Lucy




Eu tinha muita curiosidade para assistir este filme, afinal, Luc Besson fez um dos meus filmes preferidos de sempre: "O Quinto Elemento" (The Fifth Element - 1997). Mas a curiosidade virou decepção.  "Lucy" (2014 - França) é uma porcaria.  Que me desculpem o Luc Besson e a Scarlett Johansson, mas não tive como achar legal este filme. Ela está muito bem como Lucy, o problema foi o roteiro mesmo, que se perdeu e fez uma história sem charme e forçada. 

Lucy é uma  cidadã norte-americana que está em Taiwan, não sabemos ao certo como ela foi parar lá e nem o que faz por lá. Sabemos apenas que ela não sabe falar Chinês, que tem um ficante que não vale um tostão furado e a coloca numa roubada épica com um traficante de droga local.  Ela é obrigada a transportar uma droga sintética, que é colocada dentro de sua barriga pelo bandidos.  E aí começa a história de fato. 

Se você quer assistir ao filme e não quer saber de detalhes, pare de ler agora. Agora, se você não liga para spoilers, prossiga! 




Antes de Lucy ser levada para o aeroporto, ela apanha de um capanga e com isso o saco de drogas estoura, e substância é absorvida pelo seu corpo. Uma transformação começa a acontecer, Lucy fica repentinamente mais forte, sua percepção do mundo começa a mudar, seus sentidos melhoram.  No decorrer do filme, isso vai aumentando e Lucy vai virando quase uma divindade, que tudo pode, que tudo sabe. No filme a justificativa para isso é que a droga vai aumentando a capacidade de utilização do cérebro dela, até chegar aos 100%.  

Lucy é no fundo uma nova versão da minha amada Leeloo Multipass, a protagonista do filme "O Quinto Elemento", vivido pela maravilhosa Milla Jovovich. Leelo também possui a chave de todo o conhecimento, mas ela é ingênua, o que lhe concede um charme todo especial. Lucy acaba soando amargurada, pois sabe bem no que está envolvida e não vê muita saída sua situação.  São filmes com uma temática praticamente idêntica, porém muito diferentes em sua execução. "O Quinto Elemento" cativa, emociona e diverte. O filme "Lucy" carece de criar uma empatia com o espectador, não consegui sentir  nem pena da Lucy. Realmente  não me envolvi com a história.  Meu querido diretor Luc Besson errou a mão. Pena, pena, pena. 


Enfim, não valeu o ingresso do cinema.  Se você tem curiosidade, espere para ver na TV a cabo.  Gaste o dinheirinho do ingresso em coisa melhor. 




Comentários

  1. adoro os dois e mesmo com uma crítica negativa devo ver. ai, espero não detestar tb. beijos, pedrita

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta