Quase







Hoje, durante o meu passeio de bike pela ciclofaixa, me deparei com um semáforo para bicicletas. É o primeiro do tipo que  vejo aqui na cidade, já tinha visto na Alemanha. É um sinal  que estão pensando na real integração das bicicletas em nosso trânsito. Acho que isso ainda vai levar um bom tempo, pois tudo que tem sido feito até agora foi na base do improviso, sem nenhum estudo para que realmente a convivência entre motoristas, ciclistas e pedestres seja  boa.  Eu não tenho coragem de pedalar no trânsito, morro de medo, pois as ciclovias existentes somente jogam as bicicletas no meio do trânsito. Uma faixa vermelha não garante segurança alguma e, do jeito que vem sendo implantada, só atrapalha o trânsito dos carros e ônibus e deixa os ciclista em sitação muito vulnerável.

Com o aumento da frequência das minhas saídas de bike, comecei a colecionar pequenos incidentes. Uns por conta da minha inexperiência com a bicicleta, como levar um tombo ao descer da calçada pra rua, outros por irresponsabilidade dos outros. 

Tanto no Parque Ibirapuera, que tenho ido com frequência, como na ciclofaixa de domingo, me deparo com muito ciclista mal educado. Que só pensa nele, faz ultrapassagens irresponsáveis ou invade a mão contrária apenas para conseguir pedalar ao ladinho da namorada ou do amiguinho.  Já tive várias quase-batidas por causa de gente que não respeita a sinalização e a mão da ciclovia.  E dá-lhe freadas bruscas para não bater no cidadão quem vem na direção contrária! Um saco.  

Outro problema são os pedestres que cismam em circular pelas vias exclusivas para bicicletas. Já quase atropelei uns 3. E garanto que a culpa não foi minha. No parque ontem quase atropelei um velhinho que andava no estilo do Mr. Magoo, sem fazer questão de olhar o que estava acontecendo em volta. Hoje foram dois pedestres que estavam correndo na ciclofaixa.  Complicado.  

Tudo isso somente salienta a falta de educação que temos aqui. Tudo que a gente reclama dos motoristas, eu já reparei que aparece nos ciclistas e nos pedrestes. É uma falta de consideração com o outro generalizada.  Muitos não estão nem aí para a sinalização e acabam colocando em risco a segurança dos que estão a sua volta.  

Por conta desdes riscos ao pedalar que não tenho vontade de andar de bike escutando música. Preciso estar com os meus ouvidos bem atentos, eles são preciosos aliados dos meus olhos para evitar que acidentes aconteçam.   E, além disso, tenho gostado de pedalar com o som ambiente ao meu redor, dá uma sensação de liberdade bem particular e me ajuda pensar na vida. Sim, pedalando e meditando! 




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Meus Furacõezinhos!

Ovono