Miolo




De Canela até Bento Gonçalves são umas 2 horas de estrada. Neste dia tivemos que acordar bem cedo para acompanhar o passeio. Acordamos antes da 6 da matina, ou seja, acordei no meu horário normal. Assim não foi muito difícil estar acordada e animada para o passeio. Claro que dormir bastante no ônibus, impossível não dormir.  Mas na hora de visitar a Vitivinícula Miolo, eu estava bem acordada. Que lugar lindo! 


Neste dia aprendi que vitivinícula é a denominação para a empresa que, além de fazer o vinho, é também responsável pela plantação das uvas. A Miolo é bem grande, perde-se de vista os campos de plantação de uva. 





  
A área construída é enorme também é muito bonita. Adorei o lugar.  





Na visita à Miolo somos acompanhados por um enólogo da vinícula, que nos mostrou cada etapa da produção de vinhos. Primeiro entramos no local onde estão os enormes tonéis de carvalho, onde o vinho é fermentado. Cada um tem capacidade para 90 mil litros. Não errei não. É tudo  isso sim. Fiquei impressionada com o tamanho dos tonéis.  Os tonéis de madeira estão sendo deixados de lado, pois são de difícil manutenção e limpeza. Aos poucos toda a produção passará pelos tonéis de aço inox. 









Produtor  de vinho tem que ser uma pessoa muito paciente.  Demora muito para que um vinho fique pronto. Cada etapa de produção leva meses e até anos!  Não vou me arriscar a escrever sobre os prazos de produção do vinho, pois sei que vou me confundir.  Mas basicamente, o vinho passa pela fermentação nos tonéis grandões, depois vão para tonéis menores para o envelhecimento e depois passam mais um tempinho nas garrafas 'descansando'.  Nas garrafas da foto está o vinho chamado de Lote 43. Vinho mais caro da Miolo. Tão caro que não estava presente na degustação que fizemos. 





Gostei muito de ver como é a produção de vinho. Aqui eu estou admirando uma carga de garrafas vazias.  Sempre gostei de ver os bastidores das coisas.  








Fiquei impressionanda com a sala de degustação. Nunca tinha visto nada parecido. São várias mesas, com cinco lugares cada uma. Em cada lugar há um zilhão de copos milimetricamente enfileirados.  Além disso tem um recipiente para cuspir o vinho. Nojento, né? Mas é assim que os degustadores profissionais trabalham. Só sentem o sabor do vinho, mas não o bebem.  Mas como nós somos amadores, bebemos os vinhos que nos ofereceram.  Aprendemos o básico da degustação, ver a cor, sentir o aroma do vinho e em quais características devemos prestar atenção na hora da degustação em si.






Provamos três vinhos, entre eles um espumante.  A quantidade oferecida para a desgustação é pequena. Eles colocam sempre a mesma quantidade, como na foto acima. Tudo bem dosado. Dos que eu provei, gostei mais do espumante suave, pois era mais docinho, do jeito que eu gosto. 

No final do passeio fizemos algumas comprinhas na loja da Miolo. Vinhos e licores. Pedimos para entregar em casa, pois viajar com vinho é sempre um transtorno. Os vinhos foram entregues em casa muito rápido, em menos de 4 dias.  Tudo certinho. :)

Foi um lindo passeio. Adorei! :)



Comentários

  1. Essa vinícola é super parecida com uma que visitei lá... não me lembro o nome mas sei que não era essa porque se eu tivesse visitado um lugar chamado "Miolo" eu jamais me esqueceria, rs. Aliás lá fomos em 2 vinícolas, uma em escala industrial e outra bem artesanal. Ah, eu não provei vinho nenhum, fiquei só olhando, mas comprei uns sucos de uva maravilhosos que tenho saudade até hoje!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. ah, esse passeio eu tb fui. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  3. Rê, nunca pensei que esreveria um posto com miolo no título! rs Ah, como não provou? O suco de uva da região é ótimo. Tomei muito!

    Pedrita, é lindo lá ne?

    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Ovono

Papel e caneta