Rock in Rio : A Aventura!

Já cansadona, mas feliz!


A data do Rock in Rio ia se aproximando e o frio na barriga ia aumentando. Tinha receio da multidão, estava insegura em relação ao transporte até o show e se ia conseguir chegar na hora para ver o show do Viper, que era o primeiro do dia, marcado para às 14:40h, e o portão da Cidade do Rock abria às 14 horas! 

Para dar mais emoção, uma semana antes de viajar descobri que não teria mais lugar para me hospedar no Rio. Ficaria na casa de uma amiga, mas na última hora ela disse que estava com uns problemas inesperados e não poderia me receber. Foi muito tenso. Eu já estava cogitando dormir na porta da Cidade do Rock quando uma amiga veio me salvar. A Déia me chamou para ficar na casa dela. Foi a melhor coisa, curti o Rock in Rio e ainda passei momentos ótimos com a minha amiga carioca. O imprevisto fez a minha viagem ficar perfeita! 

Eu e Dani logo que entramos na Cidade do Rock


Chegar à Cidade do Rock no domingo foi uma aventura. Fomos  com ônibus normal e descobrimos que realmente não era exagero quando  falavam que  o Rock in Rio ficava em um lugar muito, mas muito distante. Saímos para o show um pouco depois das 9 da manhã, fomos  de táxi até o Terminal Urbano Novo Rio. De lá , pegamos um ônibus para o Terminal Alvorada, local de saída para os ônibus que levavam até a Cidade do Rock.  No Terminal Novo Rio não tinha sinalização de nada, tivemos que perguntar qual era o ônibus certo.  Bateu medo de estar indo para o lugar errado, mas o medo passou quando o ônibus começou a ficar cheio de gente com camisetas do Iron Maiden. Aí respirei aliviada, pois todos ali também estavam indo para o Rock In Rio.  Até chegar ao Terminal Alvorada levou cerca de uma hora, até um pouco mais, eu acho. Foi uma viagem com muita emoção, pois o motorista dirigia feito louco, mesmo em uma estrada estreita, encrustada na montanha!  Fiquei realmente com medo.  No terminal Alvorada pegamos o ônibus para o Rock in Rio. Lá sim tinha bastante sinalização. Foi tranquilo achar qual era o ônibus que tínhamos que pegar. Chegamos em nosso destino final por volta do meio-dia. 



Wally e Dani 

A entrada para o festival foi meio muvucada. Tinha uma fila enorme que não servia pra nada, pois na hora H, as pessoas se amontoaram para entrar. Ainda bem que um amigo, Victor, nos viu lá e nos tirou da fila. Ele já tinha experiência, pois havia ido no show da quinta-feira. Se eu tivesse ficado na fila, com certeza não teria conseguido entrar a tempo de assistir ao show do Viper.   Na hora de entrar foi um aperto só, mas não houve confusão e entrei na maior tranquilidade. Fiquei emocionada quando pisei na grama sintética da Cidade do Rock!  Depois de tantos imprevistos, eu tinha conseguido!  E ainda fiquei na cara do palco durante o show do Viper.  Perfeito! 

Claro que um post não será suficiente para eu relatar as minhas aventuras no Rio, amanhã tem mais! 




Comentários

  1. Marion, passei por quase tudo isso tembém, o que me salvou no rio foi a minha amiga Sarah que já conhecia e o gps do celular. Fiz quase esse trajeto mas peguei um onibus no Flamengo direto para o Alvorada e de la pro rock in rio.. fiquei na fila, no sol, tirei foto na guitarra e quando pisei na grama eu me senti aliviado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gammelo, foi uma aventura mesmo e valeu a pena! Faria TUDO de novo! E adorei te conhecer! Logo mais nossa foto estará aqui no blog! :)

      Beijos

      Excluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta