Godzilla




O filme Godzilla (USA/Japão - 2014) me deixou um tanto frustrada. Fui ao cinema com  a expectativa que o Godzilla fosse o protagonista da filme, mas ele é apenas o coadjuvante, ficando atrás dos protagonistas humanos (Brody pai e Brody filho) e dos protagonistas monstruosos (os Mutos). Fiquei com a impressão que foi uma mancada da edição do filme, que fez cortes inoportunos, quebrando sequências de lutas entre o Godzilla e os Mutos que prometiam ser épicas. Uma pena, pois se a edição tivesse sido mais generosa com as cenas onde o Godzilla aparece, o filme teria sido impactante.  Ficou só na promessa mesmo. 

O filme começa no Japão, há 15 anos, onde Joe Brody (Joe Cranston, que está ótimo no papel) trabalha como engenheiro em uma usina nuclear. Ele vive feliz lá com a mulher e o filho, Ford Brody (o lindo e bom ator Aaron Taylor-Johnson) até o dia que a cidade onde mora é atingida por um terremoto e  destrói tudo.  Ele não acredita que tenha sido um terremoto, como o governo afirma, mas ninguém acredita nele. 

O tempo passa e o filme chega nos dia de hoje, com Joe ainda vivendo no Japão e tentando descobrir o que de fato aconteceu naquele dia do terremoto. Ford  agora é um oficial do exército norte-americano que ainda carrega traumas do dia do peseudo terremoto.  Não é nenhum spoiler dizer que realmente não houve terremoto e que os tremores foram causados por monstros gigantes, né? A ação do filme se concentra na tentativa das pessoas em descobrirem o que realmente são estas criaturas gigantes e como combatê-las. E aí está o problema do filme, focar demais nas pessoas e em suas estratégias para combater os monstros.  Claro que é uma parte importante do roteiro, não dá para fazer um filme somente com monstros destruindo as cidades, mas não se pode fazer um filme que tenha  o Godzilla como título e mostrar poucas cenas de lutas entre os monstros! É frustrante!  

As  cenas em que o Godzilla aparece são magníficas, ele está grandioso mesmo e assustador. Fiquei impressionada com as sequências dele no meio da cidade e lutando com os Mutos. Cenas de tirar o fôlego, que me fizeram torcer muito pelo Godzilla. Penas que estas cenas foram muito poucas durante o filme. Realmente não sei o que passou na cabeça do diretor na hora de fazer a edição final do filme. 

Assisti ao filme no IMAX do Shopping Bourbon na versão legendada em 3D.  O filme não tem cenas que justifiquem pagar mais caro pela versão 3D, mas vale a pena pela telona do IMAX, que permite que a gente  veja cada detalhe das aparições épicas do Godzilla no filme.  Seria perfeito se tivesse uma versão para IMAX em 2D. 



Comentários

  1. eu vi um godzilla faz tempo e era igualmente ruim. bom saber q não melhorou nada. beijos, pedrita

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta