cabine 7616



Como era a minha primeira viagem de navio, fiz questão que a cabine tivesse ao menos uma janela. No navio há muitas cabines internas, ou seja, cabines que não têm janelas. Ficaria muito frustrada se ficasse em uma cabine assim. Acabamos escolhendo uma cabine com varanda e foi uma ótima escolha. A vista que se tinha da varanda era linda.  Demos muita sorte por escolher uma cabine na parte traseira do navio, pois balança muito menos. Mesmo balançando menos, convivemos o tempo todo com o mini-terremoto habitual do navio. Nunca passei por um terremoto, mas pelo que já vi na TV, os movimentos que o navio faz se parecem muito com os movimento de um terremoto, mas com uma intensidade bem menor. 


A cabine é bem espaçosa. Bem maior do que eu esperava, achei que seria tudo mais apertadinho, mas tudo é bem dimensionado. Além da cama, ainda há um sofá muito confortável. A cama é ótima e os travesseiros também. Adorei o banheiro, pequeno, mas não é apertado como o banheiro do meu apartamento, tanto que vamos nos inspirar nele quando fizermos a reforma do banheiro aqui do apê, para torná-lo menos apertado. E na varanda ainda tem mesinha e duas cadeiras.  O guarda-roupa é bom também, coube tudo que levamos. E olha que eu levei um montão de roupas! Na indecisão, resolvi levar tudo que achei que fosse usar lá. Não usei nem metade.





Fiz um vídeo que mostra bem como é a cabine.  Dá para ter uma boa idéia de como é o cantinho onde eu fiquei hospedada durante a viagem.


A cabine era arrumada pelo menos 2 vezes por dia pelo camareiro, o Prakesh, um indiano muito simpático. E em duas ocasiões nos deparamos com os bichinhos acima. Feitos de toalhas, estes origamis nos fizeram sorrir. São os camareiros que fazem, no penúltimo dia até teve um curso para ensinar os passageiros a fazer o origami de tolha, queria ter feito, mas acabamos perdendo o horário, era de manhã e neste horário estávamos curtindo a piscina.

 
Na cabine há vários coletes salva-vidas. A preocupação com a segurança é grande no navio, tanto que logo depois do embarque, todos os passageiros são obrigados a participar de um exercício de segurança, que informa o que tem que ser feito em caso de uma emergência. No navio também há muitos botes, na verdade lanchas, salva-vidas. Ficam pendurados no deck 4. Eu achei que as lanchas eram usadas só em emergências, mas descobri que as maiores são usadas para desembarque também. Andamos em uma delas para desembarcar em Punta Del Este. Confesso que morri de medo quando soube deste detalhe, não tenho medo da lancha em si, mas tenho medo do momento de subir e descer da lancha. Mas no final deu tudo certo. Conto com mais detalhes depois. 


Anda-se muito no navio. Para chegar até a minha cabine, eu passava por este corredor enorme. No primeiro e penúltimos dias de viagem o corredor fica cheio de malas. No primeiro dia as malas são deixadas na porta das cabines. As nossas malas chegaram mais de uma hora depois que a gente havia embarcado. No final da viagem, tivemos que deixar as malas na véspera da chegada em Santos na porta da cabine, para que fossem recolhidas e separadas para o desembarque.



Muitas vezes é difícil de acreditar que se está dentro de um navio. Eu tinha esta sensação quando estava no Centrum, o hall principal do navio, que fica no deck 4. Parecia mais um hotel ou um shopping. O fato de ter elevador também me confundia as idéias. Elevador e navio não coisas que não conseguia imaginar que poderiam coexistir. Realmente tudo foi novidade, eu fiquei entusiasmada com tanta novidade legal a minha volta.


Comentários

  1. to amando o diário da viagem! manaha verei as fotinhos eba!!!!!

    ResponderExcluir
  2. eu vi um filme recentemente baseado em uma história real e as cabines eram realmente muito apertadas. bem clara a q vcs ficaram. e eu não tinha ideia que cabines de navios tem varanda, muito chique. uma graça os origamis de toalhas, muita criatividade. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  3. Sugar, que bom que tá gostando. Vai ter um monte de posts ainda!

    Pedrita, então, tem cabines menores no navio. A que eu fiquei, por ter varanda, era uma das maiores. Há ainda a cabine super luxo, que tem até piano dentro!!! Deve ser enorme. Durante o dia a cabine ficava bem clara mesmo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Que cabine linda! Que bom que não era uma lata de sardinha, rs!
    Essa foto do hall não lembra de jeito nenhum um navio mesmo. Maluco pensar que tudo isso está num barco no meio do mar!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Estou viajando nos seus posts. Também não sabia que tinha cabine com varanda. E realmente se olhasse pra foto do hall, nunca imaginaria que fosse dentro de um navio. Agora fiquei enjoada só de ver o video risos mas ficou muito legal mesmo.
    Beijos
    Clau

    ResponderExcluir
  6. Rê, realmente é difícil acreditar que tudo isso fica num navio.

    Clau, que bom que está curtindo! ;) Eu só fui descobri que tinha cabine com varanda na agência de turismo. Eu sou marinheira de primeira viagem e não sabia nadinha de nada. Ah, sério que o mar em movimento de enjoou?

    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta