Ah, a crise!





Quando começaram a falar da crise eu me assustei, parecia coisa de outro mundo ver os países ricos entrando em falência. Não fazia sentido. Mas a crise veio com força e tudo indica que ainda levará um bom tempo para que as economias do mundo se recuperem e se estabilizem. Apesar da crise eu noto que as instituições financeiras continuam seguindo o caminho da irresponsabilidade, visando apenas seus lucros e instigando os clientes a contraírem dívidas e mais dívidas. Noto isso de maneira cotidiana, na relação que tenho com o banco onde mantenho uma conta corrente. Parece que eu brinco de pega-pega com o banco, ele sempre me oferecendo dinheiro  e eu sempre fugindo, dizendo não e não e não. Eu sempre fui muito consciente com o uso do dinheiro, sempre busquei viver dentro da minha realidade, sempre sabendo quais os meus gastos e planejando bem para realizar meus sonhos de consumo. Outro dia me espantei com o absurdo da oferta do banco. Chegou uma cartinha em casa me dando os parabéns pelo super-limite no "cheque-especial" ( aliás, este nome já está pra lá de datado, não?) que eu acabara de ser agraciada pelo banco. Um limite que era igual a tudo que eu tinha aplicado no banco. Ou seja, o banco me oferece como crédito o mesmo montante de grana que eu tenho. Se eu sou alguma deslumbrada poderia achar que meu patrimônio dobrou de repente e sair gastando feito louca. Mas preferi ignorar e continuar vendo somente o meu saldo real na conta. Nem todos sabem lidar com o dinheiro de maneira consciente, e muitos se deslumbram ao ver uma quantia maior na sua conta e saem gastando. E quando percebem, já é tarde e estão com uma dívida enorme com o banco, daquelas que nem vendendo   tudo o que possuem  conseguem saldar. Foi assim que toda esta crise começou, com a irresponsabilidade dos bancos atrelada à falta de noção das pessoas, que caíram na ilusão de dinheiro fácil anunciada pelos bancos. Pelo jeito isso vai continuar, e as tais crises serão cíclicas. Por isso temos que ser bem cientes do limite de dívidas que podemos contrair, de quanto podemos usar do limite do cartão de crédito. Temos que saber qual é o nosso real limite e não levar em consideração o limite que está ali na nossa fatura do cartão de crédito. Em geral aquele limite é incompatível como nossa realidade. O meu é. Se eu resolver usufruir do limite total eu entro em falência em pouco tempo.  Assim, deixo aquele limitezão do cartão ali quietinho, para extravagâncias esporádicas (como comprar o ingresso VIP do show da Madonna) ou para emergências (que eu espero nunca ter!) e vou vivendo dentro da minha realidade financeira, usufruindo da tranquilidade de não ter dívidas com as quais eu não posso arcar. E vou continuar me empenhando para que assim continue para o resto da vida. 

Comentários

  1. Claro que concordo! Somos duas pessoas muito conscientes do valor das coisas. Do esforço para obter o que queremos, quanto temos que trabalhar, como poupar, e a prova disso o que está a nossa volta; não tem receita nenhuma, é tão simples como não gastar além do que se ganha. Se ganho mil não posso gastar além disso, e o que gastar a menos serve para emergências. Se não tiver emergências, melhor!
    E a mesma coisa vale para gastos planejados. Não se decide da noite pra manhã comprar um bem, como um carro ou uma casa. É planejado; sempre pensando nas dívidas que isso pode ocasionar, e colocando prazos realistas para finalizar.
    Comprar a prazo no cartão é provavelmente a pior das armadilhas; na conta vem pouquinho, mas gradativamente os gastos com o cartão aumentam, comprando cada vez mais e mais coisas a prazo "baratinho".
    Gostei do post, super-informativo!! Chuicks!!

    ResponderExcluir
  2. O tal "cheque especial" já me salvou algumas vezes, mas nada absurdo, até porque os juros são muito altos. E os bancos são ridículos mesmo, no cartão de crédito do Gabriel o limite é maior que o salário dele... imagine se gastarmos tudo isso! Eu já nem tenho o meu, pras compras parceladas ficarem centralizadas num lugar só.
    E o que mais me irrita são as ofertas de cartão, quando ligam oferecendo a ENORME vantagem de não pagar anuidade por um ano. Um cara aqui do trampo deu uma resposta ótima pra atendente: a anuidade eu não pago, mas se eu fizer uma compra eu vou ter que pagar essa compra, certo? Então pra mim não é vantagem... hehehehe
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Pois é, eles vivem oferecendo cartão, mas esquecem de dizer que os juros são de 11% ao mês. A única diferença entre o limite do cartão de crédito e um agiota é, além dos juros muito maiores do primeiro, se você não pagar, pelo menos a operadora não te arranca os dedos.rs! Bjo!

    ResponderExcluir
  4. Amor, realmente planejando tudo é possível. E é muito bom a gente se entender assim. :)

    Rê, o limite do meu cartão também é surreal. E o Banco fica me empurrando outros cartões. Eu não quero mais nenhum, um tá de bom tamanho!

    Tak,os juros do cartão são ridículos de tão altos. Não pagar o total da fatura é caminho para uma bela dívida!
    Mas pelo menos os métodos de cobrança do banco são não-violentos! ahaha
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. eu passo pelo mesmo. não estou no melhor período das minhas finanças. em um momento de emergência fiz um empréstimo que estou suando pra pagar e eles querem que eu faça outro muito maior. não consigo entender. tá. juros menores, mas eu vou ter que pagar né? caramba. eles me ligam direto. um inferno. e eu só tenho perspectiva de melhorar a situação talvez em março, então agora é estica e puxa mesmo. e eles não entendem. incrível como os funcionários dos bancos não sabem administrar contas que não sejam de assalariados. eu senti a crise na primeira semana. um evento que trabalhava foi cancelo pq teve um aumento de gastos em 27 mil reais, já que era cotado em euro. e aí, mais dívidas pra minha conta bancária. e o gerente do banco não entende, humf. eles precisavam aprender que há empresas que têm fluxo de caixa flutuante. uma hora tem outra não. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  6. Pedrita, mas isso é o impressionante, os bancos sabem da nossa vida financeira, sabe o quanto está comprometido e ficam oferencendo mais e mais empréstimos. Irresponsável mesmo!

    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta