Tristão e Isolda


"Quereis ouvir, senhores, um belo conto de amor e de morte? É de Tristão e Isolda, a rainha. Ouvi como em alegria plena e em grande aflição eles se amaram, depois morreram no mesmo dia , ele por ela, ela por ele."

Assim começa o livro que me acompanhou a semana passada. Me encantei com a narrativa, que ao mesmo tempo que é simples e direta, é envolvente, pois dá a sensação que estamos ouvindo um trovador contando esta história. Me encanta também o jeito como tudo é dito, sempre com muita cortesia. Isso faz a gente ser transportado para outra época mesmo. "O Romance de Tristão e Isolda" é na verdade uma compilação de trechos da história (tanto em verso como em prosa) feitas pelo escritor francês Joseph Bédier no século XIX. O autor juntou tudo que encontrou, textos incompletos, e tentou fazer uma narrativa fiel à história de Tristão e Isolda. História tão antiga, que remonta da época que os registros escritos eram raros, assim quando os primeiros registros escritos foram feitos a história provavelmente já havia sofrido alterações, já que era transmitida somente oralmente. Para mais informações técnicas do livro clique aqui.
O livro relata a história do amor proibido entre Tristão, sobrinho e fiel cavaleiro do Rei Marc, e Rainha Isolda, os reis da Cornualha. Eles se apaixonam sem querer, ambos devotam muito amor e respeito ao Rei Marc, mas mesmo assim sofreram de uma paixão avassaladora a que eles não foram capazes de resistir. Paixão que lhes trouxe felicidade imensa e sofrimento sem fim. No livro esta paixão inesperada ocorre depois que eles bebem o vinho do amor durante uma viagem de barco de Irlanda até a Cornualha, quando Tristão levava a Isolda para se casar com o Rei Marc. O narrador da história se compadece do sofrimento dos amantes, em nenhum momento os trata como traidores ou infiéis, para o narrador são traidores todos aqueles que querem separar Tristão e Isolda, e o narrador se refere aos inimigos do casal com um ódio imenso. Eu achei bem curioso isso, pois Tristão estava tendo um caso com a esposa do Rei, mas em nenhum momento ele é mostrado ao leitor como traidor, chega quase a ser tratado como uma vítima deste amor que ele nunca pôde controlar. Eu gostei do ponto de vista do narrador, pois compartilho com dele. Tristão e Isolda foram vítimas do amor que os consumiu, que os fez cometer loucuras para saciarem a saudade que os perturbava. Quanto ao Rei, ele sabia de tudo, mas fingia que não sabia, assim não teria que punir os amantes como mandava a lei, com a morte. O Rei gostava muito de Tristão, cavaleiro que muito defendeu seu reino, e amava sua esposa. Mas um dia a punição veio, o Rei tinha que cumprir o seu papel diante do reino. Os amantes escaparam da morte, mas levaram uma vida de de sofrimento por alguns anos, até que o amor não era mais suficiente para dar-lhes forças para aguentar a vida no meio da floresta. Isolda foi aceita de volta pelo seu Rei. Tristão partiu. O sofrimento físico acabara, mas o sofrimento da alma veio com toda força. Eles sabiam que separados não podiam viver, não havia vida sem um estar ao lado do outro. E assim seguiram até o final, tentando conviver com um amor forte e impossível, amor que provocou felicidade sem fim e dor insuportável. Não vou contar o final aqui, na verdade o narrador já conta o final nas linhas iniciais do livro, mas não revelarei as tristes circunstâncias. Aliás, esta é uma característica curiosa da narrativa. O texto é permeado por "spoilers", o narrador vai nos contando que fulano ou sicrano vai morrer. Não diz como, apenas diz que mais pra frente o fulano vai morrer e de fato, ao longo do livro ficamos sabendo as circunstâncias da morte da personagem.
O livro me emocionou, senti alegria e tristeza. Torci pelos amantes mesmo sabendo que o trágico fim era inevitável. Chorei no momento da morte deles. Me encantei pela confiança que um nutria pelo outro, mesmo que em momentos de aflição eles chegaram a questionar o amor do outro, a confiança que existia entre eles sempre prevalecia. Era maior que tudo, era tão grande quanto o amor que os unia.
Depois de ler o livro fiquei com uma vontade imensa de rever o filme "Romance". Este filme retrata muito bem a história de Tristão e Isolda, o filme consegue traduzir a imensidão do amor que eles sentem um pelo outro. É uma adaptação alternativa, mas que consegue ser muito mais fiel à história do que o filme "Tristão e Isolda", que somente foi fiel à época em que a história transcorre e que fez uma adaptação que não conseguiu fazer jus a esta linda e triste história de amor.
Quem tiver a chance pegue este livrinho para ler. É um livro curto mas que conta uma grande história e nos transporta para outro mundo. Sou agora uma fã incondicional do amor de Tristão de Loonois e Isolda, a Loura.


Comentários

  1. eu gosto muito da ópera. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Fiquei com vontade de ler dese que vi o filme Romance. Vou ver se o encontro por aqui. Beijocas e boa semana.

    ResponderExcluir
  3. Oi Marion.

    Apesar de conhecer a historia, nunca li o livro. Parece bem interessante.

    Bjs.
    Elvira

    ResponderExcluir
  4. Meninas, vocês vão adorar o livro. Garanto! :) Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Meus Furacõezinhos!

Ovono