Manifestando O Amor




Esta semana fui almoçar na casa da minha mãe e me deparei com uma mensagem do Seicho-No-Ie que está na minha cabeça até agora.  A mensagem do dia 12,  resumidamente, diz que o amor não tem valia se não for manifestado de maneira correta. Seja o tipo de amor que for, entre pais e filhos, irmãos, amigos, casais, se não ele não for demonstrado, é como se não existisse. 

Estou refletindo sobre isso até agora.  Entendo que manifestar o amor não seja apenas  dizer que se ama,  e sim demonstrar esta afeição através de ações. Não apenas demonstrações carinho clichês como presentes, mas atos mais concretos e não tão glamourosos.  É preciso demonstrar o amor cotidianamente,  ajudando nos pequenos problemas do dia-a-dia, cuidando do outro quando este está doente, ajudando o filho com a lição de casa, falando as verdades necessárias ou dando um abraço em um momento que o outro precisa de colo. Estar ao lado de fato de quem se ama, ser companheiro no sentido amplo da palavra. Estar com o coração aberto para ouvir o outro, tentar entender, saber perdoar. Estar junto nos momento complicados, para dar aquela força e celebrar junto as conquistas. Enfim, compartilhar a vida com alguém de maneira intensa. Acho que só assim o amor florece e se fortalece. 

Eu nunca tinha pensado nisso. Gostei da reflexão que mensagem me proporcionou.  A gente fala muito em amor, mas acho que pouco se pensa sobre ele, sobre como vivenciá-lo de maneira correta. Aliás, nunca pensei que pudesse ter uma maneira correta de se amar. Isso me soa contraditório, admito, mas isso me faz todo sentido agora. Não que haja um jeito certo de amar, uma cartilha de passos a seguir, mas há sim a necessidade  viver de fato o sentimento de amor, de colocar em prática o amor que tanto se diz sentir. Manifestar o amor de maneira concreta é disso que precisamos. Você, eu e todo mundo.  Já pensou nisso? 

 

Comentários

  1. realmente e há várias formas de amar. na minha família, todos são bem reservados, pouco afetivos de abraços e beijos, mas demonstramos de várias outras formas. há um código com o meu pai, pode ser dizer q tem jornal aqui pra ele pegar e assim ele me visita. e é amor. cada um ama como pode. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedrita, eu acho que cada um tem seu jeito particular de amar e demonstrar o amor. Mas a gente nem sempre entende isso né? Beijos

      Excluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Meus Furacõezinhos!

Ovono