Despedida


Álvaro está de agasalho vinho, logo na frente.


Ontem logo que liguei o computador cedinho, antes de ir para o trabalho, me deparei com uma notícia que me deixou muito triste. Foi um choque. Era a notícia da morte de um rádio-amigo,o Álvaro Taniguti.  Rádio-amigo é como nossa turma da faculdade de Rádio e TV se trata, nem lembro como isso começou, mas deste o ínicío do curso em 1990 a gente já se chamava assim e isso perdura até hoje. Era uma turma pequena, de gente bacana apaixonada por rádio. Álvaro desde aquela época já tinha uma voz de rádio. Tinha aquela voz bacana de locutor e ele era bom nisso. Ele não terminou o curso, saiu logo e foi cursar jornalismo em outra faculdade e conseguiu se firmar como jornalista de rádio. Desde a época da faculdade nunca mais o encontrei, a gente tinha um contato esporádico via e-mail. Nada além disso. Como é o meu contato com a maior parte dos meus rádio-amigos, mas nem por isso o sentimento de amizade é menor. A vida toma seus rumos, acaba cada um em um canto, mas o vínculo que a gente criou naquela época é indestrutível. Praticamente todos, salvo a Silvinha e o Jair, eram de outras cidades e foram para Bauru para fazer o curso na Unesp. Assim estávamos lá sem família e amigos, com isso criamos laços fortes de amizade, afinal nós só tínhamos uns aos outros naquela cidade. Passávamos muito tempo junto, não só o tempo da aula. E no final viramos uma grande família, que se adorava e que brigava muito também.  Eu brigava muito com o Álvaro, ou será que era ele que brigava comigo? Não importa, o que eu sei que é  as brigas passavam e a gente sempre se divertia muito e se ajudava muito também. Foi uma época onde eu aprendi muito. O aprendizado pessoal foi muito maior que o aprendizado acadêmico. Foram anos preciosos que deixaram saudades e me deram amigos queridos. Com a notícia da morte dele minha cabeça foi invadida por um turbilhão de lembranças. Lembrei que ele morava na Kripta, república que tinha este nome porque ficava ao lado do Cemitério da Saudade, que Álvaro e eu compartilhamos infinitas horas de viagem à bordo dos ônibus do Expresso de Prata, ele era aqui de São Paulo como eu, que a gente se divertia muito fazendo os trabalhos da faculdade e por aí vai... Estou triste e ao mesmo tempo chocada. É um baque saber da morte de alguém que tinha tanta vida pela frente. Ainda não me recuperei do susto e estou tentando assimilar o acontecido. Estou meio fora do ar mesmo, sem entender como coisas assim podem acontecer. É triste. Muito triste. Que o meu querido rádio-amigo descanse em paz. Com certeza ele deixou muitas saudades neste mundo.  



Nota da blogueira: Soube da notícia através da Giane. Ela deixou no Twitter um link com a notícia do falecimento.

Nota da blogueira 2: A foto foi tirada logo na primeira semana de aula, estão quase todos da turma nesta foto. Nossa classe era bem pequena, uns 15. E quase entrou em extinção, na turma de formandos de 1993 éramos 5! 




Comentários

  1. que triste amiga. sinto muito. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Nossa, é triste mesmo receber uma notícia dessas, parece anti-natural morrer jovem assim né? Uma pena...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Ahh Marion, qta saudade e qta tristeza tb. =(
    Fiquei desbaratinada qdo li a noticia num twitter que sigo, só sobre rádio. Na mesma hora, avisei dois dos nossos "radioamigos" estavam no MSN, o João e a Renata (vc já tinha saído). Foi como se ficássemos de mãos dadas, em oração pelo nosso amigo, que tanto lutou contra a doença.
    Fica a lembrança de um cara alto astral, divertido, de personalidade e um radialista apaixonado, talvez um dos mais apaixonados que conheci.
    Lindo seu post.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Pedrita, e é tão difícil lidar com uma tristeza dessas.

    Rê, também não me parece algo natural morrer tão cedo assim. :(

    Gi, eu fiquei bem abalada. Não parei de pensar nele e em todos nós ontem. Difícil de acreditar. Aí, misturou tudo, uma grande tristeza e uma certa alegria provocada pela avalanche de memórias que me atingiu ontem. Muita saudades dele. Um pena que ele se foi tão cedo e que tenha sofrido.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Querida! Triste, triste a perda de um amigo que na minha pouca convivência lá em Bauru ficou a lembrança de um jovem louco por locução que tinha no sangue aquela coisa da animação, de levar felicidade, música e notícia pra quem ouvia do outro lado, ah isso era nato nesse menino...
    Amiga, adorei ler seu blog e ter o seu contato, ficou ainda maior o aperto no coração, o que a Gi disse é verdade, logo cedo recebi o recado pelo Pedro, que tinha sido avisado pelo Rick e os rádios-amigos se uniam em vibrações positivas ao querido Álvaro! E quantos os querem bem, quantos o amam que Deus conforte a dor dos seus e ele esteja em Paz. Obrigada por postar essa foto, saudades de todos!!!! De verdade, Ioco

    ResponderExcluir
  6. Ioco, que saudades de ti! Realmente acho que todos nossos pensamentos se uniram neste momento de tanta tristeza. O Álvaro tinha o dom da locução, eu adorava a voz de rádio dele. Eu tenho que escanear as fotos daquela época, eu tenho muitas. Quando eu fizer isso eu mando para todos nossos rádio-amigos.
    Beijos e adorei ter ver aqui.

    ResponderExcluir
  7. Que pena Marion!
    Meus sentimentos.

    Bjs.
    Elvira

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Meus Furacõezinhos!

Ovono