Boa de briga



Preciso aprender a brigar. Não no sentido físico, não tenho a intenção de sair distribuindo socos e chutes por aí. Nem teria condição física de bater em ninguém. Preciso é aprender a dizer que não gosto de algo na hora que tudo acontece, na hora em que fico chateada. Na hora que tudo acontece eu tento não ligar, tento fingir que nada aconteceu, tudo isso porque sempre quero evitar brigas. Mas no fim das contas esta minha atitude só piora as coisas, pois fico remoendo aquilo que me incomodou e, inevitavelmente, vou acabar falando, reclamando. Assim eu apenas consigo adiar um desentendimento que poderia ter sido resolvido na mesma hora. Por tentar evitar um atrito, fico sofrendo e no fim das contas não consigo relevar o acontecido e acabo piorando tudo. Queria mesmo era ser uma pessoa mais despachada, daquelas que não engolem sapos e dizem tudo na cara. Tenho a impressão que pessoas assim sofrem menos, pois não ficam guardando mágoa dentro de si, aparentemente não.  Ao mesmo tempo tenho a convicção que temos características que são imutáveis. Podemos aprender a ter certas qualidades, como ser treinados para falar bem em público. Mas a características vinculadas às nossas reações diante de situações tensas acho mais complicado de mudar. Talvez sejam impossíveis  de mudar.  Mas eu acho que mesmo assim vou tentar ser um pouquinho mais despachada, nem que seja uns  10% mais. Acho que isso vai facilitar um pouco a minha vida, talvez  deixá-la mais leve e, obviamente, menos dramática.  


Nota da blogueira: Realmente escrever é a minha terapia. Este post já serviu como substituto à uma consulta na terapia. Já que, pelo que vejo nos filmes e novelas, os terapeutas ficam em silêncio enquanto o paciente fala, para que gastar dinheiro com um? E aqui eu ainda tenho algum retorno, pois alguns leitores dão seus pitacos. É, escrever é uma ótima terapia, ainda mais quando a gente tem audiência.


Comentários

  1. Patry,

    As vezes sinto-me assim também. Gostaria de saber dizer " Não" com mais facilidade e também não engolir tantos "sapos"...Já melhorei um pouco, mas ainda há muito a aprender...Por incrível que pareça.
    Este é o nosso jeitinho de ser...

    Beijos!!!

    Tininha

    ResponderExcluir
  2. Menina, sou igualzinho. O problema é exatametne esse que vc falou, depois, ficamos remoendo sobre sermos mais fortes e decididos. Acho que até eu vou seguir seu conselho.

    bjão!

    ResponderExcluir
  3. Patry, é complicado ,as vezes achoq sou mais despachada mas mta vezes ja segurei mto e no final as vezes me acho culpada do mundo ser errado... m,as tb qdo estouro sai de baixo... vc escreve, eu faço arte... Cada um tem q achar seu jeito de lidar com tudo que nos sufoca mtas vezes. Hj quero matar ao menos uns 5 rs.. ainda bem q tenho mtas dobras pela frente!!! ah jogar games violentos também me ajuda mto!!!

    ResponderExcluir
  4. eu tb preciso aprender a brigar, em geral eu me calo e depois vem como uma trovoada tudo junto misturado e fica pior do q ser mais assertiva e pontuar a cada questão. ah, vc tb vai acumulando, é péssimo, pq depois vem exagerado e no meu caso, destemperado. eu já tenho conseguido me colocar mais atualmente. tenho uma amiga q ela é despachada. acho bárbaro como ela fala na boa e ainda consegue o q quer sem estressar. queria ser assim tb. eu acho q pessoas assim vivem mais leves e com relações melhores. eu tenho melhorado bastante, vou treinando, abrindo o jogo. o difícil é q tenho treinado com a faxineira e ela sempre quase chora e eu quase morro. mas nós temos nos entendido bem sem mágoas e ela não ficou minha inimiga. agora tenho q treinar profissionalmente, onde tenho mais medo de errar a mão. eu já trabalhei isso bastante em terapia, mas aprendi em terapia q dividir com as pessoas, ver q não somos as únicas nos comportamentos, ou vermos no espelho, a arte tb ajuda, vamos nos enxergando e melhorando. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  5. Tininha, acho que somos muito parecidas nisso mesmo. Eu acho que hoje já digo mais "nãos" que no passado, mas preciso melhorar.

    Wans, ficar remoendo é o pior de tudo! espero que você consiga melhorar! Vamos tentar, né?

    Sugar, mas eu queria ter um pouquinho do seu pavio curtor... acho que me faria bem em algumas situações. Ah, concordo videogame violento ajuda mesmo a acalmar a gente.

    Pedrita, a arte ajuda bastante. Em filmes, novelas a gente pode perceber coisas que na vida real não conseguimos entender. Olha, no campo profissional, para lidar com os clientes eu consigo ser durona e mais despachada. O problema é a na parte pessoal mesmo. Mas a gente vai aprendendo .. é a vida.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Acho que temos que buscar um meio termo. Não gosto nem um pouco de pessoas que se orgullham de "dizer tudo na cara", porque geralmente essas pessoas não tem freio mesmo e falam além do necessário, ofendendo as pessoas. Mas também é ruim ser passiva demais e engolir sapo para evitar confusão (que geralmente se transformam em barraco - e eu sou como você, prefiro evitar, já que odeio barracos). Também procuro pensar mais friamente em certas situações pra não ficar depois com a sensação de que poderia ter feito algo na hora e não fiz. Mas o importante é o equilíbrio, sinceridade demais vira falta de educação super fácil.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Rê, concordo que sinceridade demais é quase falta de educação. Não quero chegar a extremos mas queria ser um pouco mas decidida em momentos tensos. Mas espero encontrar equilíbrio, para saber falar o necessário na hora certa, em vez de ficar quieta e prolongar a tensão.


    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta