Recenseada




O censo demorou bastante, mas chegou aqui em casa. Eu estava bem curiosa para ver como era ser recenseada morando em um prédio. Todos os outros censos que participei  eu morava em uma casa. Assim o procedimento era bem simples, o recenseador tocava a campanhia e pronto, a gente o recebia e respondia as perguntas.  Aqui no meu prédio foi tudo por etapas. Primeiro vi a recenceadora entrevistando o zelador. No dia seguinte apareceu um aviso no elevador informando quem era a recenseadora responsável pela pesquisa no prédio e pedindo a colaboração de todos os moradores. Levou alguns dias até o censo chegar de fato ao meu apartamento, somente na sexta-feira passada fomos recenseados. A recenseadora foi muito simpática e tudo foi bem rápido. A maquininha da pesquisa fez o processo ficar bem facilitado. Agora Wally e eu somos cidadãos devidamente recenseados. 

Fiquei um tanto desapontada com a pesquisa. Achei que faltaram perguntas essenciais para se traçar o perfil das pessoas que vivem em nosso país. Eu sei que há um questionário simplificado ( o que eu respondi) e o completo que é feito por amostragem. Mesmo assim o questionário menor está superficial demais. Uma pergunta que considero essencial para uma pesquisa que visa mapear a realidade das pessoas que vivem aqui, é o local de nascimento. Perguntaram somente a data de nascimento. É fundamental saber o local de nascimento para saber a movimentação das pessoas dentro do país. No meu caso não foi registrado que aqui  é uma casa onde vive uma brasileira e um estrangeiro. Wally vai ser contabilizado como cidadão brasileiro? Se for, a pesquisa já vai ficar toda errada. Ele vive aqui mas não é naturalizado. Vão contabilizar um número irreal de brasileiros, ainda mais em cidades como São Paulo onde há muitos estrangeiros. E além disso vão deixar de mapear os fluxos migratórios dentro do país. Muita gente mora numa cidade diferente da cidade de nascimento. Isso não vai aparecer no censo. Outro ponto falho foi a omissão do grau de escolaridade dos entrevistados. Perguntar se a pessoa sabe ler e escrever é algo muito básico para os dias de hoje. Há que se levantar o grau de instrução das pessoas que vivem aqui para se ter idéia se houve uma melhoria no nível de escolaridade da população. Dá para fazer estas perguntas e o questionário continuar rápido e conciso. Levantar dados essencias como estes somente no questionário completo vai deixar o resultado do censo um tanto fora da realidade. Espero  no próximo haja um cuidado maior com o questionário simplificado. Apesar de ficar um pouco decepcionada com as perguntas, gostei de participar. É importante colaborar para que saibamos quantos  somos nesta terra tão grande. Só o Sam que ficou frustrado. Ele queria ser recenseado também, mas nenhuma pergunta estava relacionada aos animais de estimação. Mesmo assim ele não saiu de perto da recenseadora, ficava toda hora se enconstando nela. Foi até chato, pois ele acabou intimidando a moça com o seu tamanhão todo. No fim tudo terminou bem, a recenseadora saiu sem nenhum arranhão e no final até elogiou o meu gatão. 

E você? Já foi recenseado?

Comentários

  1. na primeira semana passou por aqui e na minha mãe. conversando com o recenseador q precisou vir várias vezes pra achar uns moradores, ele disse q no prédio uma é bem extensa e com muitas perguntas, as outras são mais breves e objetivas. eles sempre escolhem um para ser o maior, com muitas perguntas e aí há um número de menores. deve ser por número. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Em casa demorou mas veio, eu não estava em casa e o Gabriel respondeu também o questionário simplificado. Pelo que sei, a cada 30 simplificados, um é completo. Também acho que essa mobilização toda pra, no fim, traçar um perfil do país com base em amostragem, pra mim beira o absurdo. Se numa coincidência o questionário completo não cair na maioria das casas onde tem deficiente físico, por exemplo, vão assumir que o número de deficientes no Brasil caiu?
    Acho que já que o trabalho está sendo feito, deveria ser completo em todas as casas. Mesmo que o questionário seja longo e leve mais tempo pra sair o resultado final, cada um só responde 1 vez e não tem porque reclamar, e aí sim o perfil do brasileiro seria confiável e serviria de base pras melhorias que o país realmente precisa. Pelo jeito, a única coisa que eles vão acertar vai ser o número de habitantes e olhe lá.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Pedrita, que queria ter respondido o questionário completo. Aí sim sentiria que estou contribuíndo de verdade para o Censo. Mas você respondeu o simplificado ou o completo?

    Rê, concordo com você. Deveria fazer o questionário completo em todas as residências. O censo vai dar um resultado longe da realidade. Acho que só vão acertar mesmo o número de habitantes e o sexo.

    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Meus Furacõezinhos!

Ovono