O Canto da Cidade




O ano era 1993. Mais especificamente, janeiro de 1993. Eu estava prestes a começar último ano da faculdade de Rádio e TV e ainda não fazia a mínima idéia do que fazer como trabalho de conclusão de curso, o tal TCC como se diz hoje em dia. Eu estava quase apavorada, pois eu pensava e pensava e não achava nada bom o suficiente para inspirar a minha tese. Mas numa tarde preguiçosa no meio das minhas férias, tive um estalo e a idéia veio completa. Lembro bem daquele dia. Eu estava no quarto dos meus pais vendo MTV, pois somente na TV de lá havia como sintonizar o sinal UHF da emissora (sim, isso foi na era pré-TV à cabo!). De repente começa a passar o clipe " O Canto da Cidade" da Daniela Mercury e eu fiquei vidrada nele. Um clipe muito bem produzido, bem diferente do clipe do primeiro sucesso dela (Swing da Cor). E este clipe era bem feito pois foi produzido para passar na MTV Brasil, inaugurada dois anos antes. Antes da MTV  os clipes eram feitos para passar no Fantástico. As gravadoras não enxergavam os videoclipes como ferramenta de divulgação de seus artistas. Faziam de encomenda para o Fantástico e só. Em geral estes clipes era bem ruinzinhos, com produção precária. A MTV chegou e tudo mudou. O clipe virou peça essencial no material de divulgação de um artista.  Mas não foi só a qualidade dos videoclipes que melhorou com a chegada da MTV ao Brasil, a produção da TV brasileira foi muito influenciada com isso, a MTV trouxe modernidade à estética televisiva do Brasil nos anos 90, fez um bem danado à nossa tv que parecia parada no tempo. O clipe da Daniela ia passando e todas estas idéias iam brotando na minha cabeça. Foi um momento quase mágico. Acabou o clipe e eu corri para pegar papel e caneta para escrever uma carta para a Giane expondo a minha idéia. A gente tinha combinado que faria o trabalho juntas, e ela estava como eu, sem idéias naquele angustiante janeiro. Mandei a carta e a idéia foi aprovada! Passamos o ano de 93 fazendo o trabalho, nós duas e a Silvinha, outra colega de classe. E digo com todo orgulho que nosso trabalho ficou  perfeito.  Conseguimos fundamentar bem nossa tese e recebemos 10 da banca avaliadora. O dia da apresentação foi um dos mais tensos da minha vida. Eu já tenho pavor de falar em público, neste dia o medo estava turbinado, pois da minha performance dependia a minhar formatura. Eu tremia! Mas pelos relatos, consegui disfarçar bem o nervosismo, teve gente que até elogiou a minha calma para apresentar o trabalho! Nós três nos saímos muito bem.  Foi um dia marcante, inesquecível. Na verdade, todo processo de realização do trabalho foi marcante. Conseguimos fazer um trabalho acadêmico com a nossa cara. Mesmo respeitando todas as regrinhas chatas de metodologia, o trabalho ficou leve, informal, como deve ser um trabalho sobre uma emissora de tv informal e descolada como a MTV.  :)

Escrever este post me deu muita vontade de reler o meu trabalho. Mas infelizmente não sei onde foi parar a minha cópia dele. Deve ter se perdido durante as várias mudanças de casa desde a época da faculdade. Um dia eu ainda acho. Mas se a vontade de relê-lo bater forte mesmo, eu pego um Expresso de Prata e vou até Bauru. Na biblioteca da Unesp tem uma cópia do trabalho bem guardadinha. :) 


Nota da blogueira: Post inspirado numa conversa com Wally depois do jantar de ontem. Ele me perguntou algo sobre a Daniela Mercury e pronto. As memórias do trabalho começaram a explodir na minha cabeça.

Nota da blogueira 2: O post saiu num estalo. Mas não consegui pensar num título bacana. Assim decidi deixar como título o nome da música inspiradora do meu TCC.




Comentários

  1. Você já me falou desse trabalho e eu fiquei tão curiosa pra ler! :) Acho que não tem TCC levado a sério com pelo menos uma boa história. O meu era em grupo tbm, deu tanto trabalho mas ficou lindo, foi o melhor da turma. E depois ainda fiquei sabendo que um veterano saiu falando que uma das ideias que tivemos pra apresentação foi dele, sendo que nem falávamos com ele!
    Mas na hora o nervosismo é enorme, só dá pra saber que deu tudo certo depois que termina né?
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi Marion, a tres anos atras eu estava perdido no tcc, ia fazer uma coisa x e fiz algo alfa kkk.. mas foi assim, conversando com a minha orientadora e a gente falou é isso. eu tenho uma copia digital da minha e tb publiquei um artigo então esta sacramentado de alguma forma.
    Fiquei curioso tb para ler o seu tcc, algumas faculdades digitalizaram as monografias vc ja deu uma busca na net para ver se a encontra?
    Falando em apresentação a minha aula de qualificação é logo no começo de dezembro, eu estou ficando ja nervoso.
    Bjo

    ResponderExcluir
  3. Bela lembrança, Marion!
    Tcc sempre é um sufoco e claro, p/ nós não foi diferente.
    Fiquei orgulhosa do nosso trabalho. Inclusive ele foi referencia p/ alguns aqui sobre videoclipes ehehe
    Ainda tenho a cópia do meu. Se quiser, posso xerocar p/ vc. ^.~
    Bjoo

    ResponderExcluir
  4. Rê, assim que eu conseguir uma versão digitalizada eu te passo! Nossa, que veterano cara de pau!

    Gammelo, nunca pensei nisso. Pode ser mesmo que tenha já uma cópia digitalizada. Vou procurar saber...

    Gi, Foi um belo trabalho! Melhor que xerocar, acho que vou te pedir para mandar digitalizar tudo... aí te pago! :) Depois a gente fala disso direitinho.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Muito legal o post, Patry! Quanto à Daniela, as pessoas tem um pouco de preconceito, porque dizem que axé é brega, mas eu fui ao show dela em BA e adorei! Ela canta e dança o tempo todo, sem perder o ritmo ou o pique. Beijinhos,

    ResponderExcluir
  6. Mari, que bom que gostou! Eu gosto muito da Daniela. E é uma falha grande no meu currículos de show nunca ter ido a um show dela. Deve ser incrível mesmo!

    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Meus Furacõezinhos!

Ovono