Filhos






As pessoas me olham com cara de espanto quando descobrem que eu ainda não tenho filhos, mesmo estando casada há quase 10 anos. A cara de espanto se transforma em cara de desaprovação quando eu falo que não pretendo ter filhos. Sempre é um momento desagradável porque me sinto no banco dos réus, sendo julgada e condenada. Pois, para grande parte das pessoas, é obrigação de uma  mulher casada ter filhos. E encaram como pecado mortal uma mulher que decide não ter filhos. Já escutei cada coisa nestes anos! Tento abstrair, mas não nego que tudo isso me deixa revoltada. Ter um filho é uma decisão que somente Wally e eu temos direito de opinar. Ninguém mais. Afinal, nós que criaremos o filho. Nossa vida que vai mudar, nós que temos que estar dispostos a nos dedicar a esta pessoa que vamos colocar no mundo. Mas nós não queremos. Não sentimos falta de filhos humanos e estamos felizes com nossos filhos felinos.  E se um dia tivermos um filho (biológico ou adotado) é porque mudamos de opinão e não porque resolvemos nos curvar à imposição da sociedade.


Os olhares de condenação que as pessoas me lançam, deveriam ser lançados para as pessoas que têm filhos sem a menor condição de tê-los, seja condição psicológica ou financeira.  Eu ando muito chocada com as notícias que leio nos jornais. Notícias de pais que maltratam seus filhos. Que matam seus filhos de tanto bater. Que torturam seus filhos. Que jogam os recém-nascidos em lixeiras ou em banheiros de hospitais. Será que isto deixaria de acontecer se ter filho parasse de ser visto como uma questão natural e passasse a ser visto como uma escolha?  A sensação que tenho é que as pessoas têm os filhos apenas por ser uma etapa da vida considerada natural. As pessoas parecem não pensar no que implica ter um filho. Não pensam na grande responsabilidade de se criar um ser humano. E o que vemos é cada vez mais, são jovens sem limites, que os pais não souberam educar. Outros tantos largados pelas ruas, pois os pais não tinham condições financeiras de manter seus filhos.  Tenho receio da nova geração de adultos que está por vir. Serão pessoas que não terão condições de enfrentar a vida adulta por não ter sido educados para enfrentar obstáculos e frustrações. No outro extremo teremos pessoas que não terão como conseguir emprego porque não tiveram acesso à educação. Uma realidade assombrosa. 


Penso que  um mundo, onde as pessoas tiverem filhos simplesmente por terem vontade tê-los, será muito melhor. Ter filhos por imposição da sociedade  ou mesmo por falta de conhecimento de como prevenir uma gravidez, gera pais que não têm paciência e nem amor suficiente para dedicar aos seus filhos. Criam-se assim famílias desajustadas. Os filhos acabam sendo punidos pela irresponsabilidade dos pais. Filho não é brinquedo.  Filho é responsabilidade das grandes. Filho precisa de amor e dedicação dos pais.  Nem todo mundo nasceu com vocação para ser pai e mãe.  Quando a sociedade aceitar isso, a vida será muito mais tranquila para pessoas como eu, que optam por não terem filhos. E com certeza muitas pessoas terão coragem de assumir para o mundo que não querem ter filhos. É difícil assumir uma posição que é fora dos padrões aceitos como normais. Mas prefiro continuar assim, enfrentando os olhares de condenação, do que ter um filho e descobrir que não tenho disposição para me dedicar a ele.  Só terei um filho se realmente eu sentir que desejo isso profundamente, se o tal do instinto materno resolver aflorar em meu ser.


Filho é coisa séria. Tenha somente se é o que você mais quer. Em caso de dúvida, melhor não tê-los. E se tiver, trate-o com todo amor e respeito. E dê limites e educação. Um filho nunca pede para nascer, por isso, ele tem o direito de nascer em um lar que realmente o desejou e está disposto a criá-lo.



 

Comentários

  1. minha irmã tb se decidiu não ter filhos. ela e o marido tb estão casado há mais de 10 anos. nós aqui em casa sempre respeitamos a decisão dela. o único receio sempre é se ela não vai se arrepender, mas não se arrependeu. ela realmente nunca sonhou ter filhos como eu. eu sempre quis e me frustro de não ter tido, mas ainda vou ter. eu sempre quis. é o q vc disse, é uma decisão séria. minha mãe teve filhos pq tinha q ter. uma até segurou a onda, mas só engravidou de mim pra dar um homem para o meu pai e não lidou bem de ter sofrido pra nascer outra menina. eu tb fico chocada com a forma como tratam essas mulheres q abandonam. como não há a conversa sobre prevenção, filhos, sempre a maternidade é vista como a melhor coisa do mundo, acabam engravidando e sofrendo, e pior, muitas estão pirando. eu sempre tenho essa conversa q vc teve sobre a seriedade da maternidade. sei q o amor materno não é 100%, q sim, mães podem sim odiar seus filhos. e q exatamente por isso a maternidade não deve ser uma obrigação e sim um desejo. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Assino embaixo de tudo o que vc falou. As pessoas baseiam-se nas suas aptidões na hora de escolher uma carreira, por que tem que ser diferente com filhos ou com o estilo de vida? (solteiro, casado etc)

