Ela Se Foi




Há decisões que desejamos nunca ter que tomar. Hoje tive que encarar uma decisão assim. Difícil firmar uma posição, difícil saber se realmente foi a decisão acertada. Passadas algumas horas, acredito que  Sugarbaby e eu não tínhamos alternativa. Decisão foi tomada com o coração em pedaços, mas ao mesmo tempo sentíamos que estávamos dando descanso à Marion, que tantas alegrias nos trouxe durante os 19 anos que passou conosco. Agora ela descansa em paz e nos deixou lindas lembranças. Hoje estas lembranças me fazem chorar, mas sei que, daqui a algum tempo, estas lembranças me farão sorrir. 

Ontem a Marion acordou muito mal. Miava muito. Miava de dor. Sugarbaby a levou ao hospital veterinário, ela foi internada.  Os exames dectaram problema renal crônico. Ela estava bem fraca a desidratada. E ela recusou o alimento oferecido no hospital, não quis comer e quando tentaram forçar a alimentação notaram que ela não conseguia mais engolir.  Situação bem crítica. 


Hoje à tarde fui com a  Sugarbaby visitar a Marion. A veterinária me trouxe uma gatinha quase desfalecida enrolada num paninho, leve e quietinha. A peguei no colo e as lágrimas começaram a cair. Aquela gatinha nem parecia a minha Marion. Não era nem a sombra da gata linda e forte que sempre foi.  Ficamos com ela por mais de uma hora.  Conversamos muito com a veterinária e ela nos disse que o estado era grave mesmo e as chances de melhoras eram mínimas.  O que ela disse era óbvio para nós duas, era visível o estado delicado dela.  Tristeza e dúvidas assolaram nossas mentes. O que fazer?  Deixá-la internada e sofrendo mais alguns dias?  Ou terminar com o sofrimento dela?  Será que um milagre poderia acontecer? Foi difícil verbalizar a decisão pela eutanásia. Difícil ter certeza que era a decisão certa. Foram momentos eternos. Conversamos com a mamãe , com Wally e no final criamos coragem para manter a decisão e deixar a Marion descansar.

Nós ficamos com ela até o último momento. Acompanhamos o procedimento da eutanásia. Foi rápido e muito triste. Literalmente eu a vi nascer e morrer.  Chorei muito na hora que ela se foi. Está bem difícil lidar com a tristeza.  Mas acho que fizemos o que era melhor para ela. Não fazia sentido deixá-la internada lá por mais dias sofrendo, somente esperando a morte chegar.  Não seria justo com ela, ela não podia sofrer mais.  


Sentirei muita falta dela. Ela marcou a minha vida. Que ela agora descanse no céu dos gatinhos. Deixou muita lembrança boa por aqui. Marion, fica com Deus! 


 

Comentários

  1. não é fácil mesmo, tadinha. vai deixar saudades.

    ResponderExcluir
  2. Eu sei que não nos conhecemos pessoalmente, mas vejo pelo seu blog que você amava do fundo do seu coração essa gatinha, e tenho certeza que ela irá fazer muita falta na sua vida, portanto tudo que lhe desejo é força para superar essa perda...

    Uma vez vi um texto que quando a morte é iminente temos 3 fases para a superação, a primeira é não acreditar, achar que é mentira, que isso não está acontecendo e etc, a segunda é questionar, por que determinado indivíduo? e a ultima fase é aceitar, temos que passar por todos essas fases, cada uma em seu devido tempo para podermos superar realmente a perda de algo que fez parte da nossa vida...

    ResponderExcluir
  3. Que triste... Sei como dói um momento como esse, mas acredito que vcs tomaram a decisão certa. Mando meu abraço pra você e pra Paula!

    ResponderExcluir
  4. Meninas (Paula, Patry e d. Ana), pelo pouco que convivi com essa guerreirinha pude sentir o quanto ela era amada e amava. Estou com um nó na garganta, sei como é passar por essa decisão. Saibam que vcs fizeram o melhor para Marion SEMPRE, sempre e sempre. Bjs e um abraço longo.

    ResponderExcluir
  5. baby, como eu te disse ontem, meu abraço é grande e fofo. Estou por aqui, ok?

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Vocês, com certeza, tomaram a decisão correta, pois ela não tinha como expressar a opinião dela e era notório que estava sofrendo. Agora é pensar nas lembranças legais que ela deixou, como quando vinha no nosso colo quando chegávamos ao apartamento e ficava amassando o colo da gente com as patinhas antes de se sentar... Bjs,
    Mari

    ResponderExcluir
  7. Douglas W. de Oliveiraquinta-feira, 05 janeiro, 2012

    :'-(

    q triste..

    ResponderExcluir
  8. Oi Marion.

    Que triste. Esses momentos são tão difíceis e dolorosos.

    Muitos beijos.
    Elvira

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta