Emoções Fortes

Av. 23 Maio, final da manhã do último domingo


O mês de julho foi intenso. Foi extremo, não teve meio termo. Aconteceram coisas muito ruins e coisas maravilhosas. Quase tudo ao mesmo tempo. Foi uma montanha-russa emocional de tirar o fôlego. Foi muito estranho me sentir extremamente feliz  tendo no coração a tristeza imensa pela morte do meu padrinho.  Mas a vida me provou que estes sentimentos tão opostos podem coexistir. Mas a tristeza consegue ser mais forte, quando a euforia da alegria passava, a tristeza voltava com tudo. Não quis fica chorando pelos cantos, confesso que estou fugindo da tristeza, até que estou conseguindo. Mas na semana passada não teve jeito, novamente algo muito ruim aconteceu. Outro tio faleceu, irmão do meu pai e do meu padrinho. Foi um baque tremendo para todos nós, duas perdas na família em menos de um mês.  E tudo o que eu senti no começo do mês passado veio à tona com força total. Complicado lidar com tantas perdas, ver que minha família está diminuindo, que pessoas que fizeram parte da minha vida desde sempre estão deixando de existir. É difícil encarar a morte. É a vida mostrando que a gente tem que ser forte para aguentar os trancos, que por mais tristeza que sentimos, a vida não pára, a gente tem que dar um jeito de  continuarmos, apesar de tudo.  Não podemos nos privar de sentirmos alegria, mesmo em momentos tristes. A alegria nos resgata, faz nossa alma sentir um pouco de alívio. E senti muitas alegrias no mês que passou, momentos marcantes, inesquecíveis. Sem dúvida, julho foi um mês intenso. Vou lembrar deste mês de julho para sempre, lembranças que vão me fazer sorrir e também chorar. 

Que o mês de agosto seja mais suave, preciso de um tempo sem tantas emoções fortes. Mas se vierem mais emoções intensas, vou encará-las  de frente, sejam boas ou ruins. Afinal, a vida é assim, imperfeita, mas recheada de momentos perfeitos ao logo do caminho. 




Comentários

  1. Patry, realmente foi algo surreal esse mês ach o q ainda to com a sensação de estar no meio de um sonho. Acho q as pessoas só mudam o jeito delas existirem em nossas vidas. Estarão sempre presentes só que em sorrisos qdo pensamos nelas.. por enqto ainda entre lagrimas de tristeza... mas logo apenas a felicidade de termos tido a oportunidade dessa vivencia!

    ResponderExcluir
  2. Uma avalanche mesmo... passei por coisa parecida ano passado, com falecimento de dois tios (só que com 5 meses de um pro outro), e alegrias imensas como o nascimento do nando e o meu apartamento novo... acho que a sensação que ficou de 2011 é igual a sua sobre o mês de julho! algo tão grande, tão intenso, mas que depois tem que dar um tempo pra gente respirar. Agosto vai ser tranquilo, vamos torcer :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi Marion, sei o que voce está sentindo, 2008 para mim foi assim, meu tio, meu padrinho e depois uma grande amiga da familia, com dois dias de diferença cada....
    Agosto para mim sempre foi um mes de felicidades, espero que ele seja para voce também... embora eu tenha certeza que no fim desse mes eu vou ser levado para o lado triste da saudades.
    Bjo
    Gammelo

    ResponderExcluir
  4. nem me fala, eu lido muito mal em perder as pessoas q amo e sou ligada demais na família. melhoras. beijos, pedrita

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta