Pedalando





Hoje provei que é verdade que a gente nunca esquece como andar de bicicleta.  Fazia uns 20 anos que não subia numa bicicleta, a última vez foi durante umas férias no Paraguay, quando andei de bicicleta dentro do condomínio onde meu padrinho morava. Desde então sempre declinava qualquer oportunidade de andar de bicicleta. Com o passar dos anos a preguiça começou a dar lugar ao medo. Eu realmente cheguei a acreditar que não sabia mais andar de bike e que seria um vexame qualquer tentativa.  Acreditei nisso até hoje cedo, quando saí para dar umas voltas de bicicleta com o Wally. Andei e não caí! 

Foi uma aventura e meu coração ficou agitado, tamanha a minha apreensão.  Tudo começou hoje às 9 da manhã. Fomos até a Av. Rouxinol para pegar uma bike do Itaú. Wally estava com a bicicleta dele e usou o cadastro dele no app do Bike Sampa para destravar a bicicleta que eu usei. A hora de sair de lá pedalando foi a mais tensa, mas resolvi subir logo na bicicleta antes que o medo me dominasse.  Respirei fundo e fui! 

No começo andava num zig-zag anárquico, tudo para tentar manter o equilíbrio. Aos poucos fui ficando mais confiante. Voltar a andar de bicicleta na rua aqui em São Paulo é tenso.  Mesmo na ciclovia, a gente não fica protegida, é bicicleta lado a lado. Fiquei meio assustada com os carros passando. Em algumas ruas, onde os carros passavam a toda, eu desci da bike e andei na calçada.  Os trechos da ciclovia permamente aqui em Moema são ruins, os asfalto é muito irregular. Para mim isso foi uma dificuldade a mais para manter o equilíbrio. 

O nosso destino hoje foi uma padaria na Av. Hélio Pelegrino, então fomos para a ciclofaixa que funciona aos domingos e feriados.  Lá o asfalto é bem uniforme, ótimo. Porém  é muito movimentada, muita gente pedalando ali. E muita gente com pressa e sem paciência com os mais vagarosos, como eu.  Fiquei um tanto acuada no meio de tanto ciclista apressado, deu medinho.  Wally pedalava atrás de mim e ia me dando as orientações necessárias, o que me ajudou muito e me deu a segurança necessária para eu continuar.

Depois do café da manhã na padaria, pegamos o caminho de volta para casa.  Na volta eu já dirigi melhor a minha bike, andando mais em linha reta, quase sem zig-zag.  E consegui aumentar a velocidade, o que foi muito bom. 

Gostei muito da experiência. Foi um desafio mesmo para mim. Eu sempre falei que nunca teria coragem de andar de bicicleta nas ruas da cidade, mas eu consegui! Superei o meu medo.  Quero muito continuar e melhorar a minha performance com a bike. 

Achei muito prático o sistema de 'aluguel' das bicicletas do Itaú.  E a bicicleta é boa também.  Hoje eu já me inscrevi no app do Bike Sampa, para da próxima vez eu usar o meu cadastro para desbloquear a bike.  O sistema dá direito a usar a bicicleta durante uma hora, depois disso é cobrado uma taxa de R$ 5,00 por hora.  Hoje o meu passeio foi gratuito, pois devolvi a minha bike na estação do Bike Sampa perto da padaria e peguei outra para voltar. Como ficamos um tempinho bom na padaria, pude pegar outra bike sem problemas.

Foi uma manhã de domingo bem diferente para mim.  Espero que deixe de ser diferente para virar uma adorável rotina. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Meus Furacõezinhos!

Ovono