A Balança




A minha última compra pela internet foi uma balança. Nunca pensei na minha vida que fosse comprar uma balança. Sempre que eu tinha curiosidade para saber o meu peso, eu passava numa farmácia e pronto.  Nunca foi ligada no meu peso, nunca tive problemas com isso. Nunca tive, verbo no passado, pois a idade foi aumentando e o meu peso também. Deixei de ser magra de ruim e já notei que não posso ficar comendo à vontade. Os quilos vão chegando e não me deixam mais. Mas mesmo com esta cruel realidade, continuei sem vontade de ter uma balança, pois não preciso de uma balança para me contar que eu tô mais encorpada, digamos assim.   E então, qual a razão de eu ter comprado uma balança? O Sam!

Quando eu digo que o Sam governa minha vida atualmente, eu não estou brincando não. Praticamente tudo gira em torno dele e do tratamento da diabetes. Estou dedicada a full nesta batalha, disposta a vencer.  A vet dele disse que agora ele atingiu o peso ideal: 5,7Kg e não pode engordar nem mais um graminha e ordenou que a gente controlasse o peso dele e por isso tive que comprar a tal balança. 

Agora não vai ter jeito, vou ter que me deparar com o meu peso, no mínimo, uma vez por semana. Para pesar um gato, a gente tem que se pesar primeiro, anotar o peso e depois subir na balança com o gato no colo e aí  fazer uma continha básica para descobrir o peso do bichano.  

Acho que me deparar com o meu peso vai me deixar meu neurótica. Mas ao mesmo tempo vai servir de estímulo para eu fechar a boca e me excercitar mais. Estou numa fase completamente sedentária e isso tem que mudar. Eu não posso engordar mais não.  Sou baixinha, não tenho por onde distribuir o peso adicional.  

Me olhando no espelho não me vejo gorda. Me vejo normal. Mas  minhas roupas indicam que engordei um pouco. Mas nada de trágico, pois tudo continua servido em mim. Acho que se fosse há alguns anos, eu nem cogitaria que estivesse gorda. O  padrão atual de beleza é esquelético e isso, mesmo a gente não querendo, fica martelando na nossa cabeça. 

Vamos ver como o meu peso e o do Sam vão  evoluir. Espero que o gatão não engorde muito. Já ando controlando a alimentação dele, a balança vai me dizer se isso tá ok ou se terei que ser mais rígida. Em relação a mim, tem uma coisa que já fiz há algum tempo: Cortei o refri aqui de casa. Entra só de fim de semana ou em alguma ocasião festiva. Só tomo suco ou água.  Uma vitória, pois eu AMO tomar um refri! 

É, o tratamento do Sam está sendo uma jornada de vida. :)  



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta