e ótima semana!

    ResponderExcluir
  15. Tak, ainda bem que não são todos os homens que são ogros! Ufa! Ah, Buenos Aires é uma cidade linda!!! Eu vou para lá nas férias, eu adoro lá! :) Visite-a quando tiver chance, vai adorar! Boa semana!

    ResponderExcluir
  16. nossa, marion, fico imaginando a auto-estima da pessoa que se acha horrorosa se ninguém mexe na construção... que triste. e triste isso não ser um papel reconhecidamente ridículo, fazer um comentário desses!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta