Dia longo e Triste

Ontem o dia parecia interminável. As horas se arrastavam.  Foi um dia de lidar de perto com a tristeza e de  reviver tristezas passadas.  Minha tia Cida faleceu na meia-noite de de terça para quarta. Ela era a irmã mais velha da minha mãe e já estava bem doente há mais de um ano. Já esperávamos que a notícia de sua morte chegasse, cada dia que passava sabíamos que a morte dela estava perto e sabíamos que a morte seria o melhor para ela, único jeito de ela deixar de sofrer. Mesmo assim, o baque foi (e está sendo!) grande. Impossível estar preparada para lidar com a morte de alguém próximo. Impossível não me preocupar com a minha mãe, ficar receosa com a reação dela. Afinal, como minha tia, ela já é uma mulher idosa. Foi uma mistura de sentimentos, a tristeza em si, a preocupação com a minha mãe e o incômodo por estar naquele cemitério de novo.  Não tenho problemas com cemitérios, acho que são locais bonitos, mas evito ir ao Cemitério da Paz. Só vou quando a situação me obriga, em situações de enterro de alguém próximo. Neste cemitério está enterrado o meu pai. E estar lá, ver aquelas salas de velório e o túmulo dele, é ter que reviver o pior dia da minha vida. É realmente algo que acho que nunca vou superar, nunca vou conseguir ir lá fazer uma visita ao seu túmulo. Desde que ele morreu, acho que fui umas duas vezes até  lá  somente para levar flores. Percebi que me fazia mal e parei de ir. Minha mãe me entendeu e nunca me cobrou isso. Mas ontem foi inevitável, tudo voltou a minha mente. Assim, dia duplamente difícil,  tive que lidar com a tristeza com a morte da minha tia e as lembranças do pior dia da minha vida.

Ontem bem cedo fui ao cemitério com a Paula e minha mãe. Esperei o caixão chegar e fui para o trabalho. Claro que eu não tinha cabeça para trabalhar. Felizmente meu chefe é um cara bacana, notou isso e me dispensou. Voltei no início da tarde para o cemitério e lá fiquei até o enterro, que foi realizado às 5 da tarde.  Velório sempre é uma mistura de sentimentos e ontem não foi diferente. Há sempre uma alegria em ver aquelas pessoas que a gente não vê a anos, neste caso os outros irmãos da minha mãe. Gente que eu convivi muito quando era criança e que com o tempo houve um afastamento. E o reencontro rendeu boas conversas, conversas que chegam ser um alento em um momento tão triste.

Acordei bem triste hoje. Me sentindo pesada. Devo levar alguns dias para melhorar. Sou assim mesmo, demoro para me recuperar quando fico triste. Ontem não consegui chorar. A preocupação em dar apoio para a minha mãe acho que me fez conter o choro. E é péssimo ficar assim, com o choro contido. Bom, mas hoje já é outro dia. A vida continua e eu tenho que afastar a tristeza, pelo menos durante as minhas horas úteis. Mas vou torcer para o dia de hoje passar rápido. Quero mais é ficar quieta no meu canto e descansar.


 Ontem muitos souberam o que estava acontecendo e recebi várias palavras de carinho e consolo. Obrigada pelo carinho meus amigos e primos.


Comentários

  1. A impressão que eu tenho que é nunca vamos aprender a lidar com essa situação. A morte, por mais que seja esperada, sempre é triste pra quem fica. No seu caso com o agravante do seu pai... nem consigo imaginar como é passar por isso e tenho medo de quando o dia vai chegar. Mas o bom é que a vida continua e a gente se recupera, por mais que nunca esqueça. Você e sua família vão superar e vão sobrar as boas lembranças. Estou aqui torcendo!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Meus sentimentos.
    Não vivemos sempre esperando as incertezas, a incerteza do salario no fim do mes, do filme que vai vir, ou de talvez encontrar alguem. Mas nunca estamos preparados par aa certeza da morte.
    Ontem soube q um irmao de um amigo meu faleceu, tb fiquei chocado e mal consegui falar com ele.
    Eu ainda moror muito longe de todos os meus parentes, então quando morre ralguem assim sempre me abala.
    Tenho certeza que voce logo supera essa fase.
    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Paty, sei que é bem dificil, a gente nunca está preparado para lidar com a morte. Força minha amiga, sua tia está em paz agora, descansando. Chore, ponha para fora sua dor, isso vai lhe fazer bem.
    Não tem muito o que ser dito nestas horas, o que vai curar a sua dor é só o tempo.
    Estou rezando por você e sua familia para que Deus lhes dê força e consolo neste momento tão dificil. Se precisar de qualquer coisa me avise, estarei com você!

    Bjs,

    Paty Sasso

    ResponderExcluir
  4. Amiga, eu até hj qdo chego na cidade da minha avó aonde minha mãe está enterrada fico com nó na garganta.

    Te entendo perfeitamente... se precisar de algo que eu possa te ajudar me avise :)

    Beijocas

    ResponderExcluir
  5. Rê, acho que a gente nunca vai aprender a lidar mesmo com isso tudo. E o tempo é o melhor consolo mesmo. Ele nos ensina a lidar com a ausência.

    Gammelo, é sempre um choque mesmo quando alguém próximo morre. ´Quando a gente está longe parece que tudo fica pior mesmo.

    Paty, com certeza ela está em paz. E ela descansou.

    Dani, é difícil mesmo. Péssimo ter que lidar com tais recordações. Por isso eu evito ir lá. Prefiro lembrar dos bons momentos com o meu pai.


    Queridos, obrigada pelo apoio e carinho. :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Marion.

    Esses momentos são realmente muito difíceis mas é muito bom se sentir abraçada nessa hora.
    Muita luz e paz para você e sua familia. Sua tia está bem e descansando.
    Fique bem.

    Bjs.
    Elvira

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Meus Furacõezinhos!

Ovono