SOPA


Hesitei um pouco antes de clicar no botão publicar na última sexta-feira. Cheguei a pensar em desistir do post, mas depois achei que estava com um medo exagerado e publiquei-o. O meu medo estava relacionado ao vídeo do Glee e ao projeto SOPA (Stop Online Piracy Act). O SOPA é um projeto de lei que tramita no senado dos USA que tem como objetivo combater a pirataria na internet, mas que na verdade pode ser tornar uma ferramenta para censurar o conteúdo publicado na internet, já que o projeto permite que qualquer conteúdo que esteja suspeito de violar os direitos autorais, possa ser retirado da internet imediatamente, sem que haja uma investigação e/ou processo judicial dê embasamento à decisão. Assim, a internet ficaria sujeita ao humor dos fiscais e qualquer conteúdo poderia ser retirado do ar apenas porque na cabeça do cidadão a simples citação do nome de um famoso pode violar os direitos autorais. É uma lei perigosa demais e que pode acabar com o direito de livre expressão na internet. Nossa internet corre o risco de virar uma internet chinesa, onde os cidadãos só podem acessar o conteúdo permitido pelo governo e não podem publicar nada livremente, sem a prévia autorização do governo.

Mas, peraí! A tal lei é nos USA e isso vai me afetar? Vai! Este meu bloguinho aqui é hospedado no Blogger,que faz parte do Google, que é uma empresa americana e que tem seus servidores naquele país. Assim, o meu blog estaria sujeito as leis americanas para conteúdo da internet e tudo que eu escrevesse estaria sujeito a intervenção/censura do governo americano.  Um simples vídeo do Glee poderia matar o meu blog para sempre. 
A tal lei nem foi aprovada e ações contra os sites que divulgam/compartilham arquivos na internet  já começaram. Sites sendo fechados e os responsáveis sendo presos. Acho que a tendência é a situação piorar. Tenso. O caldo vai entornar de vez e isso não vai demorar. 

Eu assisto seriados via download. Há anos que não vejo mais seriados pela TV a cabo. Desisti de ver pela TV por causa da má qualidade das imagens e das  legendas. Além das reprises excessivas e  falta de cuidado com a cronologia dos episódios que vão ao ar.  Via download eu vejo o episódio no máximo um dia após a sua veiculação no país de origem e conto com legendas de alta qualidade. Mesmo vendo os seriados por um meio, digamos, alternativo, não deixo de gerar lucros para os produtos dos seriados. Eu  compro os DVDs dos seriados que mais gosto e, no caso do Glee, compro todos os CDs com a trilha sonora da série. Eu não vejo seriados via download para não pagar TV a Cabo, aliás eu assino TV a cabo, vejo simplesmente porque é o melhor jeito para ver seriados e ponto.  O que falta para os legisladores e os produtores de televisão/cinema/ música, é a percepção que tudo mudou. O jeito de consumir cultura mudou, as pessoas já não querem mais ficar presas à programação da TV. Querem ver seus programas preferidos quando bem entenderem, sem ter que ficar refém do horário em que o programa vai passar.  Há um público ávido em consumir produções de qualidade e, tenho certeza, que não se furtaria de pagar por isso desde que tivesse a mesma qualidade e flexibilidade que as séries via download proporcionam. O caminho é encontrar novos meios de veiculação da produção cultural e não optar pela censura para obrigar as pessoas a continuarem presas aos padrões antigos.  Só o tempo dirá como tudo isso irá se desenrolar. Que seja pelo caminho da mudança e não pelo caminho da censura.

Comentários

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta