Saudade



















Não curto e-mails com correntes, piadas ou mesmo mensagens  de auto-ajuda. Não tenho paciência e deleto tudo sem abrir.  Mas hoje abri uma mensagem enviada por uma amiga, que nunca envia nada disso, então achei que poderia ser legal. Era uma seqüência de fotos com mensagens sobre emoções e fatos da vida que  são comuns para todos. Aquela coisa de : "Já chorei por alguém" , "Já fiz alguém chorar". Como achei as fotos bonitas fui vendo todas  e quando me deparei com a foto que ilustra o post me emocionei.  Mexeu comigo mesmo. 


Sei bem o que é este sentimento.  A dor da saudade é aflitiva, desesperadora até. É algo que só acaba quando a gente consegue encontrar a pessoa amada de novo. Falar ao telefone ajuda a amenizar, teclar pela internet também. Mas nunca é suficiente. Conversas com  webcam são legais, diminuem um pouco a distância, mas não bastam.  A saudade só passa mesmo quando o encontro acontece. Quando os dois se olham e se abraçam. A saudade pede o contato real, é a urgência em sentir o outro bem pertinho. 


É difícil dizer qual é o pior momento de um casal que está longe um do outro. O momento do tchau é sempre doloroso. A despedida sempre provoca lágrimas. Mas talvez o acúmulo da saudade depois de dias e dias longe seja o pior.  O fato que é difícil lidar com a ausência.  É sofrido, mas a alegria do reencontro compensa tudo. O momento do reencontro é de uma alegria enorme.  Não é bom falar tchau, mas é uma delícia  ver o sorriso do nosso amor  de novo e se atirar nos braços dele. 





Nota da blogueira: Agora Wally  tem viajado bem pouco. Mas tempos atrás  ele viajava muito à trabalho e eu sofria. No começo era mais difícil, depois comecei a aprender a lidar com a ausência dele. Mesmo acostumada, sempre choro na hora da despedida e quando chega de noite não consigo dormir.  É, acho que não sei mais viver sem ele. :)




 

Comentários

  1. nem me fale... estou sentido isso na carne, ou melhor, no coração :(

    ResponderExcluir
  2. Ótimo post sobre saudade, muito legal!

    ResponderExcluir
  3. Juli, pensei muito em você enquanto escrevia. Força!


    Vaynard, que bom que gostou! Obrigada!


    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Eu tb passo sempre por isso, agora nesse momento o Mauricio esta no Maranhao e meu fds vai ser sem ele ate a véspera do feriado, tb ja acostumei pq ele sempre viaja, alguns meses fica quase td mes fora e novembro vai ser assim... Beijosss

    ResponderExcluir
  5. Marion, In"felizmente", eu não deixei alguém tão especial assim quando saí de minas, assim como não deixo aqui quando vou para lá... mas a saudade dos meus pais, irmãos, parentes e amigos no começo foi muito dolorida, mas com o tempo voce se acostuma e o sentimento se torna menos ruim, mas todas as vezes que volto uma alegrai enorme toma conta do meu peito... as vezes é apenas por poder olhar de novo a serra ou então um abraço apertado... sinto saudades de casa, mas atualmente a minha saudade não me mata, me vida... me fortalece.. Bjo

    ResponderExcluir
  6. Dri, estes maridos viajantes sempre deixam a gente morrendo de saudades! Mas a gente acostuma, né?

    Gammelo, a gente aprende a conviver com a saudade. E hoje temos a sorte de viver em um mundo que facilita o contato.


    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Meus Furacõezinhos!

Ovono