    E tem outra coisa, hoje vc ouve palpites porque não quer ter filhos, pois se vc tivesse ouviria muito mais! Todo mundo sempre tem a solução pros nossos problemas, mas na hora do vamos ver ninguém está ali pra encarar a bucha, é tudo nosso mesmo. O jeito é ignorar, não é fácil mas não tem como ficar rebatendo cada palpite que recebemos a toda hora...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Pedrita, é a escolha que fazemos. A gente nunca sabe como vai pensar lá na frente. Mas é melhor se arrepender de não ter tido um filho, do que ter um e se arrepender. Filho é algo definitivo. Não se pode se dar ao luxo de se arrepender de se ter um filho. Por isso eu acho que tem que pensar muito muito muito. Sua irmã também deve ouvir muita gente recriminando a opção que ela fez.

    Rê, eu posso imaginar. E você disse tudo, podem falar o que for, é você que vai cuidar do seu filho e não os outros. O jeito mesmo é ignorar ( lembrei do seu post sobre a emprega palpiteira! que horror! )

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Cheguei aqui por acaso, gostei muito dos posts, adoro gatos! Também enfrento esses olhares com bastante frequência. São poucos os que entendem e aceitam o fato de eu não querer ter filhos, de não gostar muito de cozinhar, de não querer falar sobre decoração de casa... Parece que as pessoas fazem questão de ser todas iguais. É triste ver como algumas mulheres têm filhos só para cumprir com a obrigação, para fazer parte da sociedade e não gostam das crianças, tratam mal, etc.

    ResponderExcluir
  5. Oi Marion, as pessoas vão ser muito masi felizes quando largarem velhos costumes sem noção e passarem a aceitar as pessoas como elas são. E olhar par aa maternidade como um evento sério, é uma vida que nasce. Aqui no norte é complicado, muitas pessoas tem filhos sem condições de cria´los, as crianças ficam na rua o tempo todo, não se tem uma criação igual. Pior é que quando você pára e pergunta, mas porque vc tem tantos filhos, voce escuta, o primeiro foi pra segurar o marido.. isso é absurdo, uma vida não te prende a outra pessoa.
    Bjo

    ResponderExcluir
  6. Oi Bruxa! Fico contente que gostou daqui! Se você gosta de gatos aqui vai ver muitos gatos.
    Sobre o post, as pessoas são presas às conveções e acabam infernizando que é diferente.

    Oi Gammelo, assino embaixo ! As pessoas têm filhos pelos motivos errados.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Agora posso dizer que amo a minha baby..mas já fui bem recriminada quando ela nasceu e fiz um comentário dizendo que ainda não a amava... pois fazia tão pouco que ela tinha chegado na minha vida... Nunca fui daquelas mulheres que tem aquele desejo materno.. e sempre pensava.. queria uma baby mas e se eu não gostasse? Não poderia devolvê-la... fui parar na psicológa!!! Mas hoje posso dizer que nesses 1 ano e 1 mês vivi tantos momentos lindos com essa pequenaaaa!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Eu enfrento o mesmo tipo de censura da sociedade pelo fato de estar me aproximando dos 40 e não ter me casado. As cobranças nunca acabam, né? Quando se está solteira, é pq ficou pra titia. Quando está casada e não tem filhos, é pq é egoísta... Ai, eu nem ligo! Costumo dizer sobre o assunto dos filhos que eu teria só se estivesse devidamente casada, porque não quero enfrentar essa bucha sozinha e acho que uma criança precisa da figura do pai. As pessoas torcem o nariz pra mim qdo digo que, fora dessa condição, não terei e não me sentirei menos mulher por isso. Se vocês não tiveram rebentos até o momento, tem mais é que curtir a vida a dois!
    Bjs,
    Mari

    ResponderExcluir
  9. Leti, acho que as pessoas colocam a maternidade como algo mágico. Uma amiga conta que, quando estava grávida, não sentia nada de especial pela criança que levava na barriga, chegou até se achar uma et, pois todas as mulheres falavam que já amavam o filho na barriga. Até o que o médico a tranquilizou, disse que é normal, afinal ela ainda não conhece o bebê. O amor vem com o tempo. Hoje esta minha amiga é uma mãe exemplar, como você! ;) As pessoas tendem a idealizar uma situação, e se a gente não segue o roteiro somos tidas como esquisitas.

    Mari,é cobrança atrás de cobrança né? Parece que nunca a gente atinge o patamar que vai deixar as outras pessoas satisfeitas. Você tá certa de não ligar. Eu tento não ligar, mas tem hora que me estresso!

    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Meus Furacõezinhos!

Ovono