Exploratorium #SanFranciscoDays



Hoje, depois da aula, fui conhecer o museu Exploratorium, que fica no Pier 15.  O museu é do estilo do Estação Ciência de São Paulo, onde o que está exposto é para mostrar como as coisas acontecem. O museu é totalmente interativo, tudo que está ali é para o visitante tocar, brincar, ver como funciona.  É um museu de experiências sensoriais, que lida com as coisas que estão à nossa volta, como sons, cores, luz, gravidade. Coisas do nosso mundo.



Quando fui comprar o meu ingresso, a mocinha do museu me perguntou de onde eu era e se estava à passeio pela cidade. Eu comentei que estava fazendo um curso de Inglês e ela me vendeu a entrada para estudante. Uma ótima supresa, enconomizei uns dólares!  




Isto é um theremim, um instrumento musical que é tocado sem que a gente precise encostar nele.  Basta movimentar as mãos perto das hastes que o som aparece.  Eu já tinha ouvido falar disso, uma vez Wally comentou comigo e achei muito inusitado.  Foi muito bacana poder tocar um theremim. 



Li as instruções o instrumento e consegui reproduzir alguns sons. Foi divertido!  Todos os itens expostos possuem instruções como esta, que explicam o que o visitante tem que fazer e qual é o fenômeno que ele está experimentando. 







Gostei muito da parte  óptica do museu, muita experiência bacana com a imagem do visitante. Aqui os espelhos que fazem a gente se multiplicar e outro que faz desaparecer. 




Aqui o visitante se transforma em uma pintura. Adorei este efeito! Confesso que não li como isso é feito. Fiquei tão distraída com o efeito visual e não lembrei de mais nada. 



Este é o espelho mais legal que tem por lá.  Na foto não conseguiu reproduzir o efeito.   O reflexo do visitante sai em 3D!  Parece que a gente salta do espelho! Muito louco isso.   Melhor que muita sala de cinema em 3D que eu conheço. 





Foto tirada na sala monocromática. Você entra lá e fica em sépia. Tudo que está na sala fica assim e há estas lanternas penduradas, com luz branca,  para a gente ver a cor real das coisas. 



Achei este robozinho muito lindo. Ele está na parte que mostra como as animações são feitas. Há vários robô numa plataforma giratória. A gente muda a posição de cada um, faz levantar o braço, virar de lado, levantar a perna. Cada robô um pose e ao girar a plataforma a gente 'vê' ele dançando. 





Acho que esta era a única peça exposta que o público não pode tocar. O que faz todo sentido, parece ser algo muito frágil e, além disso, há a informação que o autor levou 37 anos para concluir a obra. Melhor manter a distância mesmo.  Achei realmente muito bonito. 







Fliperama transparente, pra gente ver como tudo funciona.  Joguei um pouquinho, mas não consegui fazer muitos pontos. Perdia a bolinha muito rápido. 




Esta máquina me proporcionou uma experiência bem esquisita.  Sentei lá e falei como a instrução orientava e mexi no botão, que provocava um atraso/distorção no que eu falava. Eu falava uma coisa e escutava  minha voz no fone  em uma velocidade reduzida. Isso me provocou uma pane, eu não conseguia mas falar nada direito. Lembram a mulher do sanduiche -iche-iche?  Então, agora sei exatamente pelo que passou aquela mulher. Não foi culpa dela, a história do retorno com delay é verdadeira. Simplesmente ela não conseguia mais falar direito, o cérebro dela se confundia, como o meu se confundiu hoje. Perturbador perder o controle do que eu falo. 





Eu tirei esta foto linda.  Claro que não foi mérito meu, eu apenas apertei o botão da caixa onde estavam a máquina fotográfica e a superfície onde a água pingava. 





Eis a caixa com todo o mecanismo para tirar a foto. Tirei algumas fotos e registrei a que achei que ficou melhor. 





Lá é tão legal que até a tampa da caixa de eletricidade do museu é cheia de estilo. Gostei tanto que tive que fotografar. 

Devo ter passado umas duas horas por lá. É bem divertido e curioso. Um lugar perfeito para crianças e para quem ainda tem o espírito curioso dentro de si.  Um ótimo passeio! 


Nota da blogueira: O "hoje" do começo do post significa quarta-feira, 22 de outubro. Escrevo o post às 21:19, horal local de San Francisco.  As fotos que estão aqui neste post representam uma pequena fração do que tem no museu. Tem muita coisa mesmo! 


Comentários

  1. bacana o museu. não conhecia o theremim. adorei. queria ver ao vivo. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Ih acho que confundi os posts haha! esse é o museu interativo, e não o outro! (juro que li os dois, mas deixei pra comentar depois e aí já viu)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leu tudo de uma vez e misturou os posts! rs :)

      Excluir

Postar um comentário

Vamos, comente!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Secadora Não!

Meus Furacõezinhos!

Ovono