Somos Tão Jovens




Não pensei que este filme me emocionaria tanto. Eu já imaginava que eu gostaria bastante do filme, afinal, ele conta a história do surgimento das bandas (Legião Urbana, Capital Inicial e Plebe Rude)  que foram responsáveis por boa parte da trilha sonora da minha vida. Mas nunca pensei terminaria de assistir ao filme chorando. Foi uma surpresa e tanto! 

Assisti ao filme "Somos Tão Jovens" (Brasil - 2013) hoje no cinema do Shopping Bourbon,  na sessão das 13 horas.  O filme  é focado na história do Renato Russo, mostrando sua juventude em Brasília  e os caminhos que o levaram para formar a Legião Urbana. Nos créditos a produção informa que trata-se de uma obra de ficção baseada na história do Renato Russo, ou seja,  mesmo muita coisa sendo real, há algumas licenças poéticas no roteiro.  Eu gostei  muito do que foi mostrado na tela. Um filme envolvente e com ótimas interpretações.  Thiago Mendonça  está fantástico como Renato Russo, uma interpretação fiel ao personagem sem  tornar-se algo caricato. Ele encontrou o tom perfeito. Fiquei encantada  com a sua atuação. 

Gostei muito do filme salpicar trechos das letras das músicas da Legião no meio da vida cotidiana do Renato. Foi um jeito muito legal de mostrar como ele se inspirava para compor. Adorei reconhecer as letras das  músicas no meio dos diálogos. 

A parte musical do filme merece destaque. Todas as músicas são tocadas pelos próprios atores, que mandam muito bem. Thiago Mendonça arrasa nos vocais, cantando com estilo e voz muito parecidos com as gravações originais.  As cenas dos ensaios ficaram ótimas, pois o som está saturado, bem tosco mesmo, como são os ensaios de bandas de garagem na vida real. 

Não resisti e cantei todas as músicas tocadas  no filme. Cantei bem baixinho, mas acho que não foi tão baixinho assim.  Suspeito que as outras pessoas  também cantavam. Impossível não cantar junto aquelas músicas que a gente sabe de cor, né?   Mas como ninguém me mandou calar a boca, acho que não incomodei ninguém com a minha voz desafinada. 

É um filme que me trouxe muita nostalgia, de um tempo que era difícil conseguir as músicas que a gente gostava. Um tempo em que o rock nacional estava surgindo com força, várias bandas boas surgindo simultaneamente. Um tempo que eu  estava na escola e que ficava entusiasmada com aquele rock sendo cantado na minha língua.  Época intensa, em que eu firmava  o meu gosto musical, que eu confirmava que eu era uma roqueira, que este seria o meu estilo favorito de música para o resto da vida.  

Quero ver este filme novamente. Quero me emocionar (e cantar!) novamente. Sem dúvida,  "Somos Tão Jovens" virou um dos meus filmes favoritos.  


Comentários

  1. Eu quero ver esse filme! E também o Faroeste Caboclo :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também querover Faroeste Caboclo! Beijos

      Excluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta