Amor x Privacidade




Semana passada li  numa reportagem que  a moda entre os casais adolescentes é compartilhar todas suas senhas de internet, ou seja, senhas de e-mail, MSN, Twitter, Facebook e etc e tal. Dizer a senha para o ser amado seria uma prova de amor e confiança. Uma prova de entrega total, afinal, desta maneira não haveria  segredos entre o casal. Enfim, um ter a senha do outro seria uma maneira de demonstrar que o relacionamento é realmente para valer.

Fiquei  um tanto chocada com o que li. É um absurdo acharem normal abrir mão da privacidade para agradar o ser amado. O que dizem ser prova de amor, eu entendo como falta de confiança e insegurança. Um não é capaz de confiar no outro, só fica tranquilo se puder fuçar em tudo que o outro faz na internet, acessar suas conversas , espiar os e-mails e controlar as publicações de status. Assim pretende-se garantir que não haverá traições e enganações.  Apenas uma boba pretensão. Com a facilidade que existe para criar uma nova conta em qualquer meio de comunicação via internet, é ingênuo pensar que ter as senhas do ser amado é garantia que ele não vai manter contato com gente que possa representar perigo, que possa  gerar alguma fagulha imprópria que possa colocar em risco o  namoro perfeito. 

Achei isso muito besta e ao mesmo tempo triste.  É triste ver as pessoas se acovardando diante do amor. Não tendo coragem de viver um amor de verdade, um amor que os laços  são feitos pela genuína confiança, aquela que não precisa de provas. Um amor de verdade não é perfeito e é formado por pessoas reais e que precisam de ter momentos só delas, precisam de privacidade.  A privacidade é o alimento do relacionamento a dois. Ao saber tudo do outro, o mistério se vai.  Saber cada passo que o outro dá é sufocante e uma pessoa sufocada não consegue ser espontânea e sem espontaneidade o amor fica sem brilho e acaba por definhar. 

Os jovens casais procuram se proteger da vida fora do relacionamento, buscam uma redoma e não percebem que assim acabam vivendo um amor de mentira, um amor raso. Quem ama não aprisiona, quem ama deixa o outro viver. Espero que um dia eles percebam isso tudo e parem com esta bobagem. 



Comentários

  1. Realmente, como prova de amor, isso não faz o menor sentido... Daqui a pouco os novos casais vão ter que usar o banheiro de porta aberta e outras coisas do tipo, pra provar cumplicidade...
    Aqui Gabriel e eu temos as senhas um do outro faz tempo, mas acaba sendo uma questão prática, por exemplo o Gabriel não pode acessar o gmail do trabalho e às vezes precisa de alguma informação de lá, então eu acesso. Mas raramente entramos nas contas um do outro sem necessidade. Não sinto como uma invasão de privacidade já que sempre conversamos sobre tudo o que acontece na rede também (quem encontramos, conversamos etc). Mas isso nunca foi uma imposição pra provar amor nenhum.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. amar não é policiar. e o q esses adolescentes não percebem, é q basta um deles fazer um email gratuito e ter a privacidade. quem ama confia e se quem se ama não dá pra confiar tá na hora de reavaliar se vale a pena continuar na relação. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  3. Rê, eu acho que o Wally é a pessoa que melhor me conhece hj em dia. Também falamos de tudo. Mas um não mexe nos emails e afins do outro. Se precisar, passamos a senha sem problemas, como no caso de precisar acessar algum e-mail. Mas tenho assuntos meus e ele os dele. O que acho normal.

    Pedrita, concordo com você!

    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